Morre irmão de Fidel Castro, em Cuba

Ramón Castro, irmão mais velho dos líderes de Cuba Fidel e Raúl Castro, morreu nesta terça-feira (23) em Havana aos 91 anos de idade, informou a imprensa oficial.
A morte de Ramón Castro aconteceu pela manhã, segundo a televisão estatal e o site do jornal “Granma”. A causa da morte, no entanto, não foi divulgada.
Seus restos foram incinerados e serão transferidos a Birán, local de nascimento dos Castro na província oriental de Holguín.
Nascido em 14 de outubro de 1924, Ramón foi preso em 1953, durante o governo de Fulgêncio Batista e cooperou com a guerrilha liderada por seu irmão, Fidel, e o Movimento 26 de Julho. Ele organizou uma das redes de provisões que abasteciam a II Frente Oriental dos rebeldes.
Após o triunfo da revolução, desempenhou diversas atividades no setor agropecuário – na lavoura de cana-de-açúcar e na criação de gado – e foi diretor do Plano Especial Genético de Valle de Picadura e assessor dos ministros da Agricultura e do Açúcar.
Segundo as informações oficiais, o irmão de Fidel e Raúl recebeu do governo cubano “diferentes reconhecimentos e ostentava o título de Herói do Trabalho da República de Cuba”.
Ele era o mais velho dos filhos do casal Ángel Castro, espanhol, e Lina Ruz, cubana – pais também de Angelita (falecida em 2012), Fidel, Juanita, Emma, Raúl e Agostiniana.
G1

Ramón Castro, irmão mais velho dos líderes de Cuba Fidel e Raúl Castro, morreu nesta terça-feira (23) em Havana aos 91 anos de idade, informou a imprensa oficial.
A morte de Ramón Castro aconteceu pela manhã, segundo a televisão estatal e o site do jornal “Granma”. A causa da morte, no entanto, não foi divulgada.
Seus restos foram incinerados e serão transferidos a Birán, local de nascimento dos Castro na província oriental de Holguín.
Nascido em 14 de outubro de 1924, Ramón foi preso em 1953, durante o governo de Fulgêncio Batista e cooperou com a guerrilha liderada por seu irmão, Fidel, e o Movimento 26 de Julho. Ele organizou uma das redes de provisões que abasteciam a II Frente Oriental dos rebeldes.
Após o triunfo da revolução, desempenhou diversas atividades no setor agropecuário – na lavoura de cana-de-açúcar e na criação de gado – e foi diretor do Plano Especial Genético de Valle de Picadura e assessor dos ministros da Agricultura e do Açúcar.
Segundo as informações oficiais, o irmão de Fidel e Raúl recebeu do governo cubano “diferentes reconhecimentos e ostentava o título de Herói do Trabalho da República de Cuba”.
Ele era o mais velho dos filhos do casal Ángel Castro, espanhol, e Lina Ruz, cubana – pais também de Angelita (falecida em 2012), Fidel, Juanita, Emma, Raúl e Agostiniana.
G1