I Encontro de Criadores de Pitbull Ferocious de Campina Grande acontece dia 07 de setembro

pitMencione as palavras “Pit Bull”, e um intenso debate é quase inevitável. Reprodução sem escrúpulos por cidadãos sem princípios, relatos negativos sensacionalistas e antigos mitos em torno desses tipos de cães levaram a sua difamação. Poucos cachorros conseguem despertar reações tão diversas nos seres humanos como os pitbulls. Mas, se de um lado temos pessoas que odeiam e temem os pits, por outro existem os apaixonados pela raça e estes apaixonados se unem em Campina Grande próximo dia 07 de setembro para o I Encontro de Criadores de Pitbull Ferocious de Campina Grande.
O Encontro, a partir das 16 horas, no Açude Velho (próximo ao Sesc) tem como objetivo mostrar as pessoas o quanto a raça é dócil e apagar os mitos existentes. Uma das organizadoras do evento Gisélia Nogueira, tem vários cães registrados na Confederação Brasileira de Cinofilia (CBKC), entre seus cães o mais velho tem nove anos e o mais novo 30 dias, ela disse que os animais convivem bem com todos da família, inclusive com seu filho de 12 anos e uma sobrinha de quatro. “Estarei no encontro com alguns dos meus cães para mostrar que são amigos e parceiros, desmentindo assim o mito de cão violento”, falou.
Durante o Encontro, o Centro de Zoonoses estará no local aplicando vacina contra raiva. O veterinário Luciano Diniz também estará presente tirando dúvidas sobre a criação dos pitts. Na oportunidade as pessoas que forem ao local poderão doar cinco quilos de ração para cães e concorrer ao sorteio de um pitbull bebê. “Esta ração será doada a Organizações Não Governamentais que cuidam de cães abandonados”, explica Camila Souza uma das organizadoras. Outra forma de participar do sorteio é comprando uma camiseta do encontro, cuja renda também será revertida para as ONGs. Os que adquirirem as camisetas concorrem ainda ao sorteio de um tatoo com o desenho de uma pata de cão.
A jornalista Maria Zita Almeida criou um pinscher por 13 anos e em julho último o cãozinho faleceu, vendo a tristeza dela uma sobrinha lhe perguntou se ela queria um pitbull e ela aceitou. “O que mais ouvi quando contei minha decisão para as pessoas foi que eu era louca, que tinha muita coragem, que ia me arrepender. Estou com o Zheus há quatro meses – ele tem cinco – e é o xodó da família, nunca vi tão dócil, diferente do pinscher que apesar de pequeno não gostava de afagos, o pitbull é um verdadeiro bebê. Estou cada dia mais apaixonada”, diz a jornalista.
Pitbull, é uma abreviação de American Pit Bull Terrier, uma raça canina de origem norte-americana. O número de Pit Bulls vem crescendo no Brasil a cada ano e ganhando vários novos admiradores por todo o mundo. Criado com amor, assertividade, paciência e liderança, são cães extremamente dóceis e companheiros.

pitMencione as palavras “Pit Bull”, e um intenso debate é quase inevitável. Reprodução sem escrúpulos por cidadãos sem princípios, relatos negativos sensacionalistas e antigos mitos em torno desses tipos de cães levaram a sua difamação. Poucos cachorros conseguem despertar reações tão diversas nos seres humanos como os pitbulls. Mas, se de um lado temos pessoas que odeiam e temem os pits, por outro existem os apaixonados pela raça e estes apaixonados se unem em Campina Grande próximo dia 07 de setembro para o I Encontro de Criadores de Pitbull Ferocious de Campina Grande.
O Encontro, a partir das 16 horas, no Açude Velho (próximo ao Sesc) tem como objetivo mostrar as pessoas o quanto a raça é dócil e apagar os mitos existentes. Uma das organizadoras do evento Gisélia Nogueira, tem vários cães registrados na Confederação Brasileira de Cinofilia (CBKC), entre seus cães o mais velho tem nove anos e o mais novo 30 dias, ela disse que os animais convivem bem com todos da família, inclusive com seu filho de 12 anos e uma sobrinha de quatro. “Estarei no encontro com alguns dos meus cães para mostrar que são amigos e parceiros, desmentindo assim o mito de cão violento”, falou.
Durante o Encontro, o Centro de Zoonoses estará no local aplicando vacina contra raiva. O veterinário Luciano Diniz também estará presente tirando dúvidas sobre a criação dos pitts. Na oportunidade as pessoas que forem ao local poderão doar cinco quilos de ração para cães e concorrer ao sorteio de um pitbull bebê. “Esta ração será doada a Organizações Não Governamentais que cuidam de cães abandonados”, explica Camila Souza uma das organizadoras. Outra forma de participar do sorteio é comprando uma camiseta do encontro, cuja renda também será revertida para as ONGs. Os que adquirirem as camisetas concorrem ainda ao sorteio de um tatoo com o desenho de uma pata de cão.
A jornalista Maria Zita Almeida criou um pinscher por 13 anos e em julho último o cãozinho faleceu, vendo a tristeza dela uma sobrinha lhe perguntou se ela queria um pitbull e ela aceitou. “O que mais ouvi quando contei minha decisão para as pessoas foi que eu era louca, que tinha muita coragem, que ia me arrepender. Estou com o Zheus há quatro meses – ele tem cinco – e é o xodó da família, nunca vi tão dócil, diferente do pinscher que apesar de pequeno não gostava de afagos, o pitbull é um verdadeiro bebê. Estou cada dia mais apaixonada”, diz a jornalista.
Pitbull, é uma abreviação de American Pit Bull Terrier, uma raça canina de origem norte-americana. O número de Pit Bulls vem crescendo no Brasil a cada ano e ganhando vários novos admiradores por todo o mundo. Criado com amor, assertividade, paciência e liderança, são cães extremamente dóceis e companheiros.