Projeto Capoeira das Escolas atende seis mil crianças da rede municipal de Campina Grande

capoeira2Unir esporte e educação, como ferramenta pedagógica, para promover a diversidade cultural e o combate às diversas formas de discriminação. Esse é um dos objetivos do projeto Capoeira nas Escolas, presente em todas as escolas e em oito creches da rede municipal de ensino de Campina Grande. Ao todo, mais de seis mil crianças são atendidas atualmente pelo projeto.

Nas creches, o projeto conta com a participação de crianças a partir dos dois anos de idade. Já nas escolas, a capoeira atende crianças e adolescentes com até 16 anos. O Capoeira nas Escolas é desenvolvido por meio da parceria entre a Secretaria de Educação da Prefeitura de Campina Grande e a União dos Capoeiras do Planalto da Borborema (UCPB). A iniciativa conta também com o apoio do Instituto Alpargatas.

O projeto dispõe atualmente de 32 profissionais, divididos em nove grupos de capoeira, com a coordenação geral do mestre Rosemberg Alves Pequeno. “Com o projeto Capoeira nas Escolas, temos conseguido melhorar a disciplina dos estudantes e combater casos de violência escolar, promovendo a cultura de paz. A Capoeira também está ajudando a reduzir a evasão escolar”, informou mestre Pequeno.

O Projeto Capoeira nas Escolas também atua no cumprimento e execução das Leis Federais Nº 10.639/03 e Nº 11.645/08, que dispõem sobre a obrigatoriedade do estudo de história e cultura afro-brasileira e indígena nos estabelecimentos de ensino fundamental e médio de todo o país, tanto na rede pública quanto nos educandários mantidos pela iniciativa privada.

“A força da capoeira ritualiza a identidade do povo negro. O Projeto Capoeira nas Escolas, juntamente com o Programa Educação pela Cultura, trazem para a educação um recorte de nossas raízes, crenças e saberes que constituem o nosso povo. Por isso a prática da capoeira na rede municipal é fundamental para consolidar o trabalho efetivo da Secretaria de Educação, na execução das Leis 10.639/03 e 11.645/08”, avalia a professora Iolanda Barbosa, secretária de educação da Prefeitura de Campina Grande.

O cronograma de realização das atividades do Projeto Capoeira nas Escolas varia de acordo com a realidade de cada unidade, adequando-se ao cotidiano escolar. As aulas de capoeira acontecem até duas vezes por semana em cada escola, sendo ministradas no contra turno ou, em determinados casos, encaixando-se no turno regular. “A capoeira dialoga com várias disciplinas, num trabalho interdisciplinar”, afirma mestre Pequeno.

capoeira2Unir esporte e educação, como ferramenta pedagógica, para promover a diversidade cultural e o combate às diversas formas de discriminação. Esse é um dos objetivos do projeto Capoeira nas Escolas, presente em todas as escolas e em oito creches da rede municipal de ensino de Campina Grande. Ao todo, mais de seis mil crianças são atendidas atualmente pelo projeto.

Nas creches, o projeto conta com a participação de crianças a partir dos dois anos de idade. Já nas escolas, a capoeira atende crianças e adolescentes com até 16 anos. O Capoeira nas Escolas é desenvolvido por meio da parceria entre a Secretaria de Educação da Prefeitura de Campina Grande e a União dos Capoeiras do Planalto da Borborema (UCPB). A iniciativa conta também com o apoio do Instituto Alpargatas.

O projeto dispõe atualmente de 32 profissionais, divididos em nove grupos de capoeira, com a coordenação geral do mestre Rosemberg Alves Pequeno. “Com o projeto Capoeira nas Escolas, temos conseguido melhorar a disciplina dos estudantes e combater casos de violência escolar, promovendo a cultura de paz. A Capoeira também está ajudando a reduzir a evasão escolar”, informou mestre Pequeno.

O Projeto Capoeira nas Escolas também atua no cumprimento e execução das Leis Federais Nº 10.639/03 e Nº 11.645/08, que dispõem sobre a obrigatoriedade do estudo de história e cultura afro-brasileira e indígena nos estabelecimentos de ensino fundamental e médio de todo o país, tanto na rede pública quanto nos educandários mantidos pela iniciativa privada.

“A força da capoeira ritualiza a identidade do povo negro. O Projeto Capoeira nas Escolas, juntamente com o Programa Educação pela Cultura, trazem para a educação um recorte de nossas raízes, crenças e saberes que constituem o nosso povo. Por isso a prática da capoeira na rede municipal é fundamental para consolidar o trabalho efetivo da Secretaria de Educação, na execução das Leis 10.639/03 e 11.645/08”, avalia a professora Iolanda Barbosa, secretária de educação da Prefeitura de Campina Grande.

O cronograma de realização das atividades do Projeto Capoeira nas Escolas varia de acordo com a realidade de cada unidade, adequando-se ao cotidiano escolar. As aulas de capoeira acontecem até duas vezes por semana em cada escola, sendo ministradas no contra turno ou, em determinados casos, encaixando-se no turno regular. “A capoeira dialoga com várias disciplinas, num trabalho interdisciplinar”, afirma mestre Pequeno.