Artista de rua pode ser a nova vocalista ao lado de Chimbinha

vocalista4Depois da polêmica separação entre Joelma e Chimbinha, a cantora afirmou que seguirá carreira solo a partir do próximo ano. O que acontecerá com a banda Calypso é uma incógnita e muitos apostam que Chimbinha vai montar outra banda para continuar tocando. O guitarrista já estaria pensando nesta nova formação, tanto que já tem um nome para ser a “substituta” de Joelma. Uma das apostas do tecnobrega do Pará, a recifense Gina Lobrista, já tem seu nome cotado para se apresentar ao lado de Chimbinha.
“A Índia Apaixonada do Pará”, como gosta de ser conhecida, vende seus CDs no Mercadão de Belém e já tem chamado atenção pela região. Ela também ganhou um videoclipe, feito por universitário, de uma das suas músicas.

CONFIRA O VÍDEO:

GINA LOBRISTA CONQUISTA IMPRENSA E FÃS BRASILEIROS. “QUERO SER RECONHECIDA COMO ARTISTA DE RUA”, AFIRMA
vocalista2A história de Gina Severina da Silva, 34 anos, renderia facilmente um filme. Do “Severina”, que consta na carteira de identidade, ela não gosta. No entanto, a história de Gina pode ser facilmente comparada a de Severino, personagem imortalizado por João Cabral de Melo Neto, pernambucano como ela, em “Morte e Vida Severina”. Enquanto o retirante partiu do sertão em direção ao Recife em busca das franjas do mar, Gina saiu de Recife, ainda pequena, já com o desejo incubado de buscar o mundo. E se o mundo parece grande demais, maior ainda é a determinação e a força de vontade de uma artista de rua consciente de si e decidida a buscar seus objetivos. Gina Lobrista está pronta. O Ver-o-Peso, palco que ela não pretende deixar, ficará pequeno demais para ela.
Talvez a música “Eu Estou Apaixonada Por Você”, composição de Roberto e Erasmo Carlos, tenha tornado Gina Lobrista conhecida através das rádios e aparelhagens de Belém. Talvez o clipe recém-lançado pela Platô Produções, que já possui quase 20 mil acessos no momento em que esta matéria está sendo escrita, fosse o passo que faltava para dela ser reconhecida nacionalmente. Talvez tenha sido o desejo inabalável de realizar o sonho da mãe, que morreu sonhando em ver uma de suas filhas famosas. O mais provável é que Gina tenha nascido, inevitavelmente, para se tornar Gina Lobrista. Depois de passar sérias dificuldades financeiras, problemas familiares graves, enfrentar duas crises de depressão, o descrédito de quem a ridicularizou publicamente, ela sobreviveu, insistiu, venceu.
vocalista3Basta uma caixa de som, um banner e um microfone para que os 500 CDs, vendidos a R$ 5, cheguem às mãos do público em um dia. Gina deixou a banda Geração Eletrizante, que mantinha com a irmã, para partir para a carreira solo no final do ano passado. No início, oferecia os discos de porta em porta. Foi um vendedor, o “Bacalhau”, que provou que ela era “um pote de ouro sendo jogado no lixo”. “Aqui vem turista dos Estados Unidos, da Europa, de todos os lugares. Eu sabia que era o meu lugar. Não quero sair do Ver-o-Peso, independente do que acontecer. Quero ser reconhecida e lembrada como artista de rua”, declara.
Procurada pela imprensa local e nacional, a artista ainda tenta se acostumar com o sucesso que tardou a chegar. As influências musicais que ela carrega vão do bolero ao melody e se confundem com a própria história de vida da cantora. Na infância, quando sua família morou em Serra Pelada na ascensão da “febre do ouro”, a casa da artista abrigou nomes como Leandro e Leonardo e Arnaldo Baptista. A sua música de trabalho, por exemplo, foi cantada por Gina, no ouvido de sua mãe, quando ela estava no leito de morte. Emocionada, Gina relembra que dona Edjane Silva foi a única que, em momento algum, duvidou de seu talento. A letra de “Eu Estou Apaixonada Por Você”, que começa assumindo que a vida é agitada, continua em certo trecho com: “Tudo que eu faço, penso em você”.
O jeito extrovertido e simpático da bela morena revela a felicidade de quem ama o que faz. Com o público do Ver-o-Peso, ela brinca, pula, se diverte. Os longos cabelos castanhos que emolduram um belo rosto são seu manto, como ela mesma diz. Gina tem inocência no olhar e no trato com o outro. Vez ou outra alguém pede uma foto, um jornalista a telefona, um barraqueiro tira um sarro. Severino, xará de Gina, chegou à conclusão de que, no espetáculo da vida, temos que vê-la desfiar seu fio, fabricar a si mesma, até vê-la brotar em uma nova vida explodida. Uma nova vida espera Gina. Daqui a pouco ela explode.

