Naufrágio de pesqueiro deixa vários mortos na Coreia do Sul

naufragioPelo menos dez pessoas morreram e outras estão desaparecidas após o naufrágio de um barco pesqueiro no litoral sul da Coreia do Sul, informou neste domingo (6) a guarda litorânea do país asiático.
A embarcação foi encontrada por volta das 6h25 (horário local, 18h25 do sábado em Brasília) perto da ilha de Chuja, ao norte da ilha de Jeju, no sul do país, publicou a agência local “Yonhap”.
Oito pessoas morreram e três foram resgatadas e levadas de helicóptero para um hospital de Jeju, enquanto um número indeterminado continua desaparecido, já que as autoridades ainda não detalharam o número total de tripulantes que viajavam na embarcação.
A presidente da Coreia do Sul, Park Geun-hye, ordenou ao Ministério de Segurança e Administração Pública que “faça todo o possível para encontrar e resgatar os desaparecidos” e que forneça informação sobre o acidente e as operações de resgate às famílias, segundo declarações publicadas pela “Yonhap”.
Um dos sobreviventes disse à agência sul-coreana que o barco tombou “em um instante” devido à força das ondas.
Os sobreviventes subiram no casco da embarcação tombada, onde esperaram mais de 10 horas até serem resgatados. Outros passageiros estavam inicialmente com os três sobreviventes, mas a forte maré os arrastou, disse o tripulante.
O Ministério de Oceanos e Pesca de Seul instalou um centro de controle na cidade de Sejong, onde tem sua sede o Ministério da Saúde, para supervisionar os trabalhos de resgate, dos quais participam dúzias de navios e mergulhadores, segundo a “Yonhap”.
G1

naufragioPelo menos dez pessoas morreram e outras estão desaparecidas após o naufrágio de um barco pesqueiro no litoral sul da Coreia do Sul, informou neste domingo (6) a guarda litorânea do país asiático.
A embarcação foi encontrada por volta das 6h25 (horário local, 18h25 do sábado em Brasília) perto da ilha de Chuja, ao norte da ilha de Jeju, no sul do país, publicou a agência local “Yonhap”.
Oito pessoas morreram e três foram resgatadas e levadas de helicóptero para um hospital de Jeju, enquanto um número indeterminado continua desaparecido, já que as autoridades ainda não detalharam o número total de tripulantes que viajavam na embarcação.
A presidente da Coreia do Sul, Park Geun-hye, ordenou ao Ministério de Segurança e Administração Pública que “faça todo o possível para encontrar e resgatar os desaparecidos” e que forneça informação sobre o acidente e as operações de resgate às famílias, segundo declarações publicadas pela “Yonhap”.
Um dos sobreviventes disse à agência sul-coreana que o barco tombou “em um instante” devido à força das ondas.
Os sobreviventes subiram no casco da embarcação tombada, onde esperaram mais de 10 horas até serem resgatados. Outros passageiros estavam inicialmente com os três sobreviventes, mas a forte maré os arrastou, disse o tripulante.
O Ministério de Oceanos e Pesca de Seul instalou um centro de controle na cidade de Sejong, onde tem sua sede o Ministério da Saúde, para supervisionar os trabalhos de resgate, dos quais participam dúzias de navios e mergulhadores, segundo a “Yonhap”.
G1