14ª Parada da Cidadania LGBT é realizada na orla de João Pessoa

gay2A 14ª Parada da Cidadania LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transgêneros) de João Pessoa aconteceu neste sábado (25) na orla da capital. A concentração para a marcha começou por volta das 16h, no Sesc Cabo Branco. O Movimento do Espírito Lilás (MEL), um dos organizadores do evento, informou que cerca de 30 mil pessoas estavam presentes na parada e nos shows que foram realizados no Busto de Tamandaré.
O tema do evento foi ‘Respeito se aprende em casa e na escola’, e em clima de celebração, participantes fizeram questão de lembrar da luta diária contra a homofobia, lesbofobia, transfobia e reivindicaram políticas públicas para redução da violência contra a população LGBT no estado.
O evento foi organizado pelo Movimento Espírito Lilás (MEL), Grupo de Mulheres Lésbicas e Bissexuais Maria Quitéria (GMMQ), Movimento de Bissexuais (MOVBI) Associação de Travestis e Transexuais da Paraíba (ASTRAPA) e teve apoio da Secretarias da Mulher e Diversidade Humana, Saúde e Segurança Pública. Cinco trios elétricos animam os participantes.
Na concentração do evento, a secretaria de Estado da Mulher e da Diversidade Humana, Gilberta Santos Soares e Roberto Maia da coordenadoria LGBT da Prefeitura de João Pessoa, abriram a 14ª edição da Parada da Cidadania LGBT da capital. A marcha saiu em direção ao Busto de Tamandaré, na divisa entre as praias de Tambaú e Cabo Branco, onde aconteceram os shows e apresentações. Entre as principais atrações deste ano estavam Paula Becini, Jaina Elner e Banda, Brasis, DJ John Kennedy, DJ Kylt e DJ Marmaid.
Para Renan Palmeira, presidente do Movimento do Espírito Lilás (MEL), o principal objetivo da ação foi fazer um alerta à sociedade em relação ao respeito às diferenças. “O tema escolhido ‘Respeito se aprende em casa e na escola’, chama atenção da responsabilidade da educação no combate ao preconceito, como forma de produzimos uma cultura do respeito e da tolerância”, afirmou, salientando a importância da participação social nesse processo.

Violência
De acordo com o Relatório Anual de Assassinatos de Homossexuais no Brasil, produzido pelo Grupo Gay da Bahia, a Paraíba registrou o maior índice entre os estados do Nordeste de com 4,56 mortes violentas de homossexuais para cada 1 milhão de habitantes em 2014.
Segundo o relatório, foram 18 homossexuais assassinados ano passado, sendo que os transexuais são as vítimas mais frequentes, com nove mortes. Em números absolutos, a Paraíba só teve menos mortes que na Bahia e Pernambuco na região. O relatório ainda revela que a maior parte das vítimas tem entre 19 e 30 anos.
Paraiba1

gay2A 14ª Parada da Cidadania LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transgêneros) de João Pessoa aconteceu neste sábado (25) na orla da capital. A concentração para a marcha começou por volta das 16h, no Sesc Cabo Branco. O Movimento do Espírito Lilás (MEL), um dos organizadores do evento, informou que cerca de 30 mil pessoas estavam presentes na parada e nos shows que foram realizados no Busto de Tamandaré.
O tema do evento foi ‘Respeito se aprende em casa e na escola’, e em clima de celebração, participantes fizeram questão de lembrar da luta diária contra a homofobia, lesbofobia, transfobia e reivindicaram políticas públicas para redução da violência contra a população LGBT no estado.
O evento foi organizado pelo Movimento Espírito Lilás (MEL), Grupo de Mulheres Lésbicas e Bissexuais Maria Quitéria (GMMQ), Movimento de Bissexuais (MOVBI) Associação de Travestis e Transexuais da Paraíba (ASTRAPA) e teve apoio da Secretarias da Mulher e Diversidade Humana, Saúde e Segurança Pública. Cinco trios elétricos animam os participantes.
Na concentração do evento, a secretaria de Estado da Mulher e da Diversidade Humana, Gilberta Santos Soares e Roberto Maia da coordenadoria LGBT da Prefeitura de João Pessoa, abriram a 14ª edição da Parada da Cidadania LGBT da capital. A marcha saiu em direção ao Busto de Tamandaré, na divisa entre as praias de Tambaú e Cabo Branco, onde aconteceram os shows e apresentações. Entre as principais atrações deste ano estavam Paula Becini, Jaina Elner e Banda, Brasis, DJ John Kennedy, DJ Kylt e DJ Marmaid.
Para Renan Palmeira, presidente do Movimento do Espírito Lilás (MEL), o principal objetivo da ação foi fazer um alerta à sociedade em relação ao respeito às diferenças. “O tema escolhido ‘Respeito se aprende em casa e na escola’, chama atenção da responsabilidade da educação no combate ao preconceito, como forma de produzimos uma cultura do respeito e da tolerância”, afirmou, salientando a importância da participação social nesse processo.

Violência
De acordo com o Relatório Anual de Assassinatos de Homossexuais no Brasil, produzido pelo Grupo Gay da Bahia, a Paraíba registrou o maior índice entre os estados do Nordeste de com 4,56 mortes violentas de homossexuais para cada 1 milhão de habitantes em 2014.
Segundo o relatório, foram 18 homossexuais assassinados ano passado, sendo que os transexuais são as vítimas mais frequentes, com nove mortes. Em números absolutos, a Paraíba só teve menos mortes que na Bahia e Pernambuco na região. O relatório ainda revela que a maior parte das vítimas tem entre 19 e 30 anos.
Paraiba1