SAIBA TUDO SOBRE GINA LOBRISTA:

blogs.ne10.uol.com.br
diariodopara.diarioonline.com.br

vocalista4Depois da polêmica separação entre Joelma e Chimbinha, a cantora afirmou que seguirá carreira solo a partir do próximo ano. O que acontecerá com a banda Calypso é uma incógnita e muitos apostam que Chimbinha vai montar outra banda para continuar tocando. O guitarrista já estaria pensando nesta nova formação, tanto que já tem um nome para ser a “substituta” de Joelma. Uma das apostas do tecnobrega do Pará, a recifense Gina Lobrista, já tem seu nome cotado para se apresentar ao lado de Chimbinha.
“A Índia Apaixonada do Pará”, como gosta de ser conhecida, vende seus CDs no Mercadão de Belém e já tem chamado atenção pela região. Ela também ganhou um videoclipe, feito por universitário, de uma das suas músicas.

CONFIRA O VÍDEO:

GINA LOBRISTA CONQUISTA IMPRENSA E FÃS BRASILEIROS. “QUERO SER RECONHECIDA COMO ARTISTA DE RUA”, AFIRMA
vocalista2A história de Gina Severina da Silva, 34 anos, renderia facilmente um filme. Do “Severina”, que consta na carteira de identidade, ela não gosta. No entanto, a história de Gina pode ser facilmente comparada a de Severino, personagem imortalizado por João Cabral de Melo Neto, pernambucano como ela, em “Morte e Vida Severina”. Enquanto o retirante partiu do sertão em direção ao Recife em busca das franjas do mar, Gina saiu de Recife, ainda pequena, já com o desejo incubado de buscar o mundo. E se o mundo parece grande demais, maior ainda é a determinação e a força de vontade de uma artista de rua consciente de si e decidida a buscar seus objetivos. Gina Lobrista está pronta. O Ver-o-Peso, palco que ela não pretende deixar, ficará pequeno demais para ela.
Talvez a música “Eu Estou Apaixonada Por Você”, composição de Roberto e Erasmo Carlos, tenha tornado Gina Lobrista conhecida através das rádios e aparelhagens de Belém. Talvez o clipe recém-lançado pela Platô Produções, que já possui quase 20 mil acessos no momento em que esta matéria está sendo escrita, fosse o passo que faltava para dela ser reconhecida nacionalmente. Talvez tenha sido o desejo inabalável de realizar o sonho da mãe, que morreu sonhando em ver uma de suas filhas famosas. O mais provável é que Gina tenha nascido, inevitavelmente, para se tornar Gina Lobrista. Depois de passar sérias dificuldades financeiras, problemas familiares graves, enfrentar duas crises de depressão, o descrédito de quem a ridicularizou publicamente, ela sobreviveu, insistiu, venceu.
vocalista3Basta uma caixa de som, um banner e um microfone para que os 500 CDs, vendidos a R$ 5, cheguem às mãos do público em um dia. Gina deixou a banda Geração Eletrizante, que mantinha com a irmã, para partir para a carreira solo no final do ano passado. No início, oferecia os discos de porta em porta. Foi um vendedor, o “Bacalhau”, que provou que ela era “um pote de ouro sendo jogado no lixo”. “Aqui vem turista dos Estados Unidos, da Europa, de todos os lugares. Eu sabia que era o meu lugar. Não quero sair do Ver-o-Peso, independente do que acontecer. Quero ser reconhecida e lembrada como artista de rua”, declara.
Procurada pela imprensa local e nacional, a artista ainda tenta se acostumar com o sucesso que tardou a chegar. As influências musicais que ela carrega vão do bolero ao melody e se confundem com a própria história de vida da cantora. Na infância, quando sua família morou em Serra Pelada na ascensão da “febre do ouro”, a casa da artista abrigou nomes como Leandro e Leonardo e Arnaldo Baptista. A sua música de trabalho, por exemplo, foi cantada por Gina, no ouvido de sua mãe, quando ela estava no leito de morte. Emocionada, Gina relembra que dona Edjane Silva foi a única que, em momento algum, duvidou de seu talento. A letra de “Eu Estou Apaixonada Por Você”, que começa assumindo que a vida é agitada, continua em certo trecho com: “Tudo que eu faço, penso em você”.
O jeito extrovertido e simpático da bela morena revela a felicidade de quem ama o que faz. Com o público do Ver-o-Peso, ela brinca, pula, se diverte. Os longos cabelos castanhos que emolduram um belo rosto são seu manto, como ela mesma diz. Gina tem inocência no olhar e no trato com o outro. Vez ou outra alguém pede uma foto, um jornalista a telefona, um barraqueiro tira um sarro. Severino, xará de Gina, chegou à conclusão de que, no espetáculo da vida, temos que vê-la desfiar seu fio, fabricar a si mesma, até vê-la brotar em uma nova vida explodida. Uma nova vida espera Gina. Daqui a pouco ela explode.

SAIBA TUDO SOBRE GINA LOBRISTA:

blogs.ne10.uol.com.br
diariodopara.diarioonline.com.br