Candidato a prefeito de município no Cariri morre vítima de infarto

matiasNa manhã desta terça-feira (27), o candidato a prefeito Petrônio Matias de Medeiros, que disputava as eleições na cidade de Santo André, no Cariri paraibano, morreu aos 71 anos, vítima de infarto.

De acordo com informações confirmadas pela prefeitura da cidade, que decretou três dias de luto oficial, o empresário morreu em casa.

Petrônio já foi prefeito de Gurjão, e emancipou a cidade de Santo André no ano de 1996.

O velório está ocorrendo na residência da família e o sepultamento acontece às 17h desta quarta-feira (28) no cemitério do Sagrado Coração de Jesus.

O que diz a legislação eleitoral
Em caso de morte, a chapa pode mudar de candidato depois do prazo máximo de 20 dias que antecedem as eleições. Este é o único caso em que a mudança é possível. A coligação pode indicar outro nome para substituir o candidato que morreu, o que pode ocorrer até a véspera do pleito.

No caso do falecimento de Petrônio Matias, como os dados já foram instalados na urnas eleitorais e elas já foram lacradas para distribuição, no dia da eleição, a foto e dados de Petrônio Medeiros vão aparecer na urna, caso a coligação decida por indicar outro nome.

PB Agora

matiasNa manhã desta terça-feira (27), o candidato a prefeito Petrônio Matias de Medeiros, que disputava as eleições na cidade de Santo André, no Cariri paraibano, morreu aos 71 anos, vítima de infarto.

De acordo com informações confirmadas pela prefeitura da cidade, que decretou três dias de luto oficial, o empresário morreu em casa.

Petrônio já foi prefeito de Gurjão, e emancipou a cidade de Santo André no ano de 1996.

O velório está ocorrendo na residência da família e o sepultamento acontece às 17h desta quarta-feira (28) no cemitério do Sagrado Coração de Jesus.

O que diz a legislação eleitoral
Em caso de morte, a chapa pode mudar de candidato depois do prazo máximo de 20 dias que antecedem as eleições. Este é o único caso em que a mudança é possível. A coligação pode indicar outro nome para substituir o candidato que morreu, o que pode ocorrer até a véspera do pleito.

No caso do falecimento de Petrônio Matias, como os dados já foram instalados na urnas eleitorais e elas já foram lacradas para distribuição, no dia da eleição, a foto e dados de Petrônio Medeiros vão aparecer na urna, caso a coligação decida por indicar outro nome.

PB Agora