Jorginho toma celular de Nenê, que transmitia ao vivo treino em rede social

jorginhoO treino do Vasco nesta terça-feira de carnaval teve ambiente leve, poucos torcedores presentes, rachão e um fato inusitado. De dentro do campo, Nenê começou a transmitir ao vivo a atividade em uma rede social. Quando chegou a hora de praticar cobranças de falta, porém, Jorginho entrou em cena e tomou o celular das mãos do camisa 10, avisando que aquele momento precisava de concentração – o restante da atividade foi recreativa. Nenê teve ótimo aproveitamento nas cobranças, e o técnico não deu qualquer pista sobre a equipe que usará nesta quarta-feira, contra o Volta Redonda, às 19h30 (de Brasília), em São Januário.
– É possível, desde que seja justamente o recreativo. Mas tomei o celular da mão dele e coloquei no meu bolso. Ali, na questão da falta, é muito importante se concentrar. Tudo tem de ser dosado. O atleta sabe o momento que pode, e o momento que não deve – explicou Jorginho, posteriormente em entrevista coletiva.
Nas imagens publicadas, Nenê anuncia estar transmitindo direto do treino. Tem um breve bate papo com o zagueiro Rodrigo, que o desafia a admitir a derrota no rachão. O defensor, inclusive, depois de marcar gol de falta, o cobra a fazer o mesmo. “Uma cornetada”, como diz. O meia ainda brinca com o goleiro Gabriel, que estava no gol durante as cobranças de faltas.
Ao adotar mistério na escalação, visando o jogo da terceira rodada do estadual, Jorginho disse somente que todo mundo já conhece o time do Vasco. Mas que existe a possibilidade de mudanças – o técnico fechou o treino tático realizado na segunda-feira, só permitindo entrada de jornalistas do clube para a entrevista coletiva de Riascos. O colombiano, aliás, ouvirá cobranças na concentração por conta do cartão em comemoração de gol que o deixou como único pendurado para esta quarta.

Confira a íntegra da coletiva de Jorginho:

Sinceridade com equipe sobre bom momento

Não existe esconder nada da equipe, temos conversado bastante com os jogadores, estamos sendo bem sinceros, de que estamos longe do ideal. Os resultados foram importantes, mas precisamos corrigir várias coisas. Isso é normal em início de temporada. Eles surpreenderam fisicamente, foram muito bem nessa parte, e deram uma boa resposta na parte tática, mas está longe do ideal. Não existe nenhum tipo de euforia. Contra o Madureira, fomos bem claros, a realidade do jogo não foi 4 a 1. Eles poderiam ter empatado aquele jogo. Marcaram a gente em cima. O América também, campo ruim, superamos dificuldades. Para a gente é ótimo ter conquistado os seis pontos, mas não quer dizer nada. Também não é verdade dizer que não pegamos uma prova difícil, o Madureira sempre cria dificuldades, com uma equipe muito boa. O América também. Nenhuma euforia, nada a esconder, a equipe é essa, todo mundo conhece. Mas não estamos satisfeitos, queremos mais.

Ambiente

Acho que isso foi criado com o tempo, mesmo com uma pressão muito grande no ano passado conseguimos fazer o ambiente ficar mais leve. Todo o trabalho é com seriedade, menos os recreativos. Mas, não sei se vocês percebem, eles levam a sério, porque é o mesmo time ali até o fim do ano. Para a gente é brincadeira, para eles é muito sério. Mas é bom ver o ambiente, e hoje foi possível dar esse recreativo.

Transmissão ao vivo de Nenê

É possível, desde que seja justamente o recreativo. Mas tomei o celular da mão dele e coloquei no meu bolso. Ali, na questão da falta, é muito importante se concentrar. Tudo tem de ser dosado. O atleta sabe o momento que pode, e o momento que não deve.

Previsões para o Carioca

O melhor vai ser o campeão, acho que não tem como dizer isso agora. Muito cedo, muito precoce. Seria uma inverdade.

Riascos pendurado

Vamos falar sobre isso no momento certo, hoje na concentração, veremos a equipe do Volta Redonda, a nossa, ele já sabe, mas é importante alertá-lo. Dá muita chance a um adversário ficar fora de um jogo porque tirou a camisa. A gente sabe da emoção do jogador, mas já é pré-determinado, então é algo que vamos falar seriamente para que não aconteça.

Informações por email para jogadores

A gente está observando, todos juntos, os jogadores têm recebido todas as informações da equipe que vamos jogar por email, quase que um compacto, momentos positivos e negativos daquela equipe. Na concentração, em cima desse papo, a gente define as necessidades, as mudanças.

Clássico contra o Flamengo

Eu não penso no outro jogo, só penso no jogo do Volta Redonda. A gente já viu que é uma equipe muito perigosa, surpreendeu o Fluminense, e a gente não quer ser surpreendido.

