Começa instalação de chip em animais usados em carroças, em Campina Grande

chips2A partir desta quinta-feira (12), cerca de 600 Veículos de Tração Animal que circulam em Campina Grande terão que passar por um cadastramento no Centro de Zoonoses para que os animais utilizados recebam implantação de chips para monitoramento e controle. Quem não fizer o registro vai ser multado.

Os proprietários farão um cadastro social e as carroças receberão placas com numeração e faixas refletivas. A medida faz parte do Programa Municipal de Registro Geral de Animais e é necessário fazer o registro para continuar circulando na cidade. O prazo de cadastramento termina no dia 25 de maio.

A medida vai permitir que os profissionais da Secretaria Municipal de Saúde consigam informações sobre os animais de forma rápida como o nome do proprietário, por exemplo. Se os bichos forem abandonados ou sofrerem maus tratos, os donos serão identificados e responsabilizados.

Outro objetivo do cadastramento é de impedir que os burros e cavalos sejam utilizados sem nenhum tipo de descanso. O chip vai permitir monitorar os locais de circulação e os dias de uso do animal.

Segundo a prefeitura, os animais devem ficar sem circulação por pelo menos um dia na semana. A lei que determinar a chipagem em animais usados em veículos de tração animal também vai ser expandida posteriormente para o cadastramento de cães, gatos e gado do município.

chips2A partir desta quinta-feira (12), cerca de 600 Veículos de Tração Animal que circulam em Campina Grande terão que passar por um cadastramento no Centro de Zoonoses para que os animais utilizados recebam implantação de chips para monitoramento e controle. Quem não fizer o registro vai ser multado.

Os proprietários farão um cadastro social e as carroças receberão placas com numeração e faixas refletivas. A medida faz parte do Programa Municipal de Registro Geral de Animais e é necessário fazer o registro para continuar circulando na cidade. O prazo de cadastramento termina no dia 25 de maio.

A medida vai permitir que os profissionais da Secretaria Municipal de Saúde consigam informações sobre os animais de forma rápida como o nome do proprietário, por exemplo. Se os bichos forem abandonados ou sofrerem maus tratos, os donos serão identificados e responsabilizados.

Outro objetivo do cadastramento é de impedir que os burros e cavalos sejam utilizados sem nenhum tipo de descanso. O chip vai permitir monitorar os locais de circulação e os dias de uso do animal.

Segundo a prefeitura, os animais devem ficar sem circulação por pelo menos um dia na semana. A lei que determinar a chipagem em animais usados em veículos de tração animal também vai ser expandida posteriormente para o cadastramento de cães, gatos e gado do município.