Hollande diz que atentado em Nice tem ‘caráter terrorista’

francaO presidente francês, François Hollande, disse nesta quinta-feira (14) que o atentado que matou 84 pessoas em Nice tem “caráter terrorista”. Ele anunciou que vai estender por três meses o estado de emergência no país e ampliar operações na Síria e no Iraque.
“Este ataque, cujo caráter terrorista não pode ser negado, é, uma vez mais, de uma violência absoluta”, discursou.
“A França foi atacada por essa nova tragédia, está horrorizada pelo que aconteceu, essa monstruosidade que consiste em utilizar um caminhão para matar, deliberadamente matar dezenas de pessoas que vieram simplesmente celebrar o 14 de Julho. A França chorou, está ferida, mas é forte, e sempre será mais forte que os fanáticos que a atacaram”, disse Hollande.
“É toda a França que está sob a ameaça do terrorismo islâmico. Então, nessas circunstâncias, nós devemos fazer a demonstração de uma vigilância absoluta e de uma determinação contínua”, discursou em outro momento.

Hollande afirmou ter decidido, após deliberar com o primeiro-ministro e os ministros da Defesa e do Interior, manter o nível da Operação Sentinela, que mobiliza dez mil militares, além de policiais.
Ele ainda afirmou que vai fazer um chamado aos militares da reserva para auxiliar no policiamento do território francês e das fronteiras.
O presidente francês disse que decidiu prolongar mais uma vez o estado de exceção, que entrou em vigor após os atentados de novembro de 2015 e seria encerrado em 26 de julho.
Em seu discurso, Hollande afirmou que o Conselho de Defesa se reunirá na manhã desta sexta (15) para examinar as medidas que já foram tomadas, e as novas medidas anunciadas na noite de quinta. Outra ação anunciada pelo presidente francês é “reforçar ainda mais ações na Síria e no Iraque”.
Nesta sexta-feira, foi declarado três dias de de luto devido ao ataque.

O ataque
Um caminhão atropelou diversas pessoas que estavam assistindo à queima de fogos em comemoração ao 14 de Julho, Dia da Queda da Bastilha, em Nice, no sul do país, matando dezenas.
Segundo o ministro do Interior, Bernard Cazeneuve, havia 84 mortos. O gabinete da Procuradoria de Paris abriu uma investigação para apurar o ataque.
O ataque aconteceu no Promenade des Anglais (Passeio dos Ingleses), uma avenida à beira-mar, por volta das 22h30 (17h30 em Brasília). O procurador de Nice, Jean-Michel Prêtre, diz que o veículo percorreu 2 km entre a multidão. O motorista foi morto por policiais.
No momento em que o caminhão chegou, segundo o jornal “Nice Matin”, um grande grupo de pessoas começou a correr. O clima era de pânico, já que ninguém sabia se era um acidente ou se o motorista atingiu as pessoas deliberadamente. Várias delas entraram no mar para se proteger.
Fontes policiais disseram que o motorista do caminhão é um franco-tunisiano de 31 anos morador de Nice. O documento de identidade dele foi encontrado no interior do veículo, segundo a France Presse.
Um vídeo publicado no Twitter mostra um caminhão, que parece ser o que foi usado no atropelamento, acelerando em direção às pessoas.
G1

francaO presidente francês, François Hollande, disse nesta quinta-feira (14) que o atentado que matou 84 pessoas em Nice tem “caráter terrorista”. Ele anunciou que vai estender por três meses o estado de emergência no país e ampliar operações na Síria e no Iraque.
“Este ataque, cujo caráter terrorista não pode ser negado, é, uma vez mais, de uma violência absoluta”, discursou.
“A França foi atacada por essa nova tragédia, está horrorizada pelo que aconteceu, essa monstruosidade que consiste em utilizar um caminhão para matar, deliberadamente matar dezenas de pessoas que vieram simplesmente celebrar o 14 de Julho. A França chorou, está ferida, mas é forte, e sempre será mais forte que os fanáticos que a atacaram”, disse Hollande.
“É toda a França que está sob a ameaça do terrorismo islâmico. Então, nessas circunstâncias, nós devemos fazer a demonstração de uma vigilância absoluta e de uma determinação contínua”, discursou em outro momento.

Hollande afirmou ter decidido, após deliberar com o primeiro-ministro e os ministros da Defesa e do Interior, manter o nível da Operação Sentinela, que mobiliza dez mil militares, além de policiais.
Ele ainda afirmou que vai fazer um chamado aos militares da reserva para auxiliar no policiamento do território francês e das fronteiras.
O presidente francês disse que decidiu prolongar mais uma vez o estado de exceção, que entrou em vigor após os atentados de novembro de 2015 e seria encerrado em 26 de julho.
Em seu discurso, Hollande afirmou que o Conselho de Defesa se reunirá na manhã desta sexta (15) para examinar as medidas que já foram tomadas, e as novas medidas anunciadas na noite de quinta. Outra ação anunciada pelo presidente francês é “reforçar ainda mais ações na Síria e no Iraque”.
Nesta sexta-feira, foi declarado três dias de de luto devido ao ataque.

O ataque
Um caminhão atropelou diversas pessoas que estavam assistindo à queima de fogos em comemoração ao 14 de Julho, Dia da Queda da Bastilha, em Nice, no sul do país, matando dezenas.
Segundo o ministro do Interior, Bernard Cazeneuve, havia 84 mortos. O gabinete da Procuradoria de Paris abriu uma investigação para apurar o ataque.
O ataque aconteceu no Promenade des Anglais (Passeio dos Ingleses), uma avenida à beira-mar, por volta das 22h30 (17h30 em Brasília). O procurador de Nice, Jean-Michel Prêtre, diz que o veículo percorreu 2 km entre a multidão. O motorista foi morto por policiais.
No momento em que o caminhão chegou, segundo o jornal “Nice Matin”, um grande grupo de pessoas começou a correr. O clima era de pânico, já que ninguém sabia se era um acidente ou se o motorista atingiu as pessoas deliberadamente. Várias delas entraram no mar para se proteger.
Fontes policiais disseram que o motorista do caminhão é um franco-tunisiano de 31 anos morador de Nice. O documento de identidade dele foi encontrado no interior do veículo, segundo a France Presse.
Um vídeo publicado no Twitter mostra um caminhão, que parece ser o que foi usado no atropelamento, acelerando em direção às pessoas.
G1