Saiba tudo sobre a passagem da Tocha Olímpica pelas ruas de Campina Grande

tochaCG2A Tocha Olímpica dos jogos Rio 2016 passou por Campina Grande nesta quinta-feira, 02, onde foi recepcionada com muito forró e apresentações culturais em cada um dos pontos do revezamento.

O início do percurso foi no Estádio O Amigão, onde o grupo de idosos Cantores da Colina a recebeu com muita música e o Prefeito Romero Rodrigues, juntamente com o primeiro condutor da Rainha da Borborema, o empresário Evandro Barbosa, a esperavam com muita ansiedade, em meio a um público animado e cheio de expectativas.

“Estou muito feliz e emocionado. Nunca tinha pensado em poder participar de um momento como este em minha vida e vou percorrer esses primeiros 200 metros correndo, vibrando, com muito orgulho, sorrindo e com muita alegria no coração”, destacou o primeiro condutor da Tocha Olímpica pelas ruas de Campina Grande.

Iniciando a cerimônia de revezamento, os estudantes Flávio, Tâmara e Aline, vencedores de um concurso de redação realizado nas escolas públicas da cidade com o tema “O espírito dos Jogos Olímpicos”, acenderam a Tocha Olímpica para o primeiro condutor começar o trajeto pela cidade.

tochaCG3O revezamento começou às 16h30, seguindo do Amigão pela rua Luíza Bezerra Motta, depois pela Vigário Calixto até o Parque da Criança, de onde voltou para o bairro do Catolé e passou pelas ruas Elpídio de Almeida, João Quirino, Raimundo Nonato e Avenida Brasília. Em cada local que passava, muitas pessoas a esperavam e vibravam com o momento histórico.

O maior símbolo das Olimpíadas percorreu no total um trajeto de 13 quilômetros (sendo 12km em terra e um no Açude Velho), passando pelas principais ruas da cidade, carregada por 58 condutores, que percorriam, cada um, trechos de até 200 metros.

Um dos pontos altos do Revezamento em Campina Grande foi a chegada da Tocha Olímpica ao Açude Velho, onde foi recepcionada pelos grupos folclóricos Caetés e Raízes ao som de muito xaxado e, em seguida, carregada numa embarcação do Corpo de Bombeiros, com o apoio da Marinha, pelas mãos do condutor Patrick Pires, embaixador da ONU, conhecido em todo o país pela luta em prol dos portadores de mucupolissacaridose, doença genética degenerativa.

Após o passeio pelo Açude Velho, a Tocha foi passada para as mãos da atleta Ednalva Laureano – a Pretinha, grande maratonista campinense, que conquistou títulos nacionais e internacionais representando a Paraíba e o Brasil. Pretinha conduziu o grande símbolo das Olimpíadas até a Avenida Canal, onde, em frente à Federação das Indústrias do Estado da Paraíba (FIEP), a quadrilha junina Mistura Gostosa e muitas pessoas a esperavam para continuar o revezamento.

Daí, a Tocha Olímpica percorreu a Avenida Canal sendo carregada por dezenas de condutores, e foi levada até o Centro de Campina Grande, iniciando o percurso pela principal Avenida da cidade, a Floriano Peixoto.

No centro, ela ainda percorreu as ruas Venâncio Neiva, Sete de Setembro, Marquês de Herval, Praça da Bandeira, Irineu Joffily e Desembargador Trindade, por onde se dirigiu até o Monumento de Jackson do Pandeiro e Luiz Gonzaga para a realização do registro oficial do Revezamento em Campina Grande. No local, mais forró a esperava, com a apresentação da Sanfônica Mirim do Cariri e da Orquestra Sanfônica de Monteiro.

Para finalizar o percurso, o fogo Olímpico foi carregado ao som da banda fanfarra da Escola Elpídio de Almeida (Estadual da Prata) em parte do trajeto, pela Avenida Severino Cruz, até o Memorial aos 150 anos de Campina Grande. Nesse trecho a Tocha foi conduzida pelo ex-maratonista Assis Paulo, recordista de atletismo que já representou o Brasil em Jogos Panamericanos e pelo jovem Wellington Ferreira, que acendeu a Pira Olímpica simbólica que aguardava no palco montado em frente ao Memorial, ponto final do Revezamento da Tocha em Campina Grande.

