Criança é internada na UTI em Campina Grande depois de beber suco de fruta em caixa

Um menino de 7 anos está internado na UTI infantil do Hospital de Trauma de Campina Grande depois de passar mal após ingerir um suco de laranja industrializado enquanto lanchava, em uma escola do município de Lagoa Seca, no Agreste paraibano, a 125 km de João Pessoa.

O diretor geral da unidade, Geraldo Medeiros, confirmou o caso e disse que a criança chegou ao hospital com quadro de mal-estar, vômito e convulsões. Ao ser atendido, o menino foi internado, sedado e respira com ajuda de aparelhos.

“Trouxeram ele diretamente da escola. Os familiares suspeitam de que os problemas começaram meia hora após o menino ingerir um suco de caixinha, quando ele teve quadro de vômito e convulsões. Já nesta tarde, ele começou a apresentar melhora no estado de saúde e deve conseguir respirar por conta própria”, afirmou o diretor.

Ainda segundo o diretor, o hospital colheu sangue, urina e parte do suco ingerido pela criança para que o Instituto de Polícia Científica (IPC) possa realizar exames que comprovem ou não que o suco foi o responsável pelo problema de saúde.
Portalcorreio

Um menino de 7 anos está internado na UTI infantil do Hospital de Trauma de Campina Grande depois de passar mal após ingerir um suco de laranja industrializado enquanto lanchava, em uma escola do município de Lagoa Seca, no Agreste paraibano, a 125 km de João Pessoa.

O diretor geral da unidade, Geraldo Medeiros, confirmou o caso e disse que a criança chegou ao hospital com quadro de mal-estar, vômito e convulsões. Ao ser atendido, o menino foi internado, sedado e respira com ajuda de aparelhos.

“Trouxeram ele diretamente da escola. Os familiares suspeitam de que os problemas começaram meia hora após o menino ingerir um suco de caixinha, quando ele teve quadro de vômito e convulsões. Já nesta tarde, ele começou a apresentar melhora no estado de saúde e deve conseguir respirar por conta própria”, afirmou o diretor.

Ainda segundo o diretor, o hospital colheu sangue, urina e parte do suco ingerido pela criança para que o Instituto de Polícia Científica (IPC) possa realizar exames que comprovem ou não que o suco foi o responsável pelo problema de saúde.
Portalcorreio