Catadores recolhem mais de 4,5 toneladas de resíduos sólidos nos primeiros dias do Maior São João do Mundo

lixaoOs catadores de materiais recicláveis do projeto Recicla São João, da Prefeitura de Campina Grande, conseguiram recolher mais de quatro toneladas e meia de resíduos sólidos recicláveis das ruas e barracas do Parque do Povo, em menos de uma semana de realização do Maior São João do Mundo. A quantidade coletada até agora, segundo as cooperativas que participam do projeto, já corresponde a cerca de um quarto do volume de resíduos que os catadores costumam coletar em um mês normal de trabalho, que varia entre 12 e 15 toneladas, o que deve garantir uma boa renda extra para estes profissionais.

O trabalho, que será mantido até o último dia do evento, é realizado por 44 catadores integrantes de cooperativas de materiais recicláveis de Campina Grande, sob a coordenação das secretarias municipais de Serviços Urbanos e Meio Ambiente (Sesuma), Desenvolvimento Econômico e Ciência Tecnologia e Inovação.

Além de manter a limpeza das ruas do Parque do Povo, e fazer a coleta segura dos materiais recicláveis descartados pelos barraqueiros e donos de quiosques, o projeto Recicla São João tem como meta inserir “O Maior São João do Mundo” na categoria de eventos sustentáveis. São parceiras da Prefeitura no projeto as cooperativas Catamais, Cotramare e Catacampina, além das associações Arensa e Cavi.

As ações desenvolvidas pretendem assegurar a redução dos impactos, provocados pelos resíduos sólidos descartados, e promover a geração de ocupação e renda para os catadores das associações e cooperativas do município. Outra proposta é incentivar a reintrodução desses materiais recicláveis no processo produtivo da reciclagem, conforme as normas do Plano Municipal de Gestão integrada de Resíduos Sólidos (PMGIRS), aprovado em 2014.

Para auxiliar no trabalho dos catadores será mantida uma unidade fixa e um caminhão da Sesuma, ambos instalados no Parque do Povo, em frente à Pirâmide, onde permanecerão durante os 31 dias da festa. Outro auxílio foi a instalação de 160 lixeiras e 80 tonéis em toda a área da festa para manter o espaço limpo e facilitar a coleta dos resíduos.

Os catadores também receberam os Equipamentos de Proteção Individual (EPI´S), doados pelo Ministério Público do Trabalho, além de terem direito a alimentação, transporte e aos serviços do caminhão para transporte dos resíduos. Eles ainda receberão um auxílio financeiro, no valor de R$ 450,00 (individual), como incentivo e reconhecimento pelo trabalho realizado.

O secretário municipal de Serviços Urbanos e Meio Ambiente, Geraldo Nobre, disse que a instalação de uma unidade fixa oferece maior apoio para a equipe que trabalha no recolhimento dos materiais recicláveis encontrados no Parque do Povo. Nesse local os catadores poderão deixar o material recolhido, durante as noites de trabalho e voltar para suas casas sem a preocupação de carregar grandes quantidades em sacos pesados. O recolhimento poderá ser feito posteriormente.

Trabalhando com a coleta de resíduos sólidos no Parque do Povo há mais de 15 anos, Alexandro Alves disse que a implantação do projeto Recicla São João é um marco no trabalho dos catadores, que passaram a contar com o apoio da Prefeitura para desenvolver seu trabalho de forma mais organizada.

Além de Alexandro, a esposa e outros três familiares dele trabalham coletando resíduos sólidos, aumentando a renda da família no período junino, que no ano passado chegou a mais de R$ 1,4 mil, valor que ele espera ultrapassar na edição deste ano.

“O projeto está nos ajudando com a estrutura e a organização, e também identificou os catadores através de camisas, o que facilitou bastante a coleta. Antes disso, as pessoas tinham medo de nos deixar entrar nas barracas para pegar o material, achando que nós poderíamos ser ladrões”, comentou.

Outro catadora que comemorou a implantação do Recicla São João foi Dalva Lira, presidente da Arensa, uma das cooperativas que integram o projeto. Segundo ela, a iniciativa da gestão municipal, que desde 2013 apoia e valoriza o trabalho dos catadores, ofereceu uma boa estrutura para os profissionais, o que vai possibilitar o aumento do material coletado e, consequentemente, do valor arrecadado durante a festa.

