Austrália analisa se destroço achado nas Ilhas Maurício é do voo MH370

O governo da Austrália informou neste domingo (3) que trabalha com a Malásia para verificar se uma peça de metal encontrada nas Ilhas Maurício, no leste da África, pertence ao interior do avião do voo MH370, da Malaysia Airlines, que desapareceu há mais de dois anos com 239 pessoas a bordo.
“Esse é um objeto de interesse. No entanto, até ser analisado por especialistas, não é possível assegurar a origem”, afirmou o ministro de Transporte da Austrália, Darren Chester, em nota.
O fragmento foi descoberto na praia da ilha Rodrigues por dois hóspedes do hotel Mourouk Ebony e foi recolhido pela polícia para análise.
Em março, as autoridades recuperaram outras quatro pedaços de avião no litoral africano que podem ser do voo MH370. Todos estão sendo analisados para confirmar a origem.
O mesmo ministro australiano, Darren Chester, disse que dois destroços encontrados em Moçambique são “altamente parecidos” com o do avião da Malaysia Airlines, sendo “quase certamente” do MH370.
As cinco peças se unem ao fragmento de asa que foi localizado em julho passado na Ilha Reunião, ao leste de Madagascar, que foi o primeiro indício tangível de que o Boeing 777 da companhia aérea malaia caiu no Oceano Índico.
A Austrália lidera uma operação, que conta com a participação da Malásia e da China, para procurar os restos do avião em uma área 120 mil quilômetros quadrados no Índico.
G1

O governo da Austrália informou neste domingo (3) que trabalha com a Malásia para verificar se uma peça de metal encontrada nas Ilhas Maurício, no leste da África, pertence ao interior do avião do voo MH370, da Malaysia Airlines, que desapareceu há mais de dois anos com 239 pessoas a bordo.
“Esse é um objeto de interesse. No entanto, até ser analisado por especialistas, não é possível assegurar a origem”, afirmou o ministro de Transporte da Austrália, Darren Chester, em nota.
O fragmento foi descoberto na praia da ilha Rodrigues por dois hóspedes do hotel Mourouk Ebony e foi recolhido pela polícia para análise.
Em março, as autoridades recuperaram outras quatro pedaços de avião no litoral africano que podem ser do voo MH370. Todos estão sendo analisados para confirmar a origem.
O mesmo ministro australiano, Darren Chester, disse que dois destroços encontrados em Moçambique são “altamente parecidos” com o do avião da Malaysia Airlines, sendo “quase certamente” do MH370.
As cinco peças se unem ao fragmento de asa que foi localizado em julho passado na Ilha Reunião, ao leste de Madagascar, que foi o primeiro indício tangível de que o Boeing 777 da companhia aérea malaia caiu no Oceano Índico.
A Austrália lidera uma operação, que conta com a participação da Malásia e da China, para procurar os restos do avião em uma área 120 mil quilômetros quadrados no Índico.
G1