Como lidar com celulares

Tomei (do Nenê) numa brincadeira, mas ao mesmo tempo falando da importância de concentrar na hora do treinamento. A gente tem de conviver, eu sou um pouco mais velho, ainda tenho de me acostumar. Mudou, não tem mais resenha. É preciso voltar isso um pouco. A gente pede que os jogadores não fiquem mexendo muito no telefone, principalmente no momento ali de jantar, e isso faz com que a gente mantenha um bom ambiente, uma comunicação muito boa.
Globoesporte

jorginhoO treino do Vasco nesta terça-feira de carnaval teve ambiente leve, poucos torcedores presentes, rachão e um fato inusitado. De dentro do campo, Nenê começou a transmitir ao vivo a atividade em uma rede social. Quando chegou a hora de praticar cobranças de falta, porém, Jorginho entrou em cena e tomou o celular das mãos do camisa 10, avisando que aquele momento precisava de concentração – o restante da atividade foi recreativa. Nenê teve ótimo aproveitamento nas cobranças, e o técnico não deu qualquer pista sobre a equipe que usará nesta quarta-feira, contra o Volta Redonda, às 19h30 (de Brasília), em São Januário.
– É possível, desde que seja justamente o recreativo. Mas tomei o celular da mão dele e coloquei no meu bolso. Ali, na questão da falta, é muito importante se concentrar. Tudo tem de ser dosado. O atleta sabe o momento que pode, e o momento que não deve – explicou Jorginho, posteriormente em entrevista coletiva.
Nas imagens publicadas, Nenê anuncia estar transmitindo direto do treino. Tem um breve bate papo com o zagueiro Rodrigo, que o desafia a admitir a derrota no rachão. O defensor, inclusive, depois de marcar gol de falta, o cobra a fazer o mesmo. “Uma cornetada”, como diz. O meia ainda brinca com o goleiro Gabriel, que estava no gol durante as cobranças de faltas.
Ao adotar mistério na escalação, visando o jogo da terceira rodada do estadual, Jorginho disse somente que todo mundo já conhece o time do Vasco. Mas que existe a possibilidade de mudanças – o técnico fechou o treino tático realizado na segunda-feira, só permitindo entrada de jornalistas do clube para a entrevista coletiva de Riascos. O colombiano, aliás, ouvirá cobranças na concentração por conta do cartão em comemoração de gol que o deixou como único pendurado para esta quarta.

Confira a íntegra da coletiva de Jorginho:

Sinceridade com equipe sobre bom momento

Não existe esconder nada da equipe, temos conversado bastante com os jogadores, estamos sendo bem sinceros, de que estamos longe do ideal. Os resultados foram importantes, mas precisamos corrigir várias coisas. Isso é normal em início de temporada. Eles surpreenderam fisicamente, foram muito bem nessa parte, e deram uma boa resposta na parte tática, mas está longe do ideal. Não existe nenhum tipo de euforia. Contra o Madureira, fomos bem claros, a realidade do jogo não foi 4 a 1. Eles poderiam ter empatado aquele jogo. Marcaram a gente em cima. O América também, campo ruim, superamos dificuldades. Para a gente é ótimo ter conquistado os seis pontos, mas não quer dizer nada. Também não é verdade dizer que não pegamos uma prova difícil, o Madureira sempre cria dificuldades, com uma equipe muito boa. O América também. Nenhuma euforia, nada a esconder, a equipe é essa, todo mundo conhece. Mas não estamos satisfeitos, queremos mais.

Ambiente

Acho que isso foi criado com o tempo, mesmo com uma pressão muito grande no ano passado conseguimos fazer o ambiente ficar mais leve. Todo o trabalho é com seriedade, menos os recreativos. Mas, não sei se vocês percebem, eles levam a sério, porque é o mesmo time ali até o fim do ano. Para a gente é brincadeira, para eles é muito sério. Mas é bom ver o ambiente, e hoje foi possível dar esse recreativo.

Transmissão ao vivo de Nenê

É possível, desde que seja justamente o recreativo. Mas tomei o celular da mão dele e coloquei no meu bolso. Ali, na questão da falta, é muito importante se concentrar. Tudo tem de ser dosado. O atleta sabe o momento que pode, e o momento que não deve.

Previsões para o Carioca

O melhor vai ser o campeão, acho que não tem como dizer isso agora. Muito cedo, muito precoce. Seria uma inverdade.

Riascos pendurado

Vamos falar sobre isso no momento certo, hoje na concentração, veremos a equipe do Volta Redonda, a nossa, ele já sabe, mas é importante alertá-lo. Dá muita chance a um adversário ficar fora de um jogo porque tirou a camisa. A gente sabe da emoção do jogador, mas já é pré-determinado, então é algo que vamos falar seriamente para que não aconteça.

Informações por email para jogadores

A gente está observando, todos juntos, os jogadores têm recebido todas as informações da equipe que vamos jogar por email, quase que um compacto, momentos positivos e negativos daquela equipe. Na concentração, em cima desse papo, a gente define as necessidades, as mudanças.

Clássico contra o Flamengo

Eu não penso no outro jogo, só penso no jogo do Volta Redonda. A gente já viu que é uma equipe muito perigosa, surpreendeu o Fluminense, e a gente não quer ser surpreendido.

Como lidar com celulares

Tomei (do Nenê) numa brincadeira, mas ao mesmo tempo falando da importância de concentrar na hora do treinamento. A gente tem de conviver, eu sou um pouco mais velho, ainda tenho de me acostumar. Mudou, não tem mais resenha. É preciso voltar isso um pouco. A gente pede que os jogadores não fiquem mexendo muito no telefone, principalmente no momento ali de jantar, e isso faz com que a gente mantenha um bom ambiente, uma comunicação muito boa.
Globoesporte