Microcefalia: Secretaria Municipal de Saúde divulga boletim epidemiológico

De acordo com o último boletim epidemiológico divulgado nesta terça-feira, 24, pela Secretaria Municipal de Saúde, até o dia 23 de novembro deste ano, dezoito bebês nasceram com microcefalia na cidade.

Em apenas um destes casos, a gestante reside em Campina Grande e as demais são de outros municípios paraibanos. O boletim informa ainda que treze fetos também foram diagnosticados com a má-formação congênita, a partir de exames realizados em gestantes no município, que já estão sendo acompanhadas.

Por causa do surto de microcefalia, desde a semana passada o prefeito Romero Rodrigues vem adotando medidas emergenciais de assistência às gestantes.

Uma delas foi a criação de um ambulatório especializado para atendimento às grávidas que tiveram sintomas de Zika vírus durante a gestação e àquelas cujos bebês que já tiveram diagnóstico confirmado de microcefalia. O serviço está funcionando no Hospital Municipal Pedro I, desde esta segunda-feira, e já atendeu 31 pacientes.

O ambulatório do Hospital Pedro I conta com dois consultórios onde estão sendo disponibilizados atendimentos com obstetra, enfermeiro, assistente social e psicólogo para as gestantes.

Os profissionais da unidade também fazem encaminhamentos para realização de exames especializados. O serviço está sendo preparado para oferecer assistência de neuropediatra, fonoaudiologia e fisioterapia às crianças que nascem com microcefalia. Os atendimentos no local devem ser referenciados pelas Unidades Básicas de Saúde.

Zika vírus – Exames constataram a presença do genoma do vírus Zika em amostras de duas gestantes da Paraíba, cujos fetos foram confirmados com microcefalia através de exames de ultrassonografia.

O material genético (RNA) do vírus foi detectado em amostras de líquido amniótico, coletado pela médica Adriana Melo, do Instituto de Saúde Elpídio de Almeida – Isea, que integra o comitê municipal criado para acompanhar os casos de microcefalia.

Para combater a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor do Zika vírus, Dengue e Chikungunya, a Prefeitura colocou dois carros tipo fumacê circulando na cidade.

Também estão sendo realizados mutirões de limpeza e conscientização nos bairros que apresentaram maior índices de infestação do mosquito e nas comunidades onde foram notificados mais casos suspeitos das doenças. O primeiro mutirão aconteceu nesta segunda no bairro das Malvinas. A próxima ação será na Liberdade, na sexta-feira, 27, a partir das 8h.

De acordo com o último boletim epidemiológico divulgado nesta terça-feira, 24, pela Secretaria Municipal de Saúde, até o dia 23 de novembro deste ano, dezoito bebês nasceram com microcefalia na cidade.

Em apenas um destes casos, a gestante reside em Campina Grande e as demais são de outros municípios paraibanos. O boletim informa ainda que treze fetos também foram diagnosticados com a má-formação congênita, a partir de exames realizados em gestantes no município, que já estão sendo acompanhadas.

Por causa do surto de microcefalia, desde a semana passada o prefeito Romero Rodrigues vem adotando medidas emergenciais de assistência às gestantes.

Uma delas foi a criação de um ambulatório especializado para atendimento às grávidas que tiveram sintomas de Zika vírus durante a gestação e àquelas cujos bebês que já tiveram diagnóstico confirmado de microcefalia. O serviço está funcionando no Hospital Municipal Pedro I, desde esta segunda-feira, e já atendeu 31 pacientes.

O ambulatório do Hospital Pedro I conta com dois consultórios onde estão sendo disponibilizados atendimentos com obstetra, enfermeiro, assistente social e psicólogo para as gestantes.

Os profissionais da unidade também fazem encaminhamentos para realização de exames especializados. O serviço está sendo preparado para oferecer assistência de neuropediatra, fonoaudiologia e fisioterapia às crianças que nascem com microcefalia. Os atendimentos no local devem ser referenciados pelas Unidades Básicas de Saúde.

Zika vírus – Exames constataram a presença do genoma do vírus Zika em amostras de duas gestantes da Paraíba, cujos fetos foram confirmados com microcefalia através de exames de ultrassonografia.

O material genético (RNA) do vírus foi detectado em amostras de líquido amniótico, coletado pela médica Adriana Melo, do Instituto de Saúde Elpídio de Almeida – Isea, que integra o comitê municipal criado para acompanhar os casos de microcefalia.

Para combater a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor do Zika vírus, Dengue e Chikungunya, a Prefeitura colocou dois carros tipo fumacê circulando na cidade.

Também estão sendo realizados mutirões de limpeza e conscientização nos bairros que apresentaram maior índices de infestação do mosquito e nas comunidades onde foram notificados mais casos suspeitos das doenças. O primeiro mutirão aconteceu nesta segunda no bairro das Malvinas. A próxima ação será na Liberdade, na sexta-feira, 27, a partir das 8h.