Para preservar os documentos e a história, Diocese realiza digitalização dos livros paroquiais

digitalAs cidades no Brasil, em quase sua totalidade, nasceram em torno das Igrejas católicas. A sociedade, ao longo do tempo, foi tendo sua história registrada nos livros paroquiais. Batizados, casamentos, crismas… enfim, registros históricos que falam muito da vida de um povo. E todo esse registro está armazenado em grandes livros, escritos à mão, por padres e secretários paroquiais que também vão registrando em ata a sua passagem por cada região. O tempo, catástrofes, acidentes e incidentes podem simplesmente danificar ou destruir estes documentos, trazendo uma grande perda histórica.
Preocupada com esta fragilidade, a Diocese de Campina Grande firmou parceria com a empresa Family Search para realizar a digitalização de todos os livros paroquiais de registro dos sacramentos. O trabalho vem sendo desenvolvido desde fevereiro deste ano e mais de 30 paróquias já tiveram seus livros digitalizados. O especialista em geração de imagem e funcionário da Family Search, Jorge Silva, explica o trabalho que vem sendo desenvolvido. “Em períodos passados, muitos dos livros paroquiais já foram microfilmados, mas nós agora estamos fazendo um trabalho de digitalização, atuando na preservação destes documentos. Estamos transformando arquivos de papel em arquivos digitais”, explica. “Com o trabalho concluído, a cúria diocesana ficará com um HD contendo, de forma organizada, todos os livros de todas as paróquias, permitindo assim um acesso rápido para consultas. Além disso, fica garantida a preservação dos documentos”, concluiu.
Segundo o Pe. Antônio Nelson, Chanceler, a Cúria Diocesana precisa ter uma cópia de cada livro paroquial onde são registrados os sacramentos. Porém, a falta de espaço físico para armazenar milhares de livros, impediu que esta determinação se cumprisse. “Com a facilidade das novas tecnologias, nós agora vamos poder ter documentado, de forma segura, todos os livros paroquiais digitalizados”, afirmou o Chanceler. “A história e os documentos ficam preservados de danos que porventura possam vir a ocorrer e facilitará para nós o acesso à informações”, completou.
A maior parte das Paróquias já teve seu acervo digitalizado. Segundo Jorge Silva, o processo será concluído até o final do ano.

Márcia Marques
Pascom – Assessoria de Imprensa
(83) 8836 9102 (whatsApp) / 9952 7855

digitalAs cidades no Brasil, em quase sua totalidade, nasceram em torno das Igrejas católicas. A sociedade, ao longo do tempo, foi tendo sua história registrada nos livros paroquiais. Batizados, casamentos, crismas… enfim, registros históricos que falam muito da vida de um povo. E todo esse registro está armazenado em grandes livros, escritos à mão, por padres e secretários paroquiais que também vão registrando em ata a sua passagem por cada região. O tempo, catástrofes, acidentes e incidentes podem simplesmente danificar ou destruir estes documentos, trazendo uma grande perda histórica.
Preocupada com esta fragilidade, a Diocese de Campina Grande firmou parceria com a empresa Family Search para realizar a digitalização de todos os livros paroquiais de registro dos sacramentos. O trabalho vem sendo desenvolvido desde fevereiro deste ano e mais de 30 paróquias já tiveram seus livros digitalizados. O especialista em geração de imagem e funcionário da Family Search, Jorge Silva, explica o trabalho que vem sendo desenvolvido. “Em períodos passados, muitos dos livros paroquiais já foram microfilmados, mas nós agora estamos fazendo um trabalho de digitalização, atuando na preservação destes documentos. Estamos transformando arquivos de papel em arquivos digitais”, explica. “Com o trabalho concluído, a cúria diocesana ficará com um HD contendo, de forma organizada, todos os livros de todas as paróquias, permitindo assim um acesso rápido para consultas. Além disso, fica garantida a preservação dos documentos”, concluiu.
Segundo o Pe. Antônio Nelson, Chanceler, a Cúria Diocesana precisa ter uma cópia de cada livro paroquial onde são registrados os sacramentos. Porém, a falta de espaço físico para armazenar milhares de livros, impediu que esta determinação se cumprisse. “Com a facilidade das novas tecnologias, nós agora vamos poder ter documentado, de forma segura, todos os livros paroquiais digitalizados”, afirmou o Chanceler. “A história e os documentos ficam preservados de danos que porventura possam vir a ocorrer e facilitará para nós o acesso à informações”, completou.
A maior parte das Paróquias já teve seu acervo digitalizado. Segundo Jorge Silva, o processo será concluído até o final do ano.

Márcia Marques
Pascom – Assessoria de Imprensa
(83) 8836 9102 (whatsApp) / 9952 7855