Abertura dos Jogos terá criatividade e “gambiarra” para superar baixo orçamento

A cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro terá um orçamento menor que as festas que deram início às últimas edições dos jogos. Sem divulgar o orçamento, os diretores e produtores da cerimônia informaram hoje (4) que o espetáculo vai apostar em projeções, criatividade e no “espírito da gambiarra” e que será lembrado como uma cerimôniacool (descolada).
“A gente teve muito menos do que qualquer uma das últimas cerimônias. Trabalhamos usando essa força a nossa favor. Temos uma coisa de alta tecnologia, que é a projeção. Para o resto, nos viramos nos 30, mas acho que vamos entregar”, afirmou o diretor Criativo, Andrucha Waddington, que contou ter recorrido ao centro de comércio popular do Rio de Janeiro.
Maracanã
A também diretora Criativa Daniela Thomas explicou que o Estádio do Maracanã impôs algumas dificuldades à cerimônia, como ter portões de entrada de apenas dois metros, cadeiras próximas ao campo e menos espaço para o “palco”, por não ter uma pista olímpica.
“Tínhamos um orçamento muito abaixo da expectativa em relação a um espetáculo dessa natureza, mas acho que estamos acostumados com esse tipo de questão. O espírito da gambiarra é importante aqui no Brasil”, acrescentou Daniela. “Isso não é uma coisa sacrificante. Não é um ‘coitados de nós’. Gambiarra rocks, gambiarra é maravilha, gambiarra é pura criação.”
Para superar essas dificuldades, Daniela disse que os criadores buscaram um “repetório analógico”, consultando, inclusive, técnicas usadas em festas da Grécia e Roma clássicas.
“Não tinham tecnologia, mas não deixavam de encantar”, destacou Daniela. Ela afirmou que as atrações musicais se apresentarão sem receber cachê. Estão confirmados Caetano Veloso, Gilberto Gil, Anitta e Ludmilla, por exemplo. Conforme a diretora, a ideia é misturar a música consagrada no Brasil com sucessos recentes e populares.

Orçamento
Diretor de Cerimônias da Rio 2016, Leonardo Caetano afirmou que a solução “gambiarra” vai produzir um bom resultado. “Isso não é só statement. Usamos isso no dia a dia, buscando soluções que, no fim, tem efeito espetacular”.
O orçamento da cerimônia de abertura não será divulgado separadamente, segundo a Rio 2016. Em vez disso, será disponibilizado em conjunto com o da cerimônia de encerramento e com as cerimônias paralímpicas.
A explicação do comitê é que os contratos foram firmados para todas as festas e, por isso, há apenas um orçamento. A expectativa é que entre 3 e 5 bilhões de pessoas assistam à cerimônia em todo o mundo e que o público no Maracanã seja de 50 mil pessoas.
Agência Brasil

A cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro terá um orçamento menor que as festas que deram início às últimas edições dos jogos. Sem divulgar o orçamento, os diretores e produtores da cerimônia informaram hoje (4) que o espetáculo vai apostar em projeções, criatividade e no “espírito da gambiarra” e que será lembrado como uma cerimôniacool (descolada).
“A gente teve muito menos do que qualquer uma das últimas cerimônias. Trabalhamos usando essa força a nossa favor. Temos uma coisa de alta tecnologia, que é a projeção. Para o resto, nos viramos nos 30, mas acho que vamos entregar”, afirmou o diretor Criativo, Andrucha Waddington, que contou ter recorrido ao centro de comércio popular do Rio de Janeiro.
Maracanã
A também diretora Criativa Daniela Thomas explicou que o Estádio do Maracanã impôs algumas dificuldades à cerimônia, como ter portões de entrada de apenas dois metros, cadeiras próximas ao campo e menos espaço para o “palco”, por não ter uma pista olímpica.
“Tínhamos um orçamento muito abaixo da expectativa em relação a um espetáculo dessa natureza, mas acho que estamos acostumados com esse tipo de questão. O espírito da gambiarra é importante aqui no Brasil”, acrescentou Daniela. “Isso não é uma coisa sacrificante. Não é um ‘coitados de nós’. Gambiarra rocks, gambiarra é maravilha, gambiarra é pura criação.”
Para superar essas dificuldades, Daniela disse que os criadores buscaram um “repetório analógico”, consultando, inclusive, técnicas usadas em festas da Grécia e Roma clássicas.
“Não tinham tecnologia, mas não deixavam de encantar”, destacou Daniela. Ela afirmou que as atrações musicais se apresentarão sem receber cachê. Estão confirmados Caetano Veloso, Gilberto Gil, Anitta e Ludmilla, por exemplo. Conforme a diretora, a ideia é misturar a música consagrada no Brasil com sucessos recentes e populares.

Orçamento
Diretor de Cerimônias da Rio 2016, Leonardo Caetano afirmou que a solução “gambiarra” vai produzir um bom resultado. “Isso não é só statement. Usamos isso no dia a dia, buscando soluções que, no fim, tem efeito espetacular”.
O orçamento da cerimônia de abertura não será divulgado separadamente, segundo a Rio 2016. Em vez disso, será disponibilizado em conjunto com o da cerimônia de encerramento e com as cerimônias paralímpicas.
A explicação do comitê é que os contratos foram firmados para todas as festas e, por isso, há apenas um orçamento. A expectativa é que entre 3 e 5 bilhões de pessoas assistam à cerimônia em todo o mundo e que o público no Maracanã seja de 50 mil pessoas.
Agência Brasil