Mulher em forma de sapato no convite de Prefeitura é criticada

sapatoA imagem de um sapato de salto alto fundida com os membros inferiores de uma mulher tem causado polêmica, principalmente nas redes sociais. Isso porque muita gente se sentiu ofendida com a imagem, ainda mais por se tratar de um convite para a Conferência Municipal de Políticas para as Mulheres, organizada pela prefeitura da cidade gaúcha de Santo Antônio da Patrulha, a cerca de 80 quilômetros de Porto Alegre.
De acordo com a responsável pela imagem, a coordenadora da Mulher Cecília Moreira, a imagem que está na publicação não é da forma como ela queria, já que as pernas da mulher deveriam ter sido cortadas da imagem. No entanto, ela também diz que a ideia era abordar o empoderamento da mulher com base na frase de que homens têm medo de mulheres de salto.
“Em uma conferência, nos preocupamos com a parte legal, organização, e a imagem foi encontrada aleatoriamente no Google, e na hora da impressão faltou apenas limpar a imagem, porque era para ficar apenas a imagem do sapato. Recebemos reclamações, mas foi apenas um pequeno detalhe. Tiveram interpretações variadas, uns disseram que era uma porta canetas, um sapato e etc”, disse Cecília.
Por conta da contenção de gastos e da imagem, a prefeitura de Santo Antônio da Patrulha teria se recusado a imprimir o convite, mas Cecilia resolveu imprimi-los por conta própria, e o material foi distribuído para autoridades locais. Ela afirmou, no entanto, que a imagem foi aprovada também pela presidente do Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres, Sônia Soares da Costa.
Apesar das críticas, Cecília afirma que o trabalho é marcado por ações positivas, como o cartório das mulheres, a patrulha rosa – que orienta sobre a lei Maria da Penha – além do que ela chama de assinatura, que é a elevação da autoestima por meio da maquiagem de mulheres. “Mas não imaginávamos que isso ia tomar essa dimensão”, disse, referindo-se ao convite.
Apesar de integrar uma administração municipal conduzida pelo Partido Progressista (PP), Cecília rejeita a especulação de que a imagem poderia ter repercutido com a ajuda de grupos políticos de ideologias contrárias ao de seu partido. “Estamos sujeitas a este tipo de análise do nosso trabalho, mas já informamos que vamos trocar a arte já que não foi do agrado de todas as mulheres”, finalizou.
Terra

sapatoA imagem de um sapato de salto alto fundida com os membros inferiores de uma mulher tem causado polêmica, principalmente nas redes sociais. Isso porque muita gente se sentiu ofendida com a imagem, ainda mais por se tratar de um convite para a Conferência Municipal de Políticas para as Mulheres, organizada pela prefeitura da cidade gaúcha de Santo Antônio da Patrulha, a cerca de 80 quilômetros de Porto Alegre.
De acordo com a responsável pela imagem, a coordenadora da Mulher Cecília Moreira, a imagem que está na publicação não é da forma como ela queria, já que as pernas da mulher deveriam ter sido cortadas da imagem. No entanto, ela também diz que a ideia era abordar o empoderamento da mulher com base na frase de que homens têm medo de mulheres de salto.
“Em uma conferência, nos preocupamos com a parte legal, organização, e a imagem foi encontrada aleatoriamente no Google, e na hora da impressão faltou apenas limpar a imagem, porque era para ficar apenas a imagem do sapato. Recebemos reclamações, mas foi apenas um pequeno detalhe. Tiveram interpretações variadas, uns disseram que era uma porta canetas, um sapato e etc”, disse Cecília.
Por conta da contenção de gastos e da imagem, a prefeitura de Santo Antônio da Patrulha teria se recusado a imprimir o convite, mas Cecilia resolveu imprimi-los por conta própria, e o material foi distribuído para autoridades locais. Ela afirmou, no entanto, que a imagem foi aprovada também pela presidente do Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres, Sônia Soares da Costa.
Apesar das críticas, Cecília afirma que o trabalho é marcado por ações positivas, como o cartório das mulheres, a patrulha rosa – que orienta sobre a lei Maria da Penha – além do que ela chama de assinatura, que é a elevação da autoestima por meio da maquiagem de mulheres. “Mas não imaginávamos que isso ia tomar essa dimensão”, disse, referindo-se ao convite.
Apesar de integrar uma administração municipal conduzida pelo Partido Progressista (PP), Cecília rejeita a especulação de que a imagem poderia ter repercutido com a ajuda de grupos políticos de ideologias contrárias ao de seu partido. “Estamos sujeitas a este tipo de análise do nosso trabalho, mas já informamos que vamos trocar a arte já que não foi do agrado de todas as mulheres”, finalizou.
Terra