Hillary aceita oficialmente candidatura e diz que prioridade será empregos

hilary2Hillary Clinton aceitou oficialmente nesta quinta-feira (28) a nomeação do Partido Democrata de candidata às eleições presidenciais dos Estados Unidos do dia 8 de novembro, em discurso no último dia da Convenção Democrata na Filadélfia. A primeira mulher a concorrer à Casa Branca por um dos dois maiores partidos do país terá três meses de campanha para enfrentar o candidato republicano Donald Trump.
A ex-secretária de Estado criticou a retórica do rival republicano em diversas vezes ao longo de seu discurso. “Não vamos construir um muro, mas sim construir uma economia em que cada pessoa que queira um emprego possa tê-lo”, afirmou referindo-se ao muro que Trump defende construir na fronteira com o México.
“Trabalharemos com todos os americanos e aliados para lutar e derrotar o terrorismo”. “Não acredite em ninguém que diz ‘eu sozinho posso resolver’. Os americanos não dizem ‘eu sozinho posso resolver’. Nós dizemos ‘nós resolvemos juntos’, afirmou no grande palco do no Wells Fargo Center.
“Ouvimos Trump dizer na semana passada que quer nos separar do resto do mundo e entre nós mesmos. Ele quer que tenhamos medo do futuro e que tenhamos medo uns dos outros”, disse Hillary, que então invocou uma frase do ex-presidente Franklin D. Roosevelt, para mandar um recado a Trump: “A única coisa a qual devemos temer é a nós mesmos”.
Em outro momento, questionou seu temperamento para o cargo de comandante-chefe: “Imaginem ele no Salão Oval diante de uma crise real. Um homem que você pode atiçar com um tuíte não é um homem em que podemos confiar com armas nucleares”, disse.
“É com humildade, determinação e confiança sem limites na promessa americana que aceito a nomeação”, disse Hillary, acrescentando que será “a presidente de democratas, republicanos e independentes”.
Se eleita, Hillary será a primeira mulher a chefiar a Casa Branca. “Estar aqui como a filha da minha mãe e a mãe da minha filha… estou muito contente que este dia chegou. Feliz por avós e garotas e por todos. E pelos homens e garotos também, porque quando uma barreira cai na América, para qualquer um, o caminho se abre para todos”, disse.

Promessas
Após criticar Trump e relembrar sua carreira, a candidata passou a falar de suas promessas. A ex-senadora afirmou que o país está em um momento decisivo, e que sua prioridade como presidente será criar mais empregos com salários mais altos.
“Minha principal missão como presidente será criar mais oportunidade e mais empregos bons com salários melhores, bem aqui nos Estados Unidos”, afirmou, acrescentando que isso será feito “do primeiro dia no cargo até o último”. “E especialmente em lugares que, por muito tempo, foram postos de lado e deixados para trás”, complementou.
“Eu acredito que a América prospera quando a classe média prospera”, disse. E criticou as grandes empresas por não “devolver” ao país um investimento com o mesmo peso com que se beneficiam de incentivos fiscais.
Defendeu uma reforma no sistema imigratório para alavancar a economia. “Acredito que quando nós temos milhões de trabalhadores imigrantes contribuindo para a nossa economia, seria autodestrutivo e desumano expulsá-los. Uma reforma imigratória compreensiva fará a nossa economia crescer e manter as famílias unidas”.
A candidata prometeu agir contra o aquecimento global e pela criação de empregos não poluentes, pelos direitos dos trabalhadores, o acesso ao sistema de saúde, pela igualdade salarial e pela proteção do direito das mulheres “de tomar suas próprias decisões de saúde”.
Também destacou o tema da segurança nacional, citando recentes ataques e conflitos, além da ameaça do grupo extremista Estado Islâmico.
“Qualquer pessoa que lê o noticiário pode ver as ameaças e a turbulência que enfrentamos. De Bagdá a Cabul, a Nice e Paris e Bruxelas, a São Bernardino e Orlando. Estamos lidando com determinados inimigos que devem ser derrotados. Não é de se admirar que as pessoas estão ansiosas e à procura de tranquilidade, à procura de uma liderança estável”, afirmou, prometendo que a segurança será uma de suas prioridades.
Ainda denunciou o “racismo sistêmico” que sofrem as comunidades negra e latina no país, ao prometer uma reforma do sistema judiciário, a volta na confiança entre as comunidades e a polícia e um maior controle das armas.
Em um movimento já esperado, Hillary agradeceu seu ex-rival das prévias democratas Bernie Sanders, e se dirigiu a seus apoiadores: “Quero agradecer a Bernie Sanders… E dizer a todos os seus eleitores aqui e ao redor do país: quero que saibam que eu ouvi vocês. Sua causa é nossa causa. Nosso país precisa de suas ideias, da sua energia e da sua paixão”, declarou.
Voltou a mencionar Sanders quando falava sobre as suas promessas: “Eu e Bernie Sanders vamos trabalhar juntos para tornar gratuitas a mensalidade da faculdade para a classe média e a matrícula para todos”.

