Papa Francisco visitará a África no fim do mês de novembro

africaO Papa Francisco viajará pela primeira vez ao continente africano entre 25 e 30 de novembro, com visitas ao Quênia, Uganda e República Centro-Africana, anunciou o Vaticano.
“Por convite dos chefes de Estado e dos episcopados locais, o Santo Padre fará uma viagem pastoral à África. De 25 a 27 de novembro visitará o Quênia, de 27 a 29 de novembro Uganda e depois a República Centro-Africana nos dia 29 e 30”, afirmou o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi.
As duas últimas etapas já eram conhecidas, mas a viagem ao Quênia ainda não havia sido anunciada, apesar do pontífice ter expressado várias vezes o desejo de visitar o país.
Desde que chegou ao Vaticano em março de 2013, Francisco viajou algumas vezes para a Ásia, América Latina e Europa, mas nunca para a África.
Os três países, dois de língua inglesa e um de língua francesa, têm grandes comunidades católicas e estão imersos em conflitos.
O Quênia enfrenta os rebeldes shebab somalis, que desde 2011 multiplicam os ataques no país como represália à decisão do governo de intervir militarmente na Somália.
Em Uganda, outro país sob ameaça dos shebab, o papa pretende recordar e celebrar a canonização, em 1964 por Paulo VI, dos primeiros santos africanos, 22 jovens que foram assassinados em 1878.
A República Centro-Africana também enfrenta uma crise política e as eleições presidenciais e legislativas previstas para outubro podem ser adiadas por confrontos.
G1

africaO Papa Francisco viajará pela primeira vez ao continente africano entre 25 e 30 de novembro, com visitas ao Quênia, Uganda e República Centro-Africana, anunciou o Vaticano.
“Por convite dos chefes de Estado e dos episcopados locais, o Santo Padre fará uma viagem pastoral à África. De 25 a 27 de novembro visitará o Quênia, de 27 a 29 de novembro Uganda e depois a República Centro-Africana nos dia 29 e 30”, afirmou o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi.
As duas últimas etapas já eram conhecidas, mas a viagem ao Quênia ainda não havia sido anunciada, apesar do pontífice ter expressado várias vezes o desejo de visitar o país.
Desde que chegou ao Vaticano em março de 2013, Francisco viajou algumas vezes para a Ásia, América Latina e Europa, mas nunca para a África.
Os três países, dois de língua inglesa e um de língua francesa, têm grandes comunidades católicas e estão imersos em conflitos.
O Quênia enfrenta os rebeldes shebab somalis, que desde 2011 multiplicam os ataques no país como represália à decisão do governo de intervir militarmente na Somália.
Em Uganda, outro país sob ameaça dos shebab, o papa pretende recordar e celebrar a canonização, em 1964 por Paulo VI, dos primeiros santos africanos, 22 jovens que foram assassinados em 1878.
A República Centro-Africana também enfrenta uma crise política e as eleições presidenciais e legislativas previstas para outubro podem ser adiadas por confrontos.
G1