Saúde alerta tatuadores sobre licença na VS

tatuadorTécnicos da Vigilância Sanitária da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) vão participar da Expo Tattoo, que será realizada nos dias 3 e 4 de julho, no Espaço Cultural José Lins do Rego. O evento é uma convenção, que reunirá tatuadores de todo país, que exercem atividades de tatuagens e piercing. A programação conta também com um concurso de tatuagens.
Durante todo evento, a Vigilância Sanitária de João Pessoa estará com um stand, com exposição de materiais educativos e de conscientização de saúde pública, orientando para os cuidados necessários que devem ter os profissionais que exercem as atividades de tatuagens e aplicação de piercings.
A procura por tatuagem, uma das formas de modificação do corpo mais conhecidas, aumentou bastante nos últimos anos, assim como o número de pessoas que usam piercing. Mas nem todos que procuram esses serviços sabem que, para funcionar, os estúdios precisam ter uma licença da Vigilância Sanitária Municipal. Essa licença é a garantia de que os procedimentos estão dentro dos padrões estabelecidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
De acordo com o gerente da Vigilância Sanitária Municipal, Alberto José dos Santos, essa licença segue um padrão para todos os estabelecimentos que trabalham com serviços de saúde ou com serviços de interesse à saúde, como os tatuadores e os aplicadores de piercing. “Esses profissionais trabalham com procedimentos invasivos e isso faz com que essas atividades sejam submetidas à regulação pela Vigilância Sanitária”, explica Alberto.
Alberto diz que em relação a estúdios que ainda não têm a licença, a Vigilância Sanitária atua por denúncia ou por busca ativa. Essa busca é quando se descobre um local que ainda não foi vistoriado. Nesse caso, é feita uma programação e os técnicos vão até esse estabelecimento para verificar as condições de funcionamento para garantir um ambiente seguro, reduzindo o risco de contaminação de clientes e profissionais da área.
“A Vigilância Sanitária cumpre o seu papel. Se a gente recebe uma denuncia e verifica que ele não está regulado, mas está procedendo e maneira correta, que tem cuidado nos com os produtos e equipamentos nós vamos notificá-lo e ele terá um prazo para se regularizar. O estabelecimento só será fechado se ele não se adequar. O objetivo não é impedir o funcionamento dos estúdios de tatuagem e piercing, mas garantir a qualidade do serviço oferecido por eles”, afirma.
MaisPB

tatuadorTécnicos da Vigilância Sanitária da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) vão participar da Expo Tattoo, que será realizada nos dias 3 e 4 de julho, no Espaço Cultural José Lins do Rego. O evento é uma convenção, que reunirá tatuadores de todo país, que exercem atividades de tatuagens e piercing. A programação conta também com um concurso de tatuagens.
Durante todo evento, a Vigilância Sanitária de João Pessoa estará com um stand, com exposição de materiais educativos e de conscientização de saúde pública, orientando para os cuidados necessários que devem ter os profissionais que exercem as atividades de tatuagens e aplicação de piercings.
A procura por tatuagem, uma das formas de modificação do corpo mais conhecidas, aumentou bastante nos últimos anos, assim como o número de pessoas que usam piercing. Mas nem todos que procuram esses serviços sabem que, para funcionar, os estúdios precisam ter uma licença da Vigilância Sanitária Municipal. Essa licença é a garantia de que os procedimentos estão dentro dos padrões estabelecidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
De acordo com o gerente da Vigilância Sanitária Municipal, Alberto José dos Santos, essa licença segue um padrão para todos os estabelecimentos que trabalham com serviços de saúde ou com serviços de interesse à saúde, como os tatuadores e os aplicadores de piercing. “Esses profissionais trabalham com procedimentos invasivos e isso faz com que essas atividades sejam submetidas à regulação pela Vigilância Sanitária”, explica Alberto.
Alberto diz que em relação a estúdios que ainda não têm a licença, a Vigilância Sanitária atua por denúncia ou por busca ativa. Essa busca é quando se descobre um local que ainda não foi vistoriado. Nesse caso, é feita uma programação e os técnicos vão até esse estabelecimento para verificar as condições de funcionamento para garantir um ambiente seguro, reduzindo o risco de contaminação de clientes e profissionais da área.
“A Vigilância Sanitária cumpre o seu papel. Se a gente recebe uma denuncia e verifica que ele não está regulado, mas está procedendo e maneira correta, que tem cuidado nos com os produtos e equipamentos nós vamos notificá-lo e ele terá um prazo para se regularizar. O estabelecimento só será fechado se ele não se adequar. O objetivo não é impedir o funcionamento dos estúdios de tatuagem e piercing, mas garantir a qualidade do serviço oferecido por eles”, afirma.
MaisPB