Rússia destrói mil caminhões do EI que carregavam petroléo

Aviões russos destruíram nos últimos cinco dias mais de mil caminhões-pipa usados pelo Estado Islâmico (EI) para transportar petróleo, informou nesta segunda-feira (23) o Ministério da Defesa da Rússia em comunicado.
O porta-voz do ministério, general Igor Konashenkov, afirmou que perto da cidade de Al Raqqa, a “capital” do EI na Síria, duas colunas de caminhões-pipa que transportavam o produto foram detectadas, sendo atacadas por caças-bombardeiros Su-34. Só nesta missão, destacou, foram destruídos mais de 80 veículos.
Pouco antes, Konashenkov informou que foram realizados quase 500 ataques contra instalações dos grupos terroristas que atuam na Síria no último fim de semana nas províncias de Aleppo, Damasco, Idlib, Latakia, Homs, Raqqa e Deir ez Zor.
O presidente russo, Vladimir Putin, ordenou na última terça-feira´(17) ataques maciços contra o Estado Islâmico (EI) depois da divulgação que o avião russo que caiu na Península do Sinai, com 224 pessoas a bordo, foi derrubado por terroristas.
O EI publicou fotografias da suposta bomba fabricado com uma lata refrigerante e anunciou que a Rússia se transformou em alvo prioritário de seus ataques depois que o Kremlin decidir intervir militarmente em apoio do líder sírio, Bashar al Assad.
Depois dos atentados de Paris, Putin acertou coordenar as ações militares na Síria com a França, cujo presidente, François Hollande, visitará Moscou na próxima quinta-feira.
Terra

Aviões russos destruíram nos últimos cinco dias mais de mil caminhões-pipa usados pelo Estado Islâmico (EI) para transportar petróleo, informou nesta segunda-feira (23) o Ministério da Defesa da Rússia em comunicado.
O porta-voz do ministério, general Igor Konashenkov, afirmou que perto da cidade de Al Raqqa, a “capital” do EI na Síria, duas colunas de caminhões-pipa que transportavam o produto foram detectadas, sendo atacadas por caças-bombardeiros Su-34. Só nesta missão, destacou, foram destruídos mais de 80 veículos.
Pouco antes, Konashenkov informou que foram realizados quase 500 ataques contra instalações dos grupos terroristas que atuam na Síria no último fim de semana nas províncias de Aleppo, Damasco, Idlib, Latakia, Homs, Raqqa e Deir ez Zor.
O presidente russo, Vladimir Putin, ordenou na última terça-feira´(17) ataques maciços contra o Estado Islâmico (EI) depois da divulgação que o avião russo que caiu na Península do Sinai, com 224 pessoas a bordo, foi derrubado por terroristas.
O EI publicou fotografias da suposta bomba fabricado com uma lata refrigerante e anunciou que a Rússia se transformou em alvo prioritário de seus ataques depois que o Kremlin decidir intervir militarmente em apoio do líder sírio, Bashar al Assad.
Depois dos atentados de Paris, Putin acertou coordenar as ações militares na Síria com a França, cujo presidente, François Hollande, visitará Moscou na próxima quinta-feira.
Terra