TJD-PB suspende julgamento de liminar do Treze contra o Campinense

O julgamento da noite desta quarta-feira (11), envolvendo liminar do Treze sobre pendências do Campinense com relação ao Profut no Campeonato Paraibano deste ano, foi suspenso e remarcado para esta sexta-feira (13) pelo Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol da Paraíba (TJDF-PB), quando o placar já estava 5 a 0 contra o Galo, que pede o rebaixamento da Raposa e quer a vaga nas semifinais. A suspensão ocorreu após um pedido de vistas de uma auditora.
A advogada do Treze, Michele Ramalho, já havia adiantado que qualquer decisão do TJDF-PB não teria valor algum. Para ela, a competência do processo é do Superior Tribunal de Justiça Desportiva, no Rio de Janeiro.
Na liminar, o Treze pediu para jogar as semifinais no lugar do Campinense alegando que o rival não possui ainda as certidões negativas de débitos exigidas pelo Profut, lei que acabou modificando o Estatuto do Torcedor e proibiu a participação de clubes em campeonatos caso eles não tenham as certidões.
Voz da Torcida

O julgamento da noite desta quarta-feira (11), envolvendo liminar do Treze sobre pendências do Campinense com relação ao Profut no Campeonato Paraibano deste ano, foi suspenso e remarcado para esta sexta-feira (13) pelo Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol da Paraíba (TJDF-PB), quando o placar já estava 5 a 0 contra o Galo, que pede o rebaixamento da Raposa e quer a vaga nas semifinais. A suspensão ocorreu após um pedido de vistas de uma auditora.
A advogada do Treze, Michele Ramalho, já havia adiantado que qualquer decisão do TJDF-PB não teria valor algum. Para ela, a competência do processo é do Superior Tribunal de Justiça Desportiva, no Rio de Janeiro.
Na liminar, o Treze pediu para jogar as semifinais no lugar do Campinense alegando que o rival não possui ainda as certidões negativas de débitos exigidas pelo Profut, lei que acabou modificando o Estatuto do Torcedor e proibiu a participação de clubes em campeonatos caso eles não tenham as certidões.
Voz da Torcida