Jornalistas são presos acusados de trabalhar para terroristas

jornalistas5Dois repórteres e um tradutor do site de notícias americanoVice foram formalmente acusados por um tribunal turco por “trabalhar em nome de uma organização terrorista”, informou a rede britânica BBC. Eles foram detidos pela polícia na última quinta-feira enquanto filmavam na região sudeste de Diarbaquir. Segundo o advogado dos jornalistas, a polícia interrogou o trio sobre ligações com o Estado Islâmico e milícias curdas.

De acordo com a Vice, os repórteres britânicos Jake Hanrahan e Philip Pendlebury estavam na Turquia para registrar o conflito entre a polícia local e as milícias curdas. Os profissionais negaram a acusação, e a Vice classificou as queixas como “sem fundamento e alarmantemente falsas”, usadas para tentar intimidar e censurar sua cobertura.

Segundo o advogado responsável pela defesa do trio, eles foram detidos no hotel em que estavam hospedados, acusados inicialmente de filmar uma base militar sem permissão. Suas câmeras e computadores foram confiscados e investigados. Só então eles passaram a ser questionados sobre seu envolvimento com o PKK e o EI, antes de serem formalmente indiciados por uma corte local. O grupo tem agora sete dias para apelar contra a acusação.

Conflitos violentos entre as forças de segurança do país e os jovens do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK, de Parti Karkerani Kurdistan pelo original em curdo) irromperam nos últimos dias. A Turquia limitou o acesso de jornalistas à região.

Veja

jornalistas5Dois repórteres e um tradutor do site de notícias americanoVice foram formalmente acusados por um tribunal turco por “trabalhar em nome de uma organização terrorista”, informou a rede britânica BBC. Eles foram detidos pela polícia na última quinta-feira enquanto filmavam na região sudeste de Diarbaquir. Segundo o advogado dos jornalistas, a polícia interrogou o trio sobre ligações com o Estado Islâmico e milícias curdas.

De acordo com a Vice, os repórteres britânicos Jake Hanrahan e Philip Pendlebury estavam na Turquia para registrar o conflito entre a polícia local e as milícias curdas. Os profissionais negaram a acusação, e a Vice classificou as queixas como “sem fundamento e alarmantemente falsas”, usadas para tentar intimidar e censurar sua cobertura.

Segundo o advogado responsável pela defesa do trio, eles foram detidos no hotel em que estavam hospedados, acusados inicialmente de filmar uma base militar sem permissão. Suas câmeras e computadores foram confiscados e investigados. Só então eles passaram a ser questionados sobre seu envolvimento com o PKK e o EI, antes de serem formalmente indiciados por uma corte local. O grupo tem agora sete dias para apelar contra a acusação.

Conflitos violentos entre as forças de segurança do país e os jovens do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK, de Parti Karkerani Kurdistan pelo original em curdo) irromperam nos últimos dias. A Turquia limitou o acesso de jornalistas à região.

Veja