Amanda Nunes é campeã no UFC e Aldo ganha cinturão interino

amandaNa noite deste sábado (9) aconteceu o UFC 200, e ele foi colorido de verde e amarelo. Começando com a luta entre Miesha Tate, até então campeã dos peso-galo feminino, e a brasileira Amanda Nunes, que saiu com o cinturão do octógono. Amanda finalizou Tate aos três minutos e 16 segundos do primeiro round, com um mata-leão que a americana não conseguiu sair de jeito nenhum. Com isso, a Leoa é a primeira brasileira a conquistar o cinturão e ser a nova rainha do UFC. Quem também saiu com um sorriso no rosto foi José Aldo. O brasileiro trouxe outro cinturão para o Brasil, o de interino dos peso-pena.

Aldo lutou contra americano Frankie Edgar, no card principal do evento, e venceu o adversário por decisão unânime dos juízes. O brasileiro lutou como os fãs gostam de ver: com estratégia, controlando tudo de longe, e com contragolpes certeiros no adversário. Aldo já tem um próximo objetivo: a revanche contra Conor McGregor.

“Eu só tenho um objetivo: é vencer este m****. Ele não vai ter a mesma sorte que teve da outra vez”, disse Aldo.

E por sinal, o falastrão assistiu de pertinho a luta de Aldo. McGregor também ouviu o pedido de revanche e fez cara de quem topa mais uma luta com o brasileiro.

Infelizmente não deu para Anderson Silva também completar a festa brasileira no UFC 200, mas o lutador saiu da luta sendo aplaudido por toda a arena. Isso porque o Spider se ofereceu para substituir Jon Jones apenas dois dias antes da luta, enfrentou Daniel Cormier, campeão dos pesos-pesados, categoria acima da de Anderson, e não se intimidou com o oponente e lutou até o final.

A luta foi decidida pelos juízes, que, por decisão unânime, deram a vitória a Cormier. Mas Anderson foi apoiado pela torcida durante os três rounds e não ficou chateado com o resultado.

“Eu senti um pouco por estar sem treinar pesado, para luta mesmo. Para mim foi uma vitória. O Daniel é um campeão, vim aqui não para desrespeitá-lo, mas para me desafiar pessoalmente”, afirmou Anderson.
Apesar de fazer uma boa luta e ir para cima do adversário, Raphael Assunção não conseguiu levar a melhor sobre o americano TJ Dillashaw, que venceu o brasileiro por decisão unânime.
R7

amandaNa noite deste sábado (9) aconteceu o UFC 200, e ele foi colorido de verde e amarelo. Começando com a luta entre Miesha Tate, até então campeã dos peso-galo feminino, e a brasileira Amanda Nunes, que saiu com o cinturão do octógono. Amanda finalizou Tate aos três minutos e 16 segundos do primeiro round, com um mata-leão que a americana não conseguiu sair de jeito nenhum. Com isso, a Leoa é a primeira brasileira a conquistar o cinturão e ser a nova rainha do UFC. Quem também saiu com um sorriso no rosto foi José Aldo. O brasileiro trouxe outro cinturão para o Brasil, o de interino dos peso-pena.

Aldo lutou contra americano Frankie Edgar, no card principal do evento, e venceu o adversário por decisão unânime dos juízes. O brasileiro lutou como os fãs gostam de ver: com estratégia, controlando tudo de longe, e com contragolpes certeiros no adversário. Aldo já tem um próximo objetivo: a revanche contra Conor McGregor.

“Eu só tenho um objetivo: é vencer este m****. Ele não vai ter a mesma sorte que teve da outra vez”, disse Aldo.

E por sinal, o falastrão assistiu de pertinho a luta de Aldo. McGregor também ouviu o pedido de revanche e fez cara de quem topa mais uma luta com o brasileiro.

Infelizmente não deu para Anderson Silva também completar a festa brasileira no UFC 200, mas o lutador saiu da luta sendo aplaudido por toda a arena. Isso porque o Spider se ofereceu para substituir Jon Jones apenas dois dias antes da luta, enfrentou Daniel Cormier, campeão dos pesos-pesados, categoria acima da de Anderson, e não se intimidou com o oponente e lutou até o final.

A luta foi decidida pelos juízes, que, por decisão unânime, deram a vitória a Cormier. Mas Anderson foi apoiado pela torcida durante os três rounds e não ficou chateado com o resultado.

“Eu senti um pouco por estar sem treinar pesado, para luta mesmo. Para mim foi uma vitória. O Daniel é um campeão, vim aqui não para desrespeitá-lo, mas para me desafiar pessoalmente”, afirmou Anderson.
Apesar de fazer uma boa luta e ir para cima do adversário, Raphael Assunção não conseguiu levar a melhor sobre o americano TJ Dillashaw, que venceu o brasileiro por decisão unânime.
R7