Treze sofre 3ª derrota no STJD em uma semana

O Treze protocolou nova apelação ao relator do processo que envolve o Campinense e Federação Paraibana de Futebol, menos de 24 horas depois de ter seu pedido de suspensão das partidas semifinais do Paraibano negado pelo STJD.

A petição foi mais uma vez negada pelo relator do processo, o auditor Ronaldo Botelho. O resultado foi a terceira derrota do Galo nos tribunais desportivos em menos de uma semana.

O relator alegou que o tribunal sequer avaliou a situação de regularidade na competição e só o fará caso a preliminar de tempestividade seja superada.

“Ocorre que o julgamento foi suspenso por pedido de vista do auditor Flavio Zveiter, não havendo qualquer decisão sobre a regularidade ou irregularidade desses clubes, e somente haverá se superada a preliminar de intempestividade do mandado de garantia com o julgamento de mérito da questão”, afirmou.

Em sua nova apelação, apreciada na manhã desta quinta-feira (26), o Treze requereu a análise de seu pedido para proibir a FPF de indicar os clubes para o Campeonato Brasileiro da Série D e comprovar a regularidade dos clubes.

Após o empate por 1 a 1 entre CSP e Campinense, nessa quarta-feira, e a consequente classificação rubro-negra à final do estadual, a FPF definiu a Raposa e o Sousa como representantes da Paraíba na Série D de 2016 e 2017.

Redação com JPonline

O Treze protocolou nova apelação ao relator do processo que envolve o Campinense e Federação Paraibana de Futebol, menos de 24 horas depois de ter seu pedido de suspensão das partidas semifinais do Paraibano negado pelo STJD.

A petição foi mais uma vez negada pelo relator do processo, o auditor Ronaldo Botelho. O resultado foi a terceira derrota do Galo nos tribunais desportivos em menos de uma semana.

O relator alegou que o tribunal sequer avaliou a situação de regularidade na competição e só o fará caso a preliminar de tempestividade seja superada.

“Ocorre que o julgamento foi suspenso por pedido de vista do auditor Flavio Zveiter, não havendo qualquer decisão sobre a regularidade ou irregularidade desses clubes, e somente haverá se superada a preliminar de intempestividade do mandado de garantia com o julgamento de mérito da questão”, afirmou.

Em sua nova apelação, apreciada na manhã desta quinta-feira (26), o Treze requereu a análise de seu pedido para proibir a FPF de indicar os clubes para o Campeonato Brasileiro da Série D e comprovar a regularidade dos clubes.

Após o empate por 1 a 1 entre CSP e Campinense, nessa quarta-feira, e a consequente classificação rubro-negra à final do estadual, a FPF definiu a Raposa e o Sousa como representantes da Paraíba na Série D de 2016 e 2017.

Redação com JPonline