Depois que for levado para os galpões das cooperativas, o material passará por uma triagem. O valor arrecadado será dividido entre os catadores de forma igualitária, respeitando as regras de cada cooperativa.

lixaoOs catadores de materiais recicláveis do projeto Recicla São João, da Prefeitura de Campina Grande, conseguiram recolher mais de quatro toneladas e meia de resíduos sólidos recicláveis das ruas e barracas do Parque do Povo, em menos de uma semana de realização do Maior São João do Mundo. A quantidade coletada até agora, segundo as cooperativas que participam do projeto, já corresponde a cerca de um quarto do volume de resíduos que os catadores costumam coletar em um mês normal de trabalho, que varia entre 12 e 15 toneladas, o que deve garantir uma boa renda extra para estes profissionais.

O trabalho, que será mantido até o último dia do evento, é realizado por 44 catadores integrantes de cooperativas de materiais recicláveis de Campina Grande, sob a coordenação das secretarias municipais de Serviços Urbanos e Meio Ambiente (Sesuma), Desenvolvimento Econômico e Ciência Tecnologia e Inovação.

Além de manter a limpeza das ruas do Parque do Povo, e fazer a coleta segura dos materiais recicláveis descartados pelos barraqueiros e donos de quiosques, o projeto Recicla São João tem como meta inserir “O Maior São João do Mundo” na categoria de eventos sustentáveis. São parceiras da Prefeitura no projeto as cooperativas Catamais, Cotramare e Catacampina, além das associações Arensa e Cavi.

As ações desenvolvidas pretendem assegurar a redução dos impactos, provocados pelos resíduos sólidos descartados, e promover a geração de ocupação e renda para os catadores das associações e cooperativas do município. Outra proposta é incentivar a reintrodução desses materiais recicláveis no processo produtivo da reciclagem, conforme as normas do Plano Municipal de Gestão integrada de Resíduos Sólidos (PMGIRS), aprovado em 2014.

Para auxiliar no trabalho dos catadores será mantida uma unidade fixa e um caminhão da Sesuma, ambos instalados no Parque do Povo, em frente à Pirâmide, onde permanecerão durante os 31 dias da festa. Outro auxílio foi a instalação de 160 lixeiras e 80 tonéis em toda a área da festa para manter o espaço limpo e facilitar a coleta dos resíduos.

Os catadores também receberam os Equipamentos de Proteção Individual (EPI´S), doados pelo Ministério Público do Trabalho, além de terem direito a alimentação, transporte e aos serviços do caminhão para transporte dos resíduos. Eles ainda receberão um auxílio financeiro, no valor de R$ 450,00 (individual), como incentivo e reconhecimento pelo trabalho realizado.

O secretário municipal de Serviços Urbanos e Meio Ambiente, Geraldo Nobre, disse que a instalação de uma unidade fixa oferece maior apoio para a equipe que trabalha no recolhimento dos materiais recicláveis encontrados no Parque do Povo. Nesse local os catadores poderão deixar o material recolhido, durante as noites de trabalho e voltar para suas casas sem a preocupação de carregar grandes quantidades em sacos pesados. O recolhimento poderá ser feito posteriormente.

Trabalhando com a coleta de resíduos sólidos no Parque do Povo há mais de 15 anos, Alexandro Alves disse que a implantação do projeto Recicla São João é um marco no trabalho dos catadores, que passaram a contar com o apoio da Prefeitura para desenvolver seu trabalho de forma mais organizada.

Além de Alexandro, a esposa e outros três familiares dele trabalham coletando resíduos sólidos, aumentando a renda da família no período junino, que no ano passado chegou a mais de R$ 1,4 mil, valor que ele espera ultrapassar na edição deste ano.

“O projeto está nos ajudando com a estrutura e a organização, e também identificou os catadores através de camisas, o que facilitou bastante a coleta. Antes disso, as pessoas tinham medo de nos deixar entrar nas barracas para pegar o material, achando que nós poderíamos ser ladrões”, comentou.

Outro catadora que comemorou a implantação do Recicla São João foi Dalva Lira, presidente da Arensa, uma das cooperativas que integram o projeto. Segundo ela, a iniciativa da gestão municipal, que desde 2013 apoia e valoriza o trabalho dos catadores, ofereceu uma boa estrutura para os profissionais, o que vai possibilitar o aumento do material coletado e, consequentemente, do valor arrecadado durante a festa.

Depois que for levado para os galpões das cooperativas, o material passará por uma triagem. O valor arrecadado será dividido entre os catadores de forma igualitária, respeitando as regras de cada cooperativa.