Fla aprova patrocínio de banco e vai receber R$ 7,5 milhões em fevereiro

O Conselho Deliberativo do Flamengo aprovou na noite dessa segunda-feira a renovação de patrocínio da Caixa Econômica Federal por R$ 25 milhões. O pagamento será dividido em quatro parcelas – a primeira de R$ 7,5 milhões em fevereiro, a segunda de R$ 5 milhões em maio, a terceira de R$ 7,5 milhões em setembro e a última delas deve cair em janeiro do ano que vem – com vencimento dia 31 de dezembro deste ano. O contrato com o principal patrocinador da camisa vai até o último dia de 2016 e, até agora, é o único que vai estampar o uniforme do clube em 2016.

As negociações com a Jeep não estão encerradas, mas no clube há pequena esperança de que a montadora – controlada pela Fiat – volte a investir no Flamengo este ano. O clube chegou a flertar com a Corr Plastik, a quem ofereceu “degustação” na Copa São Paulo de juniores, mas as conversas não avançaram. A empresa, que patrocinou o Santos nos últimos três anos, mas ainda não renovou com o Peixe, respondeu ao GloboEsporte.com que estão “avaliando várias possibilidades e no caso específico do Flamengo foi uma oportunidade de avaliar sua dimensão e amplitude através de jogos da Copinha SP.”

No ano passado a Jeep pagava R$ 4,5 milhões para ocupar a barra da camisa. Neste ano, apesar da redução de R$ 3 milhões no orçamento do uniforme, exposto no orçamento do clube, o Flamengo espera arrecadar R$ 5 milhões com a barra, R$ 9 milhões com as costas da camisa e mais R$ 8 milhões com o espaço das mangas.

Na Gávea, há otimismo em anunciar novo parceiro até o fim do mês, mas também ceticismo entre aqueles que apostam em novidade apenas para o Campeonato Brasileiro. O clube já recusou valores abaixo do que desejava e tem preocupação de não baixar o “preço” da camisa, mesmo em momento de crise. Em entrevista recente ao GloboEsporte.com, o vice-presidente de marketing manifestou confiança em captar verbas para o uniforme.
– O mercado está difícil para todo mundo. Será um ano muito complicado em todos os setores, não só no futebol. Com a instabilidade econômica, todos estão no modo de espera. Então isso acaba tomando mais tempo para fechar as coisas. Mas é o que costumamos dizer: se está difícil para o Flamengo, é muito mais difícil para os outros clubes – dizia há duas semanas José Sabino.

Novo empréstimo

Previsto no orçamento para 2016, o Conselho de Administração do Flamengo aprovou nova captação de empréstimo – depois de R$ 10 milhões, mais R$ 5 milhões agora – na reunião do último dia 28 de janeiro. Inicialmente a verba viria apenas de pessoas físicas, mas o departamento financeiro do clube relatou dificuldade em conseguir a captação – após atingir R$ 5 milhões, a partir de cotas mínimas de R$ 100 mil – e conseguiu aprovar aditivo que inclui autorização de participação de pessoas jurídicas e fundos de investimento na operação.
No orçamento do clube, há previsão de R$ 40 milhões em empréstimos – R$ 15 milhões em janeiro. O reforço no caixa neste momento serve para diversos compromissos, desde fluxo de caixa até pagamento de contratações do ano passado e deste ano. O clube comprou 60% do goleiro Alex Muralha, 50% do lateral Rodinei, 90% de Mancuello e 70% de Cuéllar, dividindo a maior parte das aquisições em parcelas ao longo de 2017.
A operação de captação de empréstimo é realizada pelo banco Brasil Plural. A instituição financeira, que tem como sócio minoritário e diretor executivo o vice-presidente de finanças Claudio Pracownik, emprestou R$ 3 milhões ao clube no ano passado para cobrir o desfalque do atraso do ex-patrocinador Vitton 44, e agora é responsável pela atração desses recursos os cofres rubro-negros. A garantia para cobrir os empréstimos vem da renda do programa sócio-torcedor do Flamengo.
Globoesporte

Banner Add

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial