Luiz Carlos Miele morre no Rio. Artista tinha 77 anos e seu último trabalho na Globo foi em setembro

miele2O produtor musical, ator e diretor Luiz Carlos D’Ugo Miele, de 77 anos, foi encontrado morto em sua casa em São Conrado, Zona Sul do Rio, nesta quarta-feira (14). Bombeiros do quartel da Gávea foram acionados para uma ocorrência no local, mas Miele faleceu após sofrer um mal súbito, antes da chegada dos militares.
Segundo Vania Barbosa, empresária e amiga de Miele e da família, a esposa do artista o encontrou caído no chão do escritório na manhã desta quarta e chamou os bombeiros, que constataram o óbito ao chegarem em sua casa, em São Conrado. Segundo ela, o mal súbito que acometeu o diretor pegou parentes de surpresa.
“Aparentemente ele não tinha nenhum problema de saúde”, contou Vania ao G1. Às 11h, o corpo seguia no apartamento.
Nascido em 1938 em São Paulo, o artista, que começou a carreira como locutor de rádio, foi responsável por produzir shows de diversos cantores famosos. Ele se mudou para o Rio em 1959, onde trabalhou na TV Continental como diretor de estúdio.
Da amizade com Ronaldo Bôscoli, um dos principais nomes da Bossa Nova, passou a produzir shows no Beco das Garrafas — reduto que reuniu Sérgio Mendes, Elis Regina e Wilson Simonal. Com Bôscoli, foi dono da boate Monsieur Pujol, por onde passaram artistas como Ivan Lins, Stevie Wonder e Marcel Marceau.
Contratados pela Globo, Miele e Bôscoli produziram os programas “Alô, Dolly”, “Dick & Betty” e “Um Cantor por Dez Milhões, Dez Milhões por uma canção”. Na década de 1970, atuou como humorista em programas como “Faça Humor, Não Faça Guerra” e “Planeta dos Homens”.
“Miele é uma das figuras mais importantes do entretenimento brasileiro. Foi um cara que ajudou a desenvolver a linha de shows, sobretudo da TV Globo. Foi o homem que dirigiu o Roberto Carlos a vida inteira. Miele teve uma vida bem intensa, cheia de experiências. É uma figura emblemática do entretenimento pela relação que teve com vários artistas. [Foi] uma pessoa de excelente bom humor. Foi uma experiência mágica poder vê-lo em ação”, diz João Marcelo Bôscoli, filho de seu maior parceiro.
Nos meados de 2000, ele retomou a carreira na televisão. No seriado “Mandrake”, viveu o advogado Wexler. Na Rede Globo, em 2008, participou de “Casos & Acasos” e “Tapas e Beijos”. Na novela “Geração Brasil”, interpretou o milionário Jack Parker. Sua última participação foi no programa “Tomara que Caia”, em setembro.

VEJA O QUE PESSOAS QUE CONHECIAM MIELE COMENTARAM SOBRE A MORTE:

Simoninha, cantor, na Globo News
“Ele com certeza foi o gênio de um momento. Ele foi gigante no modelo dele. Tive a alegria de conviver com ele e de fazer muitos shows com ele. Ele tinha uma perspicâcia brilhante de fazer as coisas, indo além. Ele teve uma importância para o show-business e a cultura brilhante e não era devidamente reconhecido.”

João Marcelo Bôscoli, produtor, na GloboNews
“Ele é uma das figuras mais importantes do entretenimento brasileiro, na minha visão, nos últimos 50 anos. Ajudou a desenvolver a linha de shows, sobretudo da Rede Globo. Teve uma vida muito intensa, cheia de experiências. É uma figura emblemática do entretenimento brasileiro. Uma pessoa de excelente bom humor. Um paulista muito carioca. Tinha muita energia, muitos talentos, era muito musical e criativo. Cantava muito bem. Ele nunca parou de produzir.”

Serginho Groisman, apresentador, no Twitter
“Miele fez praticamente tudo no mundo do entretenimento. Divertiu a gente e se divertiu. Fica em paz.”

Mateus Solano, ator, no Twitter
“Faça uma linda viagem, Miele… Obrigado por tudo! Descanse em paz”

Carol Castro, atriz, no Twitter
“Descanse em paz Miele… Conforto pra família!

Bruno Mazzeo, ator, no Twitter
“Eu acredito que exista um Antonio’s no céu. Se existir mesmo, podem separar mais um lugar na mesa hoje. #Miele #RIP”

Hélio de la Peña, humorista, no Twitter
“Miele, the one man show brasileiro. Um mestre em entreter platéias. Grande figura!”

João Doria, publicitário
“Triste com a perda do meu querido amigo Luiz Carlos Miele. Produtor,diretor musical e ator, Miele deixa saudade.”

Celso Portiolli, animador, no Twitter
“Meus sentimentos à família Miele.”

Amaury Jr., apresentador, no Twitter
“O dia começa com a triste notícia do falecimento de Luiz Carlos Miele. Sem Miele. Vai com ele o humor mais refinado deste mundo.”

