Sesuma recolhe dez toneladas de lixo/dia, no Parque do Povo, durante O Maior São João do Mundo

Um levantamento preliminar da Secretaria de Serviços Urbanos e Meio Ambiente de Campina Grande, constatou um aumento em torno de 8,0% no volume de lixo coletado diariamente na cidade, durante a realização d’O Maior São João do Mundo, em relação ao mês de maio. Normalmente, se retira 260 toneladas/dia de lixo em toda a cidade. Em junho o volume de entulhos recolhido chegou a 275 toneladas/dia. Só no Parque do Povo, a Sesuma tem recolhido, diariamente, dez toneladas de entulhos.
De acordo com dados da Sesuma, no ano passado o aumento do volume de lixo no mês de junho aumentou apenas 6,9%. Segundo o secretário Geraldo Nobre, a quantidade maior de entulhos está diretamente ligada ao grande número9 de pessoas que tem comparecido ao Parque do Povo todas as noites , o que comprova que a festa este ano cresceu em todos os sentidos. “Se a produção de lixo é maior, é porque o número de freqüentadores também é superior aos anos anteriores”, constatou o titular da Sesuma, engenheiro Geraldo Nobre Cavalcante.
O mesmo padrão de limpeza utilizado no Parque do Povo, também é desenvolvido nos distritos de Galante, São José da Mata, Catolé de Boa Vista, Vila do Artesão e nos bairros onde acontecem eventos paralelos. “A meta é manter a cidade sempre limpa”, frisou Geraldo.
A operação de limpeza durante O Maior São João do Mundo é desenvolvida por 200 prestadores de serviços, contratados para o mês de junho, e mais 100 homens do quadro permanente. Também neste período, por conta do tráfego intenso de veículos, a Sesuma também intensificou o trabalho de recuperação da malha viária. ”Esse trabalho é permanente mas, no São João, é reforçado”, disse Geraldo Nobre.
Conforme o secretário Geraldo Nobre, a orientação do prefeito Romero Rodrigues é no sentido de que seja proporcionada, aos frequentadores do Parque do Povo, uma limpeza diferenciada e qualificada. Para isso, foi montada uma estrutura de revezamento das equipes, que operam em três turnos de oito horas, a fim de manter o Parque do Povo limpo durante as 24 horas do dia.
O trabalho da Sesuma para O Maior São João do Mundo, na realidade, começa 30 dias antes da abertura do evento, com a preparação da cidade para receber os turistas, mediante ações de urbanização e recuperação da infraestrutura de galerias e canais; podagem e plantio de árvores; capinação; e pintura de meio fios.
Outra ação importante é a lavagem de vários pontos da cidade, como Calçadão da Cardoso Vieira; Praça da Bandeira; Terminal de Integração; Antigo Terminal Rodoviário; Feirinha de Frutas; e Parque do Povo. Para esse trabalho, o secretário Geraldo Nobre enfatiza que a água utilizada é trazida do Açude José Rodrigues, em Galante, por meio de carros pipa.
Abastecimento – Outra ação importante que vem sendo desenvolvida pela Sesuma, neste mês de junho, é o abastecimento d’água no Parque do Povo. Diante da grave crise hídrica ora vivenciada na cidade, a Sesuma providenciou um abastecimento alternativo, instalando um conjunto de bombas na caixa superior do Parque do Povo. Após receber tratamento a base de cloro, a água é utilizada nas barracas, pavilhões e seis baterias de banheiros.

Um levantamento preliminar da Secretaria de Serviços Urbanos e Meio Ambiente de Campina Grande, constatou um aumento em torno de 8,0% no volume de lixo coletado diariamente na cidade, durante a realização d’O Maior São João do Mundo, em relação ao mês de maio. Normalmente, se retira 260 toneladas/dia de lixo em toda a cidade. Em junho o volume de entulhos recolhido chegou a 275 toneladas/dia. Só no Parque do Povo, a Sesuma tem recolhido, diariamente, dez toneladas de entulhos.
De acordo com dados da Sesuma, no ano passado o aumento do volume de lixo no mês de junho aumentou apenas 6,9%. Segundo o secretário Geraldo Nobre, a quantidade maior de entulhos está diretamente ligada ao grande número9 de pessoas que tem comparecido ao Parque do Povo todas as noites , o que comprova que a festa este ano cresceu em todos os sentidos. “Se a produção de lixo é maior, é porque o número de freqüentadores também é superior aos anos anteriores”, constatou o titular da Sesuma, engenheiro Geraldo Nobre Cavalcante.
O mesmo padrão de limpeza utilizado no Parque do Povo, também é desenvolvido nos distritos de Galante, São José da Mata, Catolé de Boa Vista, Vila do Artesão e nos bairros onde acontecem eventos paralelos. “A meta é manter a cidade sempre limpa”, frisou Geraldo.
A operação de limpeza durante O Maior São João do Mundo é desenvolvida por 200 prestadores de serviços, contratados para o mês de junho, e mais 100 homens do quadro permanente. Também neste período, por conta do tráfego intenso de veículos, a Sesuma também intensificou o trabalho de recuperação da malha viária. ”Esse trabalho é permanente mas, no São João, é reforçado”, disse Geraldo Nobre.
Conforme o secretário Geraldo Nobre, a orientação do prefeito Romero Rodrigues é no sentido de que seja proporcionada, aos frequentadores do Parque do Povo, uma limpeza diferenciada e qualificada. Para isso, foi montada uma estrutura de revezamento das equipes, que operam em três turnos de oito horas, a fim de manter o Parque do Povo limpo durante as 24 horas do dia.
O trabalho da Sesuma para O Maior São João do Mundo, na realidade, começa 30 dias antes da abertura do evento, com a preparação da cidade para receber os turistas, mediante ações de urbanização e recuperação da infraestrutura de galerias e canais; podagem e plantio de árvores; capinação; e pintura de meio fios.
Outra ação importante é a lavagem de vários pontos da cidade, como Calçadão da Cardoso Vieira; Praça da Bandeira; Terminal de Integração; Antigo Terminal Rodoviário; Feirinha de Frutas; e Parque do Povo. Para esse trabalho, o secretário Geraldo Nobre enfatiza que a água utilizada é trazida do Açude José Rodrigues, em Galante, por meio de carros pipa.
Abastecimento – Outra ação importante que vem sendo desenvolvida pela Sesuma, neste mês de junho, é o abastecimento d’água no Parque do Povo. Diante da grave crise hídrica ora vivenciada na cidade, a Sesuma providenciou um abastecimento alternativo, instalando um conjunto de bombas na caixa superior do Parque do Povo. Após receber tratamento a base de cloro, a água é utilizada nas barracas, pavilhões e seis baterias de banheiros.