Chelsea
Hillary foi apresentada por sua filha, Chelsea Clinton, que destacou a força e o senso de justiça da mãe. “Ela nunca, nunca, se esquece pelo que está lutando”, disse a jovem, de 36 anos, sob o olhar atento do pai, Bill Clinton, na arquibancada do Wells Fargo Center, cercado por uma multidão de quase 5.000 delegados do partido.
“Em novembro eu votarei por uma mulher que não é só a minha mãe, mas um modelo, uma mulher que passou a vida inteira lutando por famílias e crianças, uma progressista que vai proteger nosso ambiente contra o aquecimento global e nossas comunidades da violência das armas, que vai reformar nosso sistema criminal, e que sabe que os direitos das mulheres são direitos humanos, e que os direitos LGBT são direitos humanos”, afirmou.
“Eu votarei em uma lutadora, que nunca desiste e que acredita que sempre podemos fazer melhor quando nos unimos”, afirmou. “Espero que algum dia meus filhos sejam orgulhosos de mim como sou de minha mãe. Sei de todo o meu coração que minha mãe nos fará tão orgulhosos como a próxima presidente”, concluiu.
Logo após o discurso de Hillary, o presidente Barack Obama tuitou: “Ótimo discurso. Ela passou no teste. Ela está pronta. Ela nunca desiste. É por isso que Hillary deve ser nossa próxima @POTUS [sigla para ‘presidente dos Estados Unidos’]”.
Hillary foi confirmada candidata nesta terça-feira. Após a apresentação dos votos dos delegados democratas de cada estado, seu concorrente nas primárias do partido Bernie Sanders assumiu o microfone, ovacionado, e pediu que as regras da convenção fossem suspensas e que Hillary fosse nomeada por aclamação. Após consultar o público presente, a presidente da convenção oficializou o resultado. O partido também confirmou a candidatura do senador Tim Kaine como vice na chapa.
Durante a convenção, Hillary teve o apoio de grandes figuras do Partido Democrata, como seu marido e ex-presidente Bill Clinton e o presidente Barack Obama. A atual primeira-dama, Michelle Obama, também a apoiou em um discurso comovente, que teve foco em suas filhas e incluiu críticas a Trump, sem mencioná-lo. A ex-secretária de Estado e ex-primeira-dama também teve o apoio de Sanders.
G1

hilary2Hillary Clinton aceitou oficialmente nesta quinta-feira (28) a nomeação do Partido Democrata de candidata às eleições presidenciais dos Estados Unidos do dia 8 de novembro, em discurso no último dia da Convenção Democrata na Filadélfia. A primeira mulher a concorrer à Casa Branca por um dos dois maiores partidos do país terá três meses de campanha para enfrentar o candidato republicano Donald Trump.
A ex-secretária de Estado criticou a retórica do rival republicano em diversas vezes ao longo de seu discurso. “Não vamos construir um muro, mas sim construir uma economia em que cada pessoa que queira um emprego possa tê-lo”, afirmou referindo-se ao muro que Trump defende construir na fronteira com o México.
“Trabalharemos com todos os americanos e aliados para lutar e derrotar o terrorismo”. “Não acredite em ninguém que diz ‘eu sozinho posso resolver’. Os americanos não dizem ‘eu sozinho posso resolver’. Nós dizemos ‘nós resolvemos juntos’, afirmou no grande palco do no Wells Fargo Center.
“Ouvimos Trump dizer na semana passada que quer nos separar do resto do mundo e entre nós mesmos. Ele quer que tenhamos medo do futuro e que tenhamos medo uns dos outros”, disse Hillary, que então invocou uma frase do ex-presidente Franklin D. Roosevelt, para mandar um recado a Trump: “A única coisa a qual devemos temer é a nós mesmos”.
Em outro momento, questionou seu temperamento para o cargo de comandante-chefe: “Imaginem ele no Salão Oval diante de uma crise real. Um homem que você pode atiçar com um tuíte não é um homem em que podemos confiar com armas nucleares”, disse.
“É com humildade, determinação e confiança sem limites na promessa americana que aceito a nomeação”, disse Hillary, acrescentando que será “a presidente de democratas, republicanos e independentes”.
Se eleita, Hillary será a primeira mulher a chefiar a Casa Branca. “Estar aqui como a filha da minha mãe e a mãe da minha filha… estou muito contente que este dia chegou. Feliz por avós e garotas e por todos. E pelos homens e garotos também, porque quando uma barreira cai na América, para qualquer um, o caminho se abre para todos”, disse.

