Cultura africana é tema de ação pedagógica com crianças de creche da Rede Municipal

africaA conscientização para o combate ao preconceito étnico-racial começa cedo para as crianças da Rede Municipal de Educação de Campina Grande.

Um grupo de 26 crianças, com idade a partir dos dois anos, participou nesta sexta-feira, 24, de uma ação pedagógica da Secretaria Municipal de Educação sobre a cultura afro-brasileira. A atividade foi realizada no Parque da Criança.

O público foi formado pelas turminhas de maternal 1 e 2 da Creche Zeferina Gaudêncio, localizada no bairro do Catolé. As crianças participaram de uma atividade de “contação de histórias”, desenvolvida a partir de obras com temática da cultura negra e até encenaram algumas dos contos infantis usados nos projetos.

Também foi realizada uma oficina de produção de brinquedos artesanais, destacando peças como a “peteca”, de origem indígena. A programação contou ainda com a presença de professores de capoeira e militantes do movimento negro.

A ação pedagógica integra o cronograma do Projeto “Descobridores de Histórias, Brincando e Aprendendo com as Leis Nº 10.639 e 11.645/2008”, ação contínua desenvolvida pela Secretaria de Educação com o objetivo de promover e estimular o ensino das culturas africana e indígena, em cumprimento à legislação federal que inclui a temática no currículo escolar. O projeto é coordenado pela professora Ana Ivazaki.

Muito antes do projeto, a creche Zeferina Gaudêncio já desenvolvia atividades lúdicas para o ensino da cultura negra desde os primeiros anos da educação infantil. O símbolo desta luta é a boneca negra “Fêfê”, brinquedo criado há mais de 10 anos e desde então adotada na creche como instrumento de combate ao preconceito racial.

“Há mais de 10 anos temos a Fêfê, que é uma boneca negra vai para casa das crianças e que é usada na pra contação de histórias. A criança leva o livro junto com a Fefê. Por isso, foi bem fácil abraçarmos a proposta de trabalhar a questão da cultura africana e as crianças entenderam porque a gente trabalhou dentro da lógica de Educação Infantil, através do lúdico”, explicou a professora Vânia Araújo, gestora da creche.

Os pais de algumas das crianças participaram da ação e aprovaram a iniciativa.

“Acho ótimo, porque é de pequeno que começa essa educação pra eles não crescerem com preconceito e conviver com todas as pessoas e valorizar a nossa cultura. Eu ensino isso pra eles em casa e a creche está reforçando ainda mais”, comentou Tatiana Abreu, mãe da pequena Daniela, de apenas quatro anos, aluna do maternal.

africaA conscientização para o combate ao preconceito étnico-racial começa cedo para as crianças da Rede Municipal de Educação de Campina Grande.

Um grupo de 26 crianças, com idade a partir dos dois anos, participou nesta sexta-feira, 24, de uma ação pedagógica da Secretaria Municipal de Educação sobre a cultura afro-brasileira. A atividade foi realizada no Parque da Criança.

O público foi formado pelas turminhas de maternal 1 e 2 da Creche Zeferina Gaudêncio, localizada no bairro do Catolé. As crianças participaram de uma atividade de “contação de histórias”, desenvolvida a partir de obras com temática da cultura negra e até encenaram algumas dos contos infantis usados nos projetos.

Também foi realizada uma oficina de produção de brinquedos artesanais, destacando peças como a “peteca”, de origem indígena. A programação contou ainda com a presença de professores de capoeira e militantes do movimento negro.

A ação pedagógica integra o cronograma do Projeto “Descobridores de Histórias, Brincando e Aprendendo com as Leis Nº 10.639 e 11.645/2008”, ação contínua desenvolvida pela Secretaria de Educação com o objetivo de promover e estimular o ensino das culturas africana e indígena, em cumprimento à legislação federal que inclui a temática no currículo escolar. O projeto é coordenado pela professora Ana Ivazaki.

Muito antes do projeto, a creche Zeferina Gaudêncio já desenvolvia atividades lúdicas para o ensino da cultura negra desde os primeiros anos da educação infantil. O símbolo desta luta é a boneca negra “Fêfê”, brinquedo criado há mais de 10 anos e desde então adotada na creche como instrumento de combate ao preconceito racial.

“Há mais de 10 anos temos a Fêfê, que é uma boneca negra vai para casa das crianças e que é usada na pra contação de histórias. A criança leva o livro junto com a Fefê. Por isso, foi bem fácil abraçarmos a proposta de trabalhar a questão da cultura africana e as crianças entenderam porque a gente trabalhou dentro da lógica de Educação Infantil, através do lúdico”, explicou a professora Vânia Araújo, gestora da creche.

Os pais de algumas das crianças participaram da ação e aprovaram a iniciativa.

“Acho ótimo, porque é de pequeno que começa essa educação pra eles não crescerem com preconceito e conviver com todas as pessoas e valorizar a nossa cultura. Eu ensino isso pra eles em casa e a creche está reforçando ainda mais”, comentou Tatiana Abreu, mãe da pequena Daniela, de apenas quatro anos, aluna do maternal.