Escolinha de futebol diminui a marginalidade

As práticas esportivas tem sido uma importante ferramenta para a socialização e educação de crianças e adolescentes, servindo como importante aliada na prevenção contra as drogas e criminalidade. O futebol, por ser um dos esportes mais tradicionais de nosso país e por não necessitar de altos investimentos para ser praticado, como é o caso de outras modalidades, desperta o interesse de cidadãos comuns que buscam dá sua parcela de contribuição para o desenvolvimento social das comunidades onde estão inseridos. Este é o caso da “Escolinha de futebol do Silva”. Centro de treinamento esportivo para crianças e adolescentes localizado na cidade de Pilões, no brejo paraibano.
O idealizador do projeto é Severino Simão da Silva, funcionário público, que desenvolve o projeto desde 1998. A Escolinha começou com trinta alunos, e atualmente conta com mais de cem desportistas escritos, que frequentam rigorosamente as aulas que acontecem uma vez por semana, aos sábados pela manhã. Como a instituição não possui sede própria, os treinos ocorrem no Estádio Municipal de Pilões, espaço cedido pela Prefeitura da Cidade, sob o comando do “professor Silva”, como é mais conhecido o diretor e treinador da Escolinha.
Em atividade há quase duas décadas o projeto tem cumprido bem seu papel social de educar através do esporte e manter os jovens longe das drogas e de outras atividades ilícitas. “Silva” se mostra satisfeito com os resultados positivos: “Há dezessete anos tento manter as crianças longe da marginalidade com o futebol, e temos conseguido”, comemora o diretor.
Mais de trezentos alunos já foram beneficiados com o projeto e alguns destes chegaram a se profissionalizar como atletas de futebol, atuando em times brasileiros e também do exterior. “Muitos deles têm uma potência extrema no futebol, eles possuem um extinto brasileiro”, comenta o treinador.
O jogador Emanuel Vilanez, o famoso Ney Paraíba, foi um ex-aluno da Escola. Ele atuou por vários clubes, como o Guarani (SP), São Caetano (SP), Mogi Mirim (SP), entre outros times nacionais e internacionais: “Graças a Deus hoje sou um profissional devido ao aprendizado que tive na escolinha. Espero que ela cresça cada vez mais dando oportunidade para muitos se tornarem profissional assim como me tornei. É muito gratificante em dizer que fiz parte desse projeto grandioso, sinto orgulho em poder levar isso comigo”, pontuou o atleta.
Outro fruto do projeto é Rafael Targino (Rafael Paraíba), atacante do Clube Esportivo Aimoré. O jogador conta do incentivo encontrado na “escolinha”, sendo fundamental para seu desenvolvimento como cidadão e como atleta: “O professor Silva mostrava tudo o que iríamos passar nos clubes pelo mundo a fora, ele nos tratava como verdadeiros profissionais. Além disso, tive um crescimento precoce no rendimento escolar. Tudo o que aprendi levo comigo até hoje, a escolinha foi o início pra chegar onde estou”, agradece o ex-aluno.
A Escola de Futebol atende crianças e adolescentes da zona urbana e rural de Pilões. Para inscrever-se o aluno precisa está acompanhado dos pais, e munidos de Xerox do documento de identidade (RG) ou registro de nascimento, duas fotos 3×4 e pagar uma taxa de R$2 (dois reais). Os interessados devem ter entre dez e dezessete anos de idade.

Por Jaime Sebastião de Souza Neto (Jornalista)

As práticas esportivas tem sido uma importante ferramenta para a socialização e educação de crianças e adolescentes, servindo como importante aliada na prevenção contra as drogas e criminalidade. O futebol, por ser um dos esportes mais tradicionais de nosso país e por não necessitar de altos investimentos para ser praticado, como é o caso de outras modalidades, desperta o interesse de cidadãos comuns que buscam dá sua parcela de contribuição para o desenvolvimento social das comunidades onde estão inseridos. Este é o caso da “Escolinha de futebol do Silva”. Centro de treinamento esportivo para crianças e adolescentes localizado na cidade de Pilões, no brejo paraibano.
O idealizador do projeto é Severino Simão da Silva, funcionário público, que desenvolve o projeto desde 1998. A Escolinha começou com trinta alunos, e atualmente conta com mais de cem desportistas escritos, que frequentam rigorosamente as aulas que acontecem uma vez por semana, aos sábados pela manhã. Como a instituição não possui sede própria, os treinos ocorrem no Estádio Municipal de Pilões, espaço cedido pela Prefeitura da Cidade, sob o comando do “professor Silva”, como é mais conhecido o diretor e treinador da Escolinha.
Em atividade há quase duas décadas o projeto tem cumprido bem seu papel social de educar através do esporte e manter os jovens longe das drogas e de outras atividades ilícitas. “Silva” se mostra satisfeito com os resultados positivos: “Há dezessete anos tento manter as crianças longe da marginalidade com o futebol, e temos conseguido”, comemora o diretor.
Mais de trezentos alunos já foram beneficiados com o projeto e alguns destes chegaram a se profissionalizar como atletas de futebol, atuando em times brasileiros e também do exterior. “Muitos deles têm uma potência extrema no futebol, eles possuem um extinto brasileiro”, comenta o treinador.
O jogador Emanuel Vilanez, o famoso Ney Paraíba, foi um ex-aluno da Escola. Ele atuou por vários clubes, como o Guarani (SP), São Caetano (SP), Mogi Mirim (SP), entre outros times nacionais e internacionais: “Graças a Deus hoje sou um profissional devido ao aprendizado que tive na escolinha. Espero que ela cresça cada vez mais dando oportunidade para muitos se tornarem profissional assim como me tornei. É muito gratificante em dizer que fiz parte desse projeto grandioso, sinto orgulho em poder levar isso comigo”, pontuou o atleta.
Outro fruto do projeto é Rafael Targino (Rafael Paraíba), atacante do Clube Esportivo Aimoré. O jogador conta do incentivo encontrado na “escolinha”, sendo fundamental para seu desenvolvimento como cidadão e como atleta: “O professor Silva mostrava tudo o que iríamos passar nos clubes pelo mundo a fora, ele nos tratava como verdadeiros profissionais. Além disso, tive um crescimento precoce no rendimento escolar. Tudo o que aprendi levo comigo até hoje, a escolinha foi o início pra chegar onde estou”, agradece o ex-aluno.
A Escola de Futebol atende crianças e adolescentes da zona urbana e rural de Pilões. Para inscrever-se o aluno precisa está acompanhado dos pais, e munidos de Xerox do documento de identidade (RG) ou registro de nascimento, duas fotos 3×4 e pagar uma taxa de R$2 (dois reais). Os interessados devem ter entre dez e dezessete anos de idade.

Por Jaime Sebastião de Souza Neto (Jornalista)