Promessas
Após criticar Trump e relembrar sua carreira, a candidata passou a falar de suas promessas. A ex-senadora afirmou que o país está em um momento decisivo, e que sua prioridade como presidente será criar mais empregos com salários mais altos.
“Minha principal missão como presidente será criar mais oportunidade e mais empregos bons com salários melhores, bem aqui nos Estados Unidos”, afirmou, acrescentando que isso será feito “do primeiro dia no cargo até o último”. “E especialmente em lugares que, por muito tempo, foram postos de lado e deixados para trás”, complementou.
“Eu acredito que a América prospera quando a classe média prospera”, disse. E criticou as grandes empresas por não “devolver” ao país um investimento com o mesmo peso com que se beneficiam de incentivos fiscais.
Defendeu uma reforma no sistema imigratório para alavancar a economia. “Acredito que quando nós temos milhões de trabalhadores imigrantes contribuindo para a nossa economia, seria autodestrutivo e desumano expulsá-los. Uma reforma imigratória compreensiva fará a nossa economia crescer e manter as famílias unidas”.
A candidata prometeu agir contra o aquecimento global e pela criação de empregos não poluentes, pelos direitos dos trabalhadores, o acesso ao sistema de saúde, pela igualdade salarial e pela proteção do direito das mulheres “de tomar suas próprias decisões de saúde”.
Também destacou o tema da segurança nacional, citando recentes ataques e conflitos, além da ameaça do grupo extremista Estado Islâmico.
“Qualquer pessoa que lê o noticiário pode ver as ameaças e a turbulência que enfrentamos. De Bagdá a Cabul, a Nice e Paris e Bruxelas, a São Bernardino e Orlando. Estamos lidando com determinados inimigos que devem ser derrotados. Não é de se admirar que as pessoas estão ansiosas e à procura de tranquilidade, à procura de uma liderança estável”, afirmou, prometendo que a segurança será uma de suas prioridades.
Ainda denunciou o “racismo sistêmico” que sofrem as comunidades negra e latina no país, ao prometer uma reforma do sistema judiciário, a volta na confiança entre as comunidades e a polícia e um maior controle das armas.
Em um movimento já esperado, Hillary agradeceu seu ex-rival das prévias democratas Bernie Sanders, e se dirigiu a seus apoiadores: “Quero agradecer a Bernie Sanders… E dizer a todos os seus eleitores aqui e ao redor do país: quero que saibam que eu ouvi vocês. Sua causa é nossa causa. Nosso país precisa de suas ideias, da sua energia e da sua paixão”, declarou.
Voltou a mencionar Sanders quando falava sobre as suas promessas: “Eu e Bernie Sanders vamos trabalhar juntos para tornar gratuitas a mensalidade da faculdade para a classe média e a matrícula para todos”.

Chelsea
Hillary foi apresentada por sua filha, Chelsea Clinton, que destacou a força e o senso de justiça da mãe. “Ela nunca, nunca, se esquece pelo que está lutando”, disse a jovem, de 36 anos, sob o olhar atento do pai, Bill Clinton, na arquibancada do Wells Fargo Center, cercado por uma multidão de quase 5.000 delegados do partido.
“Em novembro eu votarei por uma mulher que não é só a minha mãe, mas um modelo, uma mulher que passou a vida inteira lutando por famílias e crianças, uma progressista que vai proteger nosso ambiente contra o aquecimento global e nossas comunidades da violência das armas, que vai reformar nosso sistema criminal, e que sabe que os direitos das mulheres são direitos humanos, e que os direitos LGBT são direitos humanos”, afirmou.
“Eu votarei em uma lutadora, que nunca desiste e que acredita que sempre podemos fazer melhor quando nos unimos”, afirmou. “Espero que algum dia meus filhos sejam orgulhosos de mim como sou de minha mãe. Sei de todo o meu coração que minha mãe nos fará tão orgulhosos como a próxima presidente”, concluiu.
Logo após o discurso de Hillary, o presidente Barack Obama tuitou: “Ótimo discurso. Ela passou no teste. Ela está pronta. Ela nunca desiste. É por isso que Hillary deve ser nossa próxima @POTUS [sigla para ‘presidente dos Estados Unidos’]”.
Hillary foi confirmada candidata nesta terça-feira. Após a apresentação dos votos dos delegados democratas de cada estado, seu concorrente nas primárias do partido Bernie Sanders assumiu o microfone, ovacionado, e pediu que as regras da convenção fossem suspensas e que Hillary fosse nomeada por aclamação. Após consultar o público presente, a presidente da convenção oficializou o resultado. O partido também confirmou a candidatura do senador Tim Kaine como vice na chapa.
Durante a convenção, Hillary teve o apoio de grandes figuras do Partido Democrata, como seu marido e ex-presidente Bill Clinton e o presidente Barack Obama. A atual primeira-dama, Michelle Obama, também a apoiou em um discurso comovente, que teve foco em suas filhas e incluiu críticas a Trump, sem mencioná-lo. A ex-secretária de Estado e ex-primeira-dama também teve o apoio de Sanders.
G1