Polícia alemã encontra viva mulher “morta” há 31 anos

Uma mulher foi encontrada viva e bem, morando em Düsseldorf, na Alemanha. Petra Pazsitka, então com 24 anos, foi declarada morta cinco anos após ter desaparecido da residência estudantil onde vivia à época que cursava Ciências da Computação.
Na época, um homem condenado por assassinar uma adolescente acabou confessando ter matado Petra.
No entanto, durante uma investigação em um caso de roubo, a polícia acabou se deparando com uma mulher de 55 anos que não tinha documentos.
Ela disse aos policiais que vivia com uma identidade falsa e, após ser interrogada, acabou revelando seu nome verdadeiro.

‘Era o que queria’
Nos anos 1980, o desaparecimento de Petra ganhou destaque na imprensa do país e chegou a ser tema de um programa criminal alemão.
Um porta-voz da polícia de Brauschweig, no norte do país, disse que Petra não quer retomar o contato com a família.
“Ela disse pouco sobre seu passado e sobre por que desapareceu. Disse apenas que era isso o que queria”, afirmou o porta-voz Joachim Grande.
Ele afirmou ainda que a mãe e o irmão de Petra “ficaram absolutamente chocados” ao descobrirem que ela estava viva.
A família de Petra demonstrou interesse em entrar em contactá-la, mas, segundo a imprensa alemã, ela não tem a intenção de fazer isso.
Terra

Uma mulher foi encontrada viva e bem, morando em Düsseldorf, na Alemanha. Petra Pazsitka, então com 24 anos, foi declarada morta cinco anos após ter desaparecido da residência estudantil onde vivia à época que cursava Ciências da Computação.
Na época, um homem condenado por assassinar uma adolescente acabou confessando ter matado Petra.
No entanto, durante uma investigação em um caso de roubo, a polícia acabou se deparando com uma mulher de 55 anos que não tinha documentos.
Ela disse aos policiais que vivia com uma identidade falsa e, após ser interrogada, acabou revelando seu nome verdadeiro.

‘Era o que queria’
Nos anos 1980, o desaparecimento de Petra ganhou destaque na imprensa do país e chegou a ser tema de um programa criminal alemão.
Um porta-voz da polícia de Brauschweig, no norte do país, disse que Petra não quer retomar o contato com a família.
“Ela disse pouco sobre seu passado e sobre por que desapareceu. Disse apenas que era isso o que queria”, afirmou o porta-voz Joachim Grande.
Ele afirmou ainda que a mãe e o irmão de Petra “ficaram absolutamente chocados” ao descobrirem que ela estava viva.
A família de Petra demonstrou interesse em entrar em contactá-la, mas, segundo a imprensa alemã, ela não tem a intenção de fazer isso.
Terra