Rádio Senado lembra que Lira foi um dos quatro senadores a participar de um segundo julgamento de um presidente da República

Reportagem da Rádio Senado veiculada recentemente mostrou que o Senador Raimundo Lira (PMDB-PB) é um dos quatro senadores que participaram, pela segunda vez, do julgamento de um presidente da República no Brasil. A reportagem é do jornalista Maurício de Santi e destaca que Lira também presidiu a Comissão Especial do Impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff (PT).

“Os senadores Edison Lobão (PMDB-MA), Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), José Agripino (DEM-RN), e Raimundo Lira (PMDB-PB), participam pela segunda do julgamento de um presidente da República. Os quatro eram senadores em 1992, quando o Senado julgou o ex-presidente Fernando Collor”, diz trecho da reportagem.
O repórter Maurício de Santi reproduziu trecho de discurso de Raimundo Lira, proferido no dia 26 de abril deste ano, quando o paraibano assumiu a presidência da Comissão Especial do Impeachment do Senado Federal, no qual ele afirmou que os trabalhos do colegiado se pautariam pela defesa do interesse público e da democracia.

“Que as disputas se atenham ao campo das ideias e da política, que estejamos, também, dispostos a ouvir. Que discordemos, sim, mas que não percamos de vista que estamos todos aqui comprometidos com o interesse público comum, maior do que todo este processo, o exercício da democracia, da paz e da justiça”, afirmou Raimundo Lira, na oportunidade.
Assessoria

Reportagem da Rádio Senado veiculada recentemente mostrou que o Senador Raimundo Lira (PMDB-PB) é um dos quatro senadores que participaram, pela segunda vez, do julgamento de um presidente da República no Brasil. A reportagem é do jornalista Maurício de Santi e destaca que Lira também presidiu a Comissão Especial do Impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff (PT).

“Os senadores Edison Lobão (PMDB-MA), Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), José Agripino (DEM-RN), e Raimundo Lira (PMDB-PB), participam pela segunda do julgamento de um presidente da República. Os quatro eram senadores em 1992, quando o Senado julgou o ex-presidente Fernando Collor”, diz trecho da reportagem.
O repórter Maurício de Santi reproduziu trecho de discurso de Raimundo Lira, proferido no dia 26 de abril deste ano, quando o paraibano assumiu a presidência da Comissão Especial do Impeachment do Senado Federal, no qual ele afirmou que os trabalhos do colegiado se pautariam pela defesa do interesse público e da democracia.

“Que as disputas se atenham ao campo das ideias e da política, que estejamos, também, dispostos a ouvir. Que discordemos, sim, mas que não percamos de vista que estamos todos aqui comprometidos com o interesse público comum, maior do que todo este processo, o exercício da democracia, da paz e da justiça”, afirmou Raimundo Lira, na oportunidade.
Assessoria