Paulinho Serra, humorista, no Twitter
“Se o Miele cantasse sertanejo talvez ele fosse homenageado por todos.”
G1

miele2O produtor musical, ator e diretor Luiz Carlos D’Ugo Miele, de 77 anos, foi encontrado morto em sua casa em São Conrado, Zona Sul do Rio, nesta quarta-feira (14). Bombeiros do quartel da Gávea foram acionados para uma ocorrência no local, mas Miele faleceu após sofrer um mal súbito, antes da chegada dos militares.
Segundo Vania Barbosa, empresária e amiga de Miele e da família, a esposa do artista o encontrou caído no chão do escritório na manhã desta quarta e chamou os bombeiros, que constataram o óbito ao chegarem em sua casa, em São Conrado. Segundo ela, o mal súbito que acometeu o diretor pegou parentes de surpresa.
“Aparentemente ele não tinha nenhum problema de saúde”, contou Vania ao G1. Às 11h, o corpo seguia no apartamento.
Nascido em 1938 em São Paulo, o artista, que começou a carreira como locutor de rádio, foi responsável por produzir shows de diversos cantores famosos. Ele se mudou para o Rio em 1959, onde trabalhou na TV Continental como diretor de estúdio.
Da amizade com Ronaldo Bôscoli, um dos principais nomes da Bossa Nova, passou a produzir shows no Beco das Garrafas — reduto que reuniu Sérgio Mendes, Elis Regina e Wilson Simonal. Com Bôscoli, foi dono da boate Monsieur Pujol, por onde passaram artistas como Ivan Lins, Stevie Wonder e Marcel Marceau.
Contratados pela Globo, Miele e Bôscoli produziram os programas “Alô, Dolly”, “Dick & Betty” e “Um Cantor por Dez Milhões, Dez Milhões por uma canção”. Na década de 1970, atuou como humorista em programas como “Faça Humor, Não Faça Guerra” e “Planeta dos Homens”.
“Miele é uma das figuras mais importantes do entretenimento brasileiro. Foi um cara que ajudou a desenvolver a linha de shows, sobretudo da TV Globo. Foi o homem que dirigiu o Roberto Carlos a vida inteira. Miele teve uma vida bem intensa, cheia de experiências. É uma figura emblemática do entretenimento pela relação que teve com vários artistas. [Foi] uma pessoa de excelente bom humor. Foi uma experiência mágica poder vê-lo em ação”, diz João Marcelo Bôscoli, filho de seu maior parceiro.
Nos meados de 2000, ele retomou a carreira na televisão. No seriado “Mandrake”, viveu o advogado Wexler. Na Rede Globo, em 2008, participou de “Casos & Acasos” e “Tapas e Beijos”. Na novela “Geração Brasil”, interpretou o milionário Jack Parker. Sua última participação foi no programa “Tomara que Caia”, em setembro.

VEJA O QUE PESSOAS QUE CONHECIAM MIELE COMENTARAM SOBRE A MORTE:

Simoninha, cantor, na Globo News
“Ele com certeza foi o gênio de um momento. Ele foi gigante no modelo dele. Tive a alegria de conviver com ele e de fazer muitos shows com ele. Ele tinha uma perspicâcia brilhante de fazer as coisas, indo além. Ele teve uma importância para o show-business e a cultura brilhante e não era devidamente reconhecido.”

João Marcelo Bôscoli, produtor, na GloboNews
“Ele é uma das figuras mais importantes do entretenimento brasileiro, na minha visão, nos últimos 50 anos. Ajudou a desenvolver a linha de shows, sobretudo da Rede Globo. Teve uma vida muito intensa, cheia de experiências. É uma figura emblemática do entretenimento brasileiro. Uma pessoa de excelente bom humor. Um paulista muito carioca. Tinha muita energia, muitos talentos, era muito musical e criativo. Cantava muito bem. Ele nunca parou de produzir.”

Serginho Groisman, apresentador, no Twitter
“Miele fez praticamente tudo no mundo do entretenimento. Divertiu a gente e se divertiu. Fica em paz.”

Mateus Solano, ator, no Twitter
“Faça uma linda viagem, Miele… Obrigado por tudo! Descanse em paz”

Carol Castro, atriz, no Twitter
“Descanse em paz Miele… Conforto pra família!

Bruno Mazzeo, ator, no Twitter
“Eu acredito que exista um Antonio’s no céu. Se existir mesmo, podem separar mais um lugar na mesa hoje. #Miele #RIP”

Hélio de la Peña, humorista, no Twitter
“Miele, the one man show brasileiro. Um mestre em entreter platéias. Grande figura!”

João Doria, publicitário
“Triste com a perda do meu querido amigo Luiz Carlos Miele. Produtor,diretor musical e ator, Miele deixa saudade.”

Celso Portiolli, animador, no Twitter
“Meus sentimentos à família Miele.”

Amaury Jr., apresentador, no Twitter
“O dia começa com a triste notícia do falecimento de Luiz Carlos Miele. Sem Miele. Vai com ele o humor mais refinado deste mundo.”

Paulinho Serra, humorista, no Twitter
“Se o Miele cantasse sertanejo talvez ele fosse homenageado por todos.”
G1