Dois consórcios do sistema de transporte coletivo entram em operação em Campina Grande

consorcio2Desde esta quarta-feira, 05, os Consórcios Santa Maria e Santa Verônica, vencedores da licitação pública realizada pela Prefeitura Municipal de Campina Grande, estão em operação no sistema de transporte coletivo urbano da cidade. O atual sistema de transporte coletivo vinha funcionando mediante uma concessão pública precária e o prefeito Romero Rodrigues já havia autorizado, desde dezembro de 2013, a instalação do processo licitatório, devendo isso mudar a partir de agora, pois os consórcios poderão, a curto, médio e longo prazos, com base em planejamento, fazer os investimentos necessários para o aperfeiçoamento do sistema.
O procedimento licitatório foi aberto às empresas de ônibus de todo o Brasil, numa concorrência que seguiu todos os rigores legais e teve o acompanhamento por parte da sociedade, convocada para participar das audiências públicas, que subsidiaram a elaboração do edital da licitação.
Os vencedores da licitação 2.01.001/14 poderão atuar no serviço de transporte coletivo durante o período de 15 anos. O consórcio Santa Maria, composto pelas empresas A. Cândido & Cia. Ltda (Nacional) e pela Viação Santa Rosa Ltda (Cabral), irá explorar as áreas Norte-01 e Oeste-03, que inclui também o Distrito de São José da Mata. Já o Consórcio Santa Verônica, composto pelas empresas Nacional de Passageiros Ltda (Transnacional) e Verônica Salete de Transportes Ltda (Cruzeiro), operará na área Sul-02.
Com a assinatura dos contratos de concessão, no último dia 05 de junho (durante o Seminário Cidade Expressa), foi iniciado o prazo de 60 dias para a efetivação das novas concessionárias e saída das antigas permissionárias (Borborema, Campina Grande Transportes e Viação São José) que não se habilitaram ao processo licitatório. As áreas atendidas pelas antigas empresas serão cobertas pelos consórcios, de modo a deixarem garantido o transporte da população diretamente afetada.
Ações pós licitação – A primeira medida adotada pela Prefeitura e STTP, foi efetuar o cancelamento de todas as ordens de serviços emitidas para as antigas empresas permissionárias, através de portaria, e a emissão de novas ordens de serviços para os consórcios ganhadores, garantindo 100% de cobertura ao Sistema de Transporte Público de passageiros.
Vistoria e padronização – O segundo passo foi a realização de vistoria em toda a frota relacionada no processo licitatório, bem como nas garagens das empresas consorciadas. No terceiro passo, foi emitida a portaria que regulamenta a nova numeração de ordem da frota, para que a mesma se adeque, tanto aos sistemas de circulação nas ruas, quanto aos sistemas de bilhetagem eletrônica e auxiliar de sistemas de GPS.
O próximo passo é a nova identidade visual da frota, para que fique fácil a identificação de percursos e a requalificação das linhas, garantindo maior precisão e cobertura das áreas da cidade. No entanto, provisoriamente, para a população não ser desassistida, a frota ostentará o brasão do município em adesivo por cima dos nomes das empresas até então permissionárias e, gradativamente, devem ocorrer as mudanças de lay out de toda a frota.
De acordo com a gerente de Transportes da STTP, Araci Brasil, os horários e itinerários das rotas permanecerão inalterados e apenas os veículos terão mudanças na padronização. “O novo sistema terá três áreas de atuação e três cores diferentes, o que fará com que, futuramente, a população identifique com mais facilidade as áreas e itinerários em que os veículos trafegarão”, disse.

consorcio2Desde esta quarta-feira, 05, os Consórcios Santa Maria e Santa Verônica, vencedores da licitação pública realizada pela Prefeitura Municipal de Campina Grande, estão em operação no sistema de transporte coletivo urbano da cidade. O atual sistema de transporte coletivo vinha funcionando mediante uma concessão pública precária e o prefeito Romero Rodrigues já havia autorizado, desde dezembro de 2013, a instalação do processo licitatório, devendo isso mudar a partir de agora, pois os consórcios poderão, a curto, médio e longo prazos, com base em planejamento, fazer os investimentos necessários para o aperfeiçoamento do sistema.
O procedimento licitatório foi aberto às empresas de ônibus de todo o Brasil, numa concorrência que seguiu todos os rigores legais e teve o acompanhamento por parte da sociedade, convocada para participar das audiências públicas, que subsidiaram a elaboração do edital da licitação.
Os vencedores da licitação 2.01.001/14 poderão atuar no serviço de transporte coletivo durante o período de 15 anos. O consórcio Santa Maria, composto pelas empresas A. Cândido & Cia. Ltda (Nacional) e pela Viação Santa Rosa Ltda (Cabral), irá explorar as áreas Norte-01 e Oeste-03, que inclui também o Distrito de São José da Mata. Já o Consórcio Santa Verônica, composto pelas empresas Nacional de Passageiros Ltda (Transnacional) e Verônica Salete de Transportes Ltda (Cruzeiro), operará na área Sul-02.
Com a assinatura dos contratos de concessão, no último dia 05 de junho (durante o Seminário Cidade Expressa), foi iniciado o prazo de 60 dias para a efetivação das novas concessionárias e saída das antigas permissionárias (Borborema, Campina Grande Transportes e Viação São José) que não se habilitaram ao processo licitatório. As áreas atendidas pelas antigas empresas serão cobertas pelos consórcios, de modo a deixarem garantido o transporte da população diretamente afetada.
Ações pós licitação – A primeira medida adotada pela Prefeitura e STTP, foi efetuar o cancelamento de todas as ordens de serviços emitidas para as antigas empresas permissionárias, através de portaria, e a emissão de novas ordens de serviços para os consórcios ganhadores, garantindo 100% de cobertura ao Sistema de Transporte Público de passageiros.
Vistoria e padronização – O segundo passo foi a realização de vistoria em toda a frota relacionada no processo licitatório, bem como nas garagens das empresas consorciadas. No terceiro passo, foi emitida a portaria que regulamenta a nova numeração de ordem da frota, para que a mesma se adeque, tanto aos sistemas de circulação nas ruas, quanto aos sistemas de bilhetagem eletrônica e auxiliar de sistemas de GPS.
O próximo passo é a nova identidade visual da frota, para que fique fácil a identificação de percursos e a requalificação das linhas, garantindo maior precisão e cobertura das áreas da cidade. No entanto, provisoriamente, para a população não ser desassistida, a frota ostentará o brasão do município em adesivo por cima dos nomes das empresas até então permissionárias e, gradativamente, devem ocorrer as mudanças de lay out de toda a frota.
De acordo com a gerente de Transportes da STTP, Araci Brasil, os horários e itinerários das rotas permanecerão inalterados e apenas os veículos terão mudanças na padronização. “O novo sistema terá três áreas de atuação e três cores diferentes, o que fará com que, futuramente, a população identifique com mais facilidade as áreas e itinerários em que os veículos trafegarão”, disse.