Moradores queimam veículos contra reintegração de posse na Zona Leste

queimaMoradores da região de Cidade Tiradentes, no extremo da Zona Leste de São Paulo, incendiaram pelo menos dez carros e um ônibus entre a noite desta quarta-feira (26) e a madrugada desta quinta (27) durante protesto contra reintegração de posse. Houve confronto entre manifestantes e policiais militares.
Por volta das 22h de quarta-feira, os manifestantes atearam fogo e bloquearam ruas, alguns carros foram virados na via impedindo a aproximação dos policiais. Foram usadas bombas de efeito moral e moradores foram atingidos.
Às 8h50, a situação estava normalizada e as retroescavadeiras começaram a derrubar as casas de alvenaria. A operação conta com três retroescavadeiras, 30 escavadeiras e 90 ajudantes uniformizados para retirar os moveis.
Vários telespectadores enviaram vídeos pelo aplicativo de mensagens de celular WhatsApp. Na estrada do Iguatemi, uma telespectadora gravou moradores saindo com móveis, enquanto carros pegavam fogo e outra mostrou a Estrada do Iguatemi fechada e a aproximação da polícia.
De acordo com os manifestantes, cerca de 500 famílias residem no local há mais de 15 anos. Em nota, a CDHU (Companhia de Desenvolvimento habitacional e Urbano do Estado) disse que a área da reintegração de 28 mil metros quadrados está ocupada irregularmente por cerca de 75 famílias e que esse terreno é para moradia de interesse social para famílias anteriormente cadastradas.
A CDHU disse ainda que também está disponibilizando um galpão de depósito para guardar os pertences dos moradores.
G1

queimaMoradores da região de Cidade Tiradentes, no extremo da Zona Leste de São Paulo, incendiaram pelo menos dez carros e um ônibus entre a noite desta quarta-feira (26) e a madrugada desta quinta (27) durante protesto contra reintegração de posse. Houve confronto entre manifestantes e policiais militares.
Por volta das 22h de quarta-feira, os manifestantes atearam fogo e bloquearam ruas, alguns carros foram virados na via impedindo a aproximação dos policiais. Foram usadas bombas de efeito moral e moradores foram atingidos.
Às 8h50, a situação estava normalizada e as retroescavadeiras começaram a derrubar as casas de alvenaria. A operação conta com três retroescavadeiras, 30 escavadeiras e 90 ajudantes uniformizados para retirar os moveis.
Vários telespectadores enviaram vídeos pelo aplicativo de mensagens de celular WhatsApp. Na estrada do Iguatemi, uma telespectadora gravou moradores saindo com móveis, enquanto carros pegavam fogo e outra mostrou a Estrada do Iguatemi fechada e a aproximação da polícia.
De acordo com os manifestantes, cerca de 500 famílias residem no local há mais de 15 anos. Em nota, a CDHU (Companhia de Desenvolvimento habitacional e Urbano do Estado) disse que a área da reintegração de 28 mil metros quadrados está ocupada irregularmente por cerca de 75 famílias e que esse terreno é para moradia de interesse social para famílias anteriormente cadastradas.
A CDHU disse ainda que também está disponibilizando um galpão de depósito para guardar os pertences dos moradores.
G1