Preço da cesta básica cai em 13 cidades em setembro, diz Dieese

caiuO preço da cesta básica em setembro caiu em 13 das 18 cidades pesquisadas pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Os maiores recuos partiram de Belém (-4,56%), Fortaleza (-3,88%), Recife (-3,50%) e Goiânia (-2,96%).
Por outro lado, as altas foram registradas em Belo Horizonte (0,23%), Curitiba (0,44%), Rio de Janeiro (0,74%), Vitória (0,99%) e Florianópolis (2,77%).

Em setembro, Porto Alegre foi, novamente, a capital com a cesta com maior custo (R$ 385,70), seguido de São Paulo (R$ 383,21), Florianópolis (R$ 383,10) e Rio de Janeiro (R$ 362,90). Os menores valores médios foram observados em Aracaju (R$ 280,26), Natal (R$ 282,72) e Salvador (R$ 297,07).
Os produtos que ficaram mais caros foram: pão francês, café em pó, manteiga, carne bovina e batata, produto pesquisado nas regiões Centro-Sul.

“Apesar da expectativa de recorde na safra mundial e nacional de trigo, principal insumo do pão, existe a necessidade de importação do grão. Com a desvalorização do real frente ao dólar, o trigo ficou mais caro, o que tornou mais elevado o custo do pão francês”, explicou o Dieese.
Em 12 meses, as 18 cidades acumularam alta no preço da cesta básica. As variações ficaram entre 4,70%, em Recife, e 20,19%, em Aracaju. Nos nove primeiros meses de 2015, todas as cidades apresentaram aumentos, com destaque para as altas de Aracaju (14,07%), Curitiba (12,88%), Salvador (10,92%), Porto Alegre (10,66%) e João Pessoa (10,16%). As menores variações foram vistas em Brasília (2,61%) e Goiânia (3,32%).
G1

caiuO preço da cesta básica em setembro caiu em 13 das 18 cidades pesquisadas pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Os maiores recuos partiram de Belém (-4,56%), Fortaleza (-3,88%), Recife (-3,50%) e Goiânia (-2,96%).
Por outro lado, as altas foram registradas em Belo Horizonte (0,23%), Curitiba (0,44%), Rio de Janeiro (0,74%), Vitória (0,99%) e Florianópolis (2,77%).

Em setembro, Porto Alegre foi, novamente, a capital com a cesta com maior custo (R$ 385,70), seguido de São Paulo (R$ 383,21), Florianópolis (R$ 383,10) e Rio de Janeiro (R$ 362,90). Os menores valores médios foram observados em Aracaju (R$ 280,26), Natal (R$ 282,72) e Salvador (R$ 297,07).
Os produtos que ficaram mais caros foram: pão francês, café em pó, manteiga, carne bovina e batata, produto pesquisado nas regiões Centro-Sul.

“Apesar da expectativa de recorde na safra mundial e nacional de trigo, principal insumo do pão, existe a necessidade de importação do grão. Com a desvalorização do real frente ao dólar, o trigo ficou mais caro, o que tornou mais elevado o custo do pão francês”, explicou o Dieese.
Em 12 meses, as 18 cidades acumularam alta no preço da cesta básica. As variações ficaram entre 4,70%, em Recife, e 20,19%, em Aracaju. Nos nove primeiros meses de 2015, todas as cidades apresentaram aumentos, com destaque para as altas de Aracaju (14,07%), Curitiba (12,88%), Salvador (10,92%), Porto Alegre (10,66%) e João Pessoa (10,16%). As menores variações foram vistas em Brasília (2,61%) e Goiânia (3,32%).
G1