Dono de cachorro que fazia ‘vigília’ em porta de hospital recebe alta

fielApós uma semana, o dono do cachorro Negão, que fez “vigília” na porta de um hospital em Itatiba (SP), recebeu alta neste domingo (6). O vendedor Olívio Yamamoto estava internado após sofrer um infarto. A atitude do cão, que esperou o dono durante todo o tratamento, causou comoção nos moradores da cidade.
O vendedor estava indo para Itatiba (SP) no dia 30 quando começou a passar mal e foi para o hospital, com o cachorro no carro. Lá, foi diagnosticado com princípio de infarto e não pôde sequer sair para deixar o cão em casa.
Yamamoto conta que só chegou ao hospital porque o animal, batizado de “Negão”, o manteve acordado enquanto dirigia. “Eu não conseguia dirigir direito porque estava com muita dor, meu olho até ‘saltava’ para fora. Então ele uivava bastante e batia no meu ombro desesperado”, lembra.
Emocionado, ele conta que jamais vai esquecer o momento em que o animal dava forças para chegar até o hospital. “Deu uma dor insuportável. Não é dorzinha. Eu achei que tinha chegado a minha hora”, diz ao afirmar que chegou a abrir as portas e pedir par ao animal sair. O bicho, entretanto, ficou fazendo barulho e começou a bater nas costas com o pé e o queixo”, conta.
De acordo com os médicos, saber que o cachorro de estimação estava ali perto pode ter ajudado na recuperação de Yamamoto. “Nós esperávamos que ele até ficasse mais um tempo aqui, mas a sua recuperação foi muito rápida e, sem dúvida nenhuma, o nosso negão aqui colaborou muito pra isso”, afirma o diretor do hospital Manuel Negretti.
Como o vendedor mora distante da região central da cidade, ele vai passar alguns dias na casa de uma amiga. Durante esse período, ele vai descansar e matar a saudade do Negão, curtindo a recuperação. No endereço novo, Negão ganhou ração e uma casinha nova. Já Yamamoto, uma carta tos alunos de uma escola da cidade com desejos de saúde e boa sorte aos dois, “Nós vamos viver juntos muito tempo ainda. Sem morder os outros”, diz, rindo.
Na quarta-feira, impossibilitado de dar entrevista, ele escreveu uma carta. Nela o vendedor contou que o cão foi adotado por ele durante uma viagem a Bragança Paulista (SP) e é um grande companheiro do vendedor desde então. “Já fomos várias vezes para Minas Gerais para pescar, correr no campo e nadar junto”, lembra. O vendedor chegou a receber uma visita do animal após autorização dos médicos.

Comoção
Desde a internação do dono, “Negão” ficou perambulando pelo estacionamento do local. A história sensibilizou os funcionários que, de maneira improvisada, separaram um canto com comida e água.
O médico Wagner Tegon Filho diz que a presença do bichinho de estimação na porta do hospital é importante para a recuperação do paciente. “O cachorro estando mais próximo do paciente deixa ele mais otimista e responsivo ao tratamento para se recuperar e sair dessa.”
G1

fielApós uma semana, o dono do cachorro Negão, que fez “vigília” na porta de um hospital em Itatiba (SP), recebeu alta neste domingo (6). O vendedor Olívio Yamamoto estava internado após sofrer um infarto. A atitude do cão, que esperou o dono durante todo o tratamento, causou comoção nos moradores da cidade.
O vendedor estava indo para Itatiba (SP) no dia 30 quando começou a passar mal e foi para o hospital, com o cachorro no carro. Lá, foi diagnosticado com princípio de infarto e não pôde sequer sair para deixar o cão em casa.
Yamamoto conta que só chegou ao hospital porque o animal, batizado de “Negão”, o manteve acordado enquanto dirigia. “Eu não conseguia dirigir direito porque estava com muita dor, meu olho até ‘saltava’ para fora. Então ele uivava bastante e batia no meu ombro desesperado”, lembra.
Emocionado, ele conta que jamais vai esquecer o momento em que o animal dava forças para chegar até o hospital. “Deu uma dor insuportável. Não é dorzinha. Eu achei que tinha chegado a minha hora”, diz ao afirmar que chegou a abrir as portas e pedir par ao animal sair. O bicho, entretanto, ficou fazendo barulho e começou a bater nas costas com o pé e o queixo”, conta.
De acordo com os médicos, saber que o cachorro de estimação estava ali perto pode ter ajudado na recuperação de Yamamoto. “Nós esperávamos que ele até ficasse mais um tempo aqui, mas a sua recuperação foi muito rápida e, sem dúvida nenhuma, o nosso negão aqui colaborou muito pra isso”, afirma o diretor do hospital Manuel Negretti.
Como o vendedor mora distante da região central da cidade, ele vai passar alguns dias na casa de uma amiga. Durante esse período, ele vai descansar e matar a saudade do Negão, curtindo a recuperação. No endereço novo, Negão ganhou ração e uma casinha nova. Já Yamamoto, uma carta tos alunos de uma escola da cidade com desejos de saúde e boa sorte aos dois, “Nós vamos viver juntos muito tempo ainda. Sem morder os outros”, diz, rindo.
Na quarta-feira, impossibilitado de dar entrevista, ele escreveu uma carta. Nela o vendedor contou que o cão foi adotado por ele durante uma viagem a Bragança Paulista (SP) e é um grande companheiro do vendedor desde então. “Já fomos várias vezes para Minas Gerais para pescar, correr no campo e nadar junto”, lembra. O vendedor chegou a receber uma visita do animal após autorização dos médicos.

Comoção
Desde a internação do dono, “Negão” ficou perambulando pelo estacionamento do local. A história sensibilizou os funcionários que, de maneira improvisada, separaram um canto com comida e água.
O médico Wagner Tegon Filho diz que a presença do bichinho de estimação na porta do hospital é importante para a recuperação do paciente. “O cachorro estando mais próximo do paciente deixa ele mais otimista e responsivo ao tratamento para se recuperar e sair dessa.”
G1