Completando todas as comemorações pela passagem do símbolo principal das Olimpíadas, o cantor Luan Estilizado fez o público presente na Cerimônia dançar muito forró.

Nesse ponto final, o Prefeito Romero Rodrigues falou da alegria e da honra em receber a Tocha Olímpica dos Jogos Rio 2016 em Campina Grande, ressaltando sua felicidade em ver que o povo campinense acompanhou todo o percurso com o entusiasmo de quem sabe que esse é um momento histórico para a cidade. Romero finalizou sua fala convidando todo o Comitê Olímpico para participar da abertura do Maior São João do Mundo, que acontece nesta sexta-feira, 3 de junho.
ESTUDANTE PATRICK DORNELES EMOCIONA CAMPINENSES AO CONDUZIR TOCHA OLÍMPICA SOBRE O AÇUDE VELHO

patrickNatural de Porto Alegre, o estudante Patrick Dorneles, de 18 anos, é sinônimo de vitória.

E nesta quinta-feira histórica para Campina Grande, o jovem que adotou a Paraíba como sua terra representou os portadores de doenças raras de todo o Brasil sendo um dos condutores da Chama Olímpica no revezamento da Tocha pelas ruas da cidade.

Na verdade, o Patricão, como é nacionalmente conhecido, carregou o maior símbolo dos Jogos Olímpicos em uma lancha sobre o Açude Velho, mas com sua alegria contagiante conseguiu trazer para a Rainha da Borborema o ambiente das Olimpíadas do Rio 2016.

“É um momento único. Indescritível. É uma felicidade enorme poder fazer parte desse momento histórico para Campina Grande, que tem um povo acolhedor e que tem abraçado a luta dos portadores de doenças raras como eu. Tenho muito orgulho de representar a bandeira dessa cidade levando a Chama Olímpica”, comentou Patrick.

Já era noite em Campina quando o estudante passou a Tocha para a ex-corredora Edinalva Laureano, a qual deu sequência ao revezamento que emocionou os campinenses.
MEMORIAL AOS 150 ANOS DE CAMPINA SE TORNA CENÁRIO PARA ACENDIMENTO SIMBÓLICO DA PIRA OLÍMPICA

piraA Prefeitura Municipal de Campina Grande preparou uma festa bem regional para recepcionar a Tocha Olímpica na terra do Maior São João do Mundo.

O momento mais esperado do evento foi a chegada do principal símbolo das Olimpíadas ao Memorial aos 150 anos da cidade, onde aconteceu o acendimento simbólico da Pira Olímpica.

Escolhido para ser o ponto final da passagem da Tocha por Campina Grande pelo seu simbolismo, que conta através de suas formas a história do surgimento da cidade, o Memorial aos 150 anos já acolhia centenas de pessoas desde as 16h, quando a festa começou ao som de trios de forró e do cantor Capilé.

Em frente ao espaço foi montado um palco especial para o acendimento simbólico da Pira Olímpica, gesto que ficou por conta do jovem condutor Wellington Ferreira.

Finalizando o dia que entrou pra história de Campina Grande, o cantor Luan Estilizado fez a festa para o público presente, que dançou muito forró, já no clima do Maior São João do Mundo, que será aberto oficialmente nesta sexta-feira, 3 de junho.

A coordenadora de Turismo do município, Catharine Brasil, disse que “Campina Grande recebeu a Tocha Olímpica com muito orgulho e alegria, mostrando ao mundo um pouco da cultura do Nordeste Brasileiro. Para finalizar esse momento histórico, não poderíamos ter escolhido artistas melhores do que os nossos conterrâneos Capilé e Luan”.

A festa no Memorial aos 150 anos de Campina Grande se estendeu até as 22h e marcou a rota do revezamento com o clima de quem faz a maior festa junina do Brasil e do mundo.

