Paquistão vai deportar mulher afegã capa da National Geographic

refugiadaSharbat Gula, a afegã que ficou famosa ainda menina quando estampou a capa da revista National Geographic, será liberada e deportada nos próximos dias, após cumprir a pena de 15 dias de prisão que lhe foi imposta nesta sexta-feira (4) por um tribunal paquistanês.
Ela foi detida no Paquistão por posse ilegal de documentos de identidade.
“Com um grande prazer, anuncio que Sharbat Gula já está livre dos problemas legais que enfrentou nas últimas semanas. Será libertada em breve”, afirmou em sua página do Facebook o embaixador afegão no Paquistão, Omar Zakhilwal.
Mohsin Dawar, membro da equipe legal de Gula, disse à Agência Efe que um tribunal especial anticorrupção de Peshawar (noroeste) a condenou nesta sexta-feira a 15 dias de prisão, dos quais já cumpriu a maioria, depois que a refugiada se declarou culpada de todas as acusações.
Além disso, terá que pagar uma multa de 100 mil rúpias paquistanesas (860 euros) e deverá deixar o Paquistão após sua libertação.
Gula foi detida no dia 26 de outubro por supostamente obter documentos de identidade paquistaneses para ela e dois supostos filhos, após subornar três funcionários, e podia pegar uma pena de até 14 anos de prisão.
A refugiada, de cerca de 40 anos, mãe de quatro filhos e doente de hepatite C, voltará aoAfeganistão na próxima segunda-feira, onde será recebida pelo presidente do país, Ashraf Ghani, segundo informou Zakhilwal.
Segundo o diplomata, Gula receberá ajuda do governo para começar uma nova vida em seu país natal, onde quase não viveu.
O fotógrafo americano Steve McCurry imortalizou a afegã em 1984, quando tinha 12 anos, em um campo de refugiados em Peshawar, fotografia que seria publicada um ano depois, convertendo-se em uma das imagens mais famosas do século XX.
G1

refugiadaSharbat Gula, a afegã que ficou famosa ainda menina quando estampou a capa da revista National Geographic, será liberada e deportada nos próximos dias, após cumprir a pena de 15 dias de prisão que lhe foi imposta nesta sexta-feira (4) por um tribunal paquistanês.
Ela foi detida no Paquistão por posse ilegal de documentos de identidade.
“Com um grande prazer, anuncio que Sharbat Gula já está livre dos problemas legais que enfrentou nas últimas semanas. Será libertada em breve”, afirmou em sua página do Facebook o embaixador afegão no Paquistão, Omar Zakhilwal.
Mohsin Dawar, membro da equipe legal de Gula, disse à Agência Efe que um tribunal especial anticorrupção de Peshawar (noroeste) a condenou nesta sexta-feira a 15 dias de prisão, dos quais já cumpriu a maioria, depois que a refugiada se declarou culpