Nelson homenageia a memória de Ronaldo Cunha Lima com denominação de avenida

homenagemO vereador Nelson Gomes apresentou hoje projeto de lei na Câmara Municipal de Campina Grande denominando de “Ronaldo José da Cunha Lima” a principal avenida do Complexo Habitacional Aluízio Campos de Campina Grande, construído atualmente pela Administração do prefeito Romero Rodrigues.
Nelson disse que “queremos homenagear com esta propositura a memória do grande benfeitor de Campina Grande Ronaldo José da Cunha Lima, com a denominação da principal avenida do Conjunto Habitacional Aluízio Campos, no Complexo do mesmo nome”.Historiou que Ronaldo nasceu em 18 de março de 1936. Faleceu em 7 de julho de 2012, com 76 anos. Era filho de Francisca Bandeira da Cunha e Demóstenes Cunha Lima. Foi casado com Maria da Glória Rodrigues da Cunha Lima com quem teve quatro filhos: Ronaldo Cunha Lima Filho, Cássio Cunha Lima, Glauce Cunha Lima e Savigny Cunha Lima.
Em 1951 iniciou a vida como vendedor de jornais, depois como garçom, no restaurante do seu irmão Aluísio, e trabalhou na Associação Comercial de Campina Grande, na Rede Ferroviária do Nordeste e no Cartório de Dona Nevinha Tavares. Tudo para custear os seus estudos e ajudar nas despesas domésticas, porque o seu pai, Demóstenes Cunha Lima ex-prefeito de Araruna, faleceu muito cedo, deixando sua mãe Dona “Nenzinha” com a responsabilidade de criar e educar uma família numerosa. Ronaldo também desde jovem, já demonstrava vocação para a política. Ainda estudante, Ronaldo foi representante estudantil e vice-presidente do Centro Estudantil Campinense.
Foi promotor de Justiça, advogado, professor e poeta. Estudou no Colégio Pio X e no Colégio Estadual do Prata em Campina Grande. Bacharelou-se em Ciências Jurídicas pela Faculdade de Direito da Universidade Federal da Paraíba.
Começou a sua carreira política sendo vereador de Campina Grande pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), deputado estadual por dois mandatos, e prefeito eleito em 1968, pelo Movimento Democrático Brasileiro (MDB). Em 14 de março de 1969 teve os seus direitos políticos cassados, indo para São Paulo e depois para o Rio de Janeiro recomeçando a sua carreira de advogado. Anistiado, em 1982, foi reconduzido à Prefeitura de Campina Grande pelo voto popular, no seu mandato à frente da PMCG (1983/1989).
Foi prefeito de Campina grande em duas ocasiões, governador da Paraíba, senador da república e eleito deputado federal por duas vezes. Governador do Estado da Paraíba (1991/1994), senador da República (1995/2002) e deputado federal, eleito pela 1ª vez em 2002 com mais de 95 mil votos e reeleito em 2006 com 124.192 votos. Atuou no PSDB (2001-2012), PMDB (1980-2001), MDB (1969-1980), e PTB (1959-1969).
Finalizou dizendo que “a sua memória é merecedora de todo o reconhecimento do Poder Público Municipal concedendo o seu nome a uma das novas avenidas de Campina Grande. Sem dúvida, o seu trabalho, principalmente de sua família contribuiu e contribui para o desenvolvimento de Campina Grande e da Paraíba”.

homenagemO vereador Nelson Gomes apresentou hoje projeto de lei na Câmara Municipal de Campina Grande denominando de “Ronaldo José da Cunha Lima” a principal avenida do Complexo Habitacional Aluízio Campos de Campina Grande, construído atualmente pela Administração do prefeito Romero Rodrigues.
Nelson disse que “queremos homenagear com esta propositura a memória do grande benfeitor de Campina Grande Ronaldo José da Cunha Lima, com a denominação da principal avenida do Conjunto Habitacional Aluízio Campos, no Complexo do mesmo nome”.Historiou que Ronaldo nasceu em 18 de março de 1936. Faleceu em 7 de julho de 2012, com 76 anos. Era filho de Francisca Bandeira da Cunha e Demóstenes Cunha Lima. Foi casado com Maria da Glória Rodrigues da Cunha Lima com quem teve quatro filhos: Ronaldo Cunha Lima Filho, Cássio Cunha Lima, Glauce Cunha Lima e Savigny Cunha Lima.
Em 1951 iniciou a vida como vendedor de jornais, depois como garçom, no restaurante do seu irmão Aluísio, e trabalhou na Associação Comercial de Campina Grande, na Rede Ferroviária do Nordeste e no Cartório de Dona Nevinha Tavares. Tudo para custear os seus estudos e ajudar nas despesas domésticas, porque o seu pai, Demóstenes Cunha Lima ex-prefeito de Araruna, faleceu muito cedo, deixando sua mãe Dona “Nenzinha” com a responsabilidade de criar e educar uma família numerosa. Ronaldo também desde jovem, já demonstrava vocação para a política. Ainda estudante, Ronaldo foi representante estudantil e vice-presidente do Centro Estudantil Campinense.
Foi promotor de Justiça, advogado, professor e poeta. Estudou no Colégio Pio X e no Colégio Estadual do Prata em Campina Grande. Bacharelou-se em Ciências Jurídicas pela Faculdade de Direito da Universidade Federal da Paraíba.
Começou a sua carreira política sendo vereador de Campina Grande pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), deputado estadual por dois mandatos, e prefeito eleito em 1968, pelo Movimento Democrático Brasileiro (MDB). Em 14 de março de 1969 teve os seus direitos políticos cassados, indo para São Paulo e depois para o Rio de Janeiro recomeçando a sua carreira de advogado. Anistiado, em 1982, foi reconduzido à Prefeitura de Campina Grande pelo voto popular, no seu mandato à frente da PMCG (1983/1989).
Foi prefeito de Campina grande em duas ocasiões, governador da Paraíba, senador da república e eleito deputado federal por duas vezes. Governador do Estado da Paraíba (1991/1994), senador da República (1995/2002) e deputado federal, eleito pela 1ª vez em 2002 com mais de 95 mil votos e reeleito em 2006 com 124.192 votos. Atuou no PSDB (2001-2012), PMDB (1980-2001), MDB (1969-1980), e PTB (1959-1969).
Finalizou dizendo que “a sua memória é merecedora de todo o reconhecimento do Poder Público Municipal concedendo o seu nome a uma das novas avenidas de Campina Grande. Sem dúvida, o seu trabalho, principalmente de sua família contribuiu e contribui para o desenvolvimento de Campina Grande e da Paraíba”.