Padre confessa sexo com coroinha em depoimento à polícia em MS. Garota de 16 anos está grávida. Padre diz que sexo era de comum acordo

coroinhaO padre Jocerlei José Tavares da paróquia Santa Rita de Cássia, em Campo Grande, confessou em depoimento à Polícia Civil, que teve relação sexual com uma adolescente de 16 anos, coroinha na mesma igreja. A garota está grávida do padre, que foi afastado das funções pela Arquidiocese de Campo Grande.
Ele foi ouvido essa semana na Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca). De acordo com a delegada Daniela Kades, que investiga o caso, o padre alegou que a relação era de comum acordo e que disse que vai assumir o filho.
Na época, o G1 entrou em contato com o padre Jocerlei. Por mensagem de texto, ele não comentou o afastamento ou o assunto e pediu que a reportagem falasse com o jurídico da Arquidiocese. A Igreja Católica permite que tanto menino quanto menina seja coroinha.
A mãe da garota disse à polícia que o padre mandava vídeos eróticos para a adolescente e pede que ele responde criminalmente por essa atitude. O celular da adolescente foi entregue à polícia e será periciado. O laudo deve ficar pronto em até 30 dias.
A delegada afirmou que, até o momento, não foi comprovado nenhum crime porque o Código Penal considera estupro de vulnerável praticar conjunção carnal ou outro ato libidinoso com menor de 14 anos ou pessoa com enfermidade ou deficiência mental, que não tem o necessário discernimento para a prática do ato, o que não é o caso da coroinha.
Ainda segundo Daniela, as conversas entre o padre e a garota, gravadas no celular, serão decisivas para a conclusão da investigação. Além do padre, também foram ouvidas na investigação a adolescente e a mãe dela. Outras duas testemunhas, indicadas pela mãe, devem prestar depoimento na próxima semana.

Afastamento
A Arquidiocese de Campo Grande anunciou, no dia 29 de setembro, o afastamento do padre Jocerlei José Tavares da paróquia Santa Rita de Cássia, por suspeita de envolvimento amoroso com adolescente, que está grávida. O comunicado foi assinado pelo arcebispo de Campo Grande, Dom Dimas Lara Barbosa.
Segundo a publicação, o padre vai prestar esclarecimentos à polícia, além de oferecer assistência à adolescente e ao bebê. Ainda conforme o comunicado, ele era membro da Província Nossa Senhora Conquistadora dos Padres e Irmãos Palotinos de Santa Maria (RS) e até então exercia funções de vigário paroquial da Paróquia Santa Rica de Cássia, na capital de Mato Grosso do Sul, ecônomo da Arquidiocese e secretário executivo do regional oeste 1 da CNBB (Confederação Nacional dos Bispos do Brasil).
G1

coroinhaO padre Jocerlei José Tavares da paróquia Santa Rita de Cássia, em Campo Grande, confessou em depoimento à Polícia Civil, que teve relação sexual com uma adolescente de 16 anos, coroinha na mesma igreja. A garota está grávida do padre, que foi afastado das funções pela Arquidiocese de Campo Grande.
Ele foi ouvido essa semana na Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca). De acordo com a delegada Daniela Kades, que investiga o caso, o padre alegou que a relação era de comum acordo e que disse que vai assumir o filho.
Na época, o G1 entrou em contato com o padre Jocerlei. Por mensagem de texto, ele não comentou o afastamento ou o assunto e pediu que a reportagem falasse com o jurídico da Arquidiocese. A Igreja Católica permite que tanto menino quanto menina seja coroinha.
A mãe da garota disse à polícia que o padre mandava vídeos eróticos para a adolescente e pede que ele responde criminalmente por essa atitude. O celular da adolescente foi entregue à polícia e será periciado. O laudo deve ficar pronto em até 30 dias.
A delegada afirmou que, até o momento, não foi comprovado nenhum crime porque o Código Penal considera estupro de vulnerável praticar conjunção carnal ou outro ato libidinoso com menor de 14 anos ou pessoa com enfermidade ou deficiência mental, que não tem o necessário discernimento para a prática do ato, o que não é o caso da coroinha.
Ainda segundo Daniela, as conversas entre o padre e a garota, gravadas no celular, serão decisivas para a conclusão da investigação. Além do padre, também foram ouvidas na investigação a adolescente e a mãe dela. Outras duas testemunhas, indicadas pela mãe, devem prestar depoimento na próxima semana.

Afastamento
A Arquidiocese de Campo Grande anunciou, no dia 29 de setembro, o afastamento do padre Jocerlei José Tavares da paróquia Santa Rita de Cássia, por suspeita de envolvimento amoroso com adolescente, que está grávida. O comunicado foi assinado pelo arcebispo de Campo Grande, Dom Dimas Lara Barbosa.
Segundo a publicação, o padre vai prestar esclarecimentos à polícia, além de oferecer assistência à adolescente e ao bebê. Ainda conforme o comunicado, ele era membro da Província Nossa Senhora Conquistadora dos Padres e Irmãos Palotinos de Santa Maria (RS) e até então exercia funções de vigário paroquial da Paróquia Santa Rica de Cássia, na capital de Mato Grosso do Sul, ecônomo da Arquidiocese e secretário executivo do regional oeste 1 da CNBB (Confederação Nacional dos Bispos do Brasil).
G1