Fotos:
André Mourão / Rio 2016
Fernando Soutello / Rio 2016

tochaCG2A Tocha Olímpica dos jogos Rio 2016 passou por Campina Grande nesta quinta-feira, 02, onde foi recepcionada com muito forró e apresentações culturais em cada um dos pontos do revezamento.

O início do percurso foi no Estádio O Amigão, onde o grupo de idosos Cantores da Colina a recebeu com muita música e o Prefeito Romero Rodrigues, juntamente com o primeiro condutor da Rainha da Borborema, o empresário Evandro Barbosa, a esperavam com muita ansiedade, em meio a um público animado e cheio de expectativas.

“Estou muito feliz e emocionado. Nunca tinha pensado em poder participar de um momento como este em minha vida e vou percorrer esses primeiros 200 metros correndo, vibrando, com muito orgulho, sorrindo e com muita alegria no coração”, destacou o primeiro condutor da Tocha Olímpica pelas ruas de Campina Grande.

Iniciando a cerimônia de revezamento, os estudantes Flávio, Tâmara e Aline, vencedores de um concurso de redação realizado nas escolas públicas da cidade com o tema “O espírito dos Jogos Olímpicos”, acenderam a Tocha Olímpica para o primeiro condutor começar o trajeto pela cidade.

tochaCG3O revezamento começou às 16h30, seguindo do Amigão pela rua Luíza Bezerra Motta, depois pela Vigário Calixto até o Parque da Criança, de onde voltou para o bairro do Catolé e passou pelas ruas Elpídio de Almeida, João Quirino, Raimundo Nonato e Avenida Brasília. Em cada local que passava, muitas pessoas a esperavam e vibravam com o momento histórico.

O maior símbolo das Olimpíadas percorreu no total um trajeto de 13 quilômetros (sendo 12km em terra e um no Açude Velho), passando pelas principais ruas da cidade, carregada por 58 condutores, que percorriam, cada um, trechos de até 200 metros.

Um dos pontos altos do Revezamento em Campina Grande foi a chegada da Tocha Olímpica ao Açude Velho, onde foi recepcionada pelos grupos folclóricos Caetés e Raízes ao som de muito xaxado e, em seguida, carregada numa embarcação do Corpo de Bombeiros, com o apoio da Marinha, pelas mãos do condutor Patrick Pires, embaixador da ONU, conhecido em todo o país pela luta em prol dos portadores de mucupolissacaridose, doença genética degenerativa.

Após o passeio pelo Açude Velho, a Tocha foi passada para as mãos da atleta Ednalva Laureano – a Pretinha, grande maratonista campinense, que conquistou títulos nacionais e internacionais representando a Paraíba e o Brasil. Pretinha conduziu o grande símbolo das Olimpíadas até a Avenida Canal, onde, em frente à Federação das Indústrias do Estado da Paraíba (FIEP), a quadrilha junina Mistura Gostosa e muitas pessoas a esperavam para continuar o revezamento.

Daí, a Tocha Olímpica percorreu a Avenida Canal sendo carregada por dezenas de condutores, e foi levada até o Centro de Campina Grande, iniciando o percurso pela principal Avenida da cidade, a Floriano Peixoto.

No centro, ela ainda percorreu as ruas Venâncio Neiva, Sete de Setembro, Marquês de Herval, Praça da Bandeira, Irineu Joffily e Desembargador Trindade, por onde se dirigiu até o Monumento de Jackson do Pandeiro e Luiz Gonzaga para a realização do registro oficial do Revezamento em Campina Grande. No local, mais forró a esperava, com a apresentação da Sanfônica Mirim do Cariri e da Orquestra Sanfônica de Monteiro.

Para finalizar o percurso, o fogo Olímpico foi carregado ao som da banda fanfarra da Escola Elpídio de Almeida (Estadual da Prata) em parte do trajeto, pela Avenida Severino Cruz, até o Memorial aos 150 anos de Campina Grande. Nesse trecho a Tocha foi conduzida pelo ex-maratonista Assis Paulo, recordista de atletismo que já representou o Brasil em Jogos Panamericanos e pelo jovem Wellington Ferreira, que acendeu a Pira Olímpica simbólica que aguardava no palco montado em frente ao Memorial, ponto final do Revezamento da Tocha em Campina Grande.

Completando todas as comemorações pela passagem do símbolo principal das Olimpíadas, o cantor Luan Estilizado fez o público presente na Cerimônia dançar muito forró.

Nesse ponto final, o Prefeito Romero Rodrigues falou da alegria e da honra em receber a Tocha Olímpica dos Jogos Rio 2016 em Campina Grande, ressaltando sua felicidade em ver que o povo campinense acompanhou todo o percurso com o entusiasmo de quem sabe que esse é um momento histórico para a cidade. Romero finalizou sua fala convidando todo o Comitê Olímpico para participar da abertura do Maior São João do Mundo, que acontece nesta sexta-feira, 3 de junho.
ESTUDANTE PATRICK DORNELES EMOCIONA CAMPINENSES AO CONDUZIR TOCHA OLÍMPICA SOBRE O AÇUDE VELHO

patrickNatural de Porto Alegre, o estudante Patrick Dorneles, de 18 anos, é sinônimo de vitória.

E nesta quinta-feira histórica para Campina Grande, o jovem que adotou a Paraíba como sua terra representou os portadores de doenças raras de todo o Brasil sendo um dos condutores da Chama Olímpica no revezamento da Tocha pelas ruas da cidade.

Na verdade, o Patricão, como é nacionalmente conhecido, carregou o maior símbolo dos Jogos Olímpicos em uma lancha sobre o Açude Velho, mas com sua alegria contagiante conseguiu trazer para a Rainha da Borborema o ambiente das Olimpíadas do Rio 2016.

“É um momento único. Indescritível. É uma felicidade enorme poder fazer parte desse momento histórico para Campina Grande, que tem um povo acolhedor e que tem abraçado a luta dos portadores de doenças raras como eu. Tenho muito orgulho de representar a bandeira dessa cidade levando a Chama Olímpica”, comentou Patrick.

Já era noite em Campina quando o estudante passou a Tocha para a ex-corredora Edinalva Laureano, a qual deu sequência ao revezamento que emocionou os campinenses.
MEMORIAL AOS 150 ANOS DE CAMPINA SE TORNA CENÁRIO PARA ACENDIMENTO SIMBÓLICO DA PIRA OLÍMPICA

piraA Prefeitura Municipal de Campina Grande preparou uma festa bem regional para recepcionar a Tocha Olímpica na terra do Maior São João do Mundo.

O momento mais esperado do evento foi a chegada do principal símbolo das Olimpíadas ao Memorial aos 150 anos da cidade, onde aconteceu o acendimento simbólico da Pira Olímpica.

Escolhido para ser o ponto final da passagem da Tocha por Campina Grande pelo seu simbolismo, que conta através de suas formas a história do surgimento da cidade, o Memorial aos 150 anos já acolhia centenas de pessoas desde as 16h, quando a festa começou ao som de trios de forró e do cantor Capilé.

Em frente ao espaço foi montado um palco especial para o acendimento simbólico da Pira Olímpica, gesto que ficou por conta do jovem condutor Wellington Ferreira.

Finalizando o dia que entrou pra história de Campina Grande, o cantor Luan Estilizado fez a festa para o público presente, que dançou muito forró, já no clima do Maior São João do Mundo, que será aberto oficialmente nesta sexta-feira, 3 de junho.

A coordenadora de Turismo do município, Catharine Brasil, disse que “Campina Grande recebeu a Tocha Olímpica com muito orgulho e alegria, mostrando ao mundo um pouco da cultura do Nordeste Brasileiro. Para finalizar esse momento histórico, não poderíamos ter escolhido artistas melhores do que os nossos conterrâneos Capilé e Luan”.

A festa no Memorial aos 150 anos de Campina Grande se estendeu até as 22h e marcou a rota do revezamento com o clima de quem faz a maior festa junina do Brasil e do mundo.

Fotos:
André Mourão / Rio 2016
Fernando Soutello / Rio 2016