Mais 5 cidades decretam alerta por causa de chuvas no Grande Recife

chuvaPE2As cidades de Olinda, Ipojuca, São Lourenço da Mata, Moreno e Jaboatão dos Guararapes decretaram estado de alerta, neste sábado (04), devido às fortes chuvas que atingem a Região Metropolitana do Recife desde a noite de sexta-feira (03). Ainda pela manhã, a capital pernambucana foi a primeira a decretar alerta, através de documento assinado pelo prefeito Geraldo Julio.
Em São Lourenço da Mata, foi registrada uma morte, no fim da manhã deste sábado. De acordo com o Corpo de Bombeiros, um homem morreu e duas pessoas foram socorridas com vida por moradores, na Rua Santa Cruz, bairro da Várzea Fria. A Defesa Civil informou que três casas foram atingidas pelo deslizamento e sete estão interditadas, por conta do risco de novos acidentes. Segundo a prefeitura da cidade, foi primeiro óbito causado pelas chuvas, desde 2009.
Já Ipojuca foi a cidade que registrou maior volume de chuva nas últimas 24 horas, com 146mm acumulados, conforme dados da Agência Pernambucana de Águas e Clima. De acordo com a Defesa Civil da cidade, foram registrados 15 deslizamentos, incluindo uma queda de barreira na PE-60 e outra na PE-51, que dá acesso à praia de Serrambi. O Rio Ipojuca transbordou. Duas famílias foram removidas de suas casas e transferidas para abrigos. Não há registro de vítimas.
Em Olinda, o prefeito Renildo Calheiros assinou o decreto de alerta nesta manhã. As equipes da Defesa Civil estão trabalhando para atender moradores de áreas de risco. Servidores das secretarias de Obras, Serviços Públicos, Controle Urbano, Meio Ambiente, Transportes, Saúde, Desenvolvimento Social, bem como da Guarda Municipal, estão de plantão.
Jaboatão dos Guararapes teve seu estado de alerta máximo decretado pelo prefeito Elias Gomes na tarde deste sábado. De acordo com a Defesa Civil da cidade, já foram registrados 92 deslizamentos nos últimos dias, com 650 famílias desalojadas só nas últimas 24 horas. Na cidade, a chuva que caiu nas últimas 24 horas é equivalente à mesma quantidade de todo o mês de julho do ano passado.
Ainda durante a tarde, a cidade de Moreno também decretou estado de alerta. O prefeito Dilsinho Gomes convocou servidores de todas as secretarias municipais para dar apoio ao trabalho da Defesa Civil. Foram registradas 17 ocorrências, sendo 14 deslizamentos de barreiras e três pontos de inundação.
A Defesa Civil do Cabo de Santo Agostinho está mantendo suas equipes de prontidão, apesar de a prefeitura não ter decretado estado de alerta. A cidade foi a que registrou o segundo maior volume de chuvas no estado, com 134mm acumulados nas últimas 24 horas. A Defesa Civil contabiliza, até as 15h deste sábado, 27 deslizamentos, 9 bairros alagados e 3 quedas de árvores. Não há registro de feridos, mortos, desabrigados ou desalojados.
A Apac informa ainda que a chuva continuará ao longo do dia, em todo o Grande Recife, “com intensidade moderada a forte”. No momento, a maré está baixa no litoral pernambucano. A expectativa é de que chegue a 2,3m, às 17h151.

Recife em alerta
Nesta manhã, a Prefeitura do Recife decretou estado de alerta na cidade, devido às últimas chuvas que têm atingido a capital. O prefeito Geraldo Julio assinou o decreto, atendendo a um pedido da Secretaria-Executiva de Defesa Civil.
O governador Paulo Câmara, também na manhã deste sábado, instalou o Gabinete Integrado de Proteção Civil. O grupo vai monitorar a situação climática, sendo capaz de tomar decisões de modo mais rápido. Fazem parte do gabinete a Coordenadoria de Defesa Civil de Pernambuco (Codecipe), o Corpo de Bombeiros, a Polícia Militar e a Apac. O Centro de Comando e Controle Integrado, no bairro de São José, no Recife, é a sede de trabalho da equipe.
Segundo a Prefeitura do Recife, o acumulado de chuvas nos últimos 10 dias ultrapassa a marca de 681,4 mm — nas últimas 24 horas, foram 118 mm de chuva. Na última segunda-feira (29), o Recife registrou a maior chuva do ano: choveu 228 mm, o equivalente ao esperado para 16 dias do mês de junho.
A decretação de alerta convoca servidores das secretarias Executiva de Controle Urbano; de Meio Ambiente e Sustentabilidade; agentes de saúde ambiental; Guarda Municipal; e técnicos da Emlurb, Csurb, CTTU, URB, IASC para se mobilizarem em torno das ações de Defesa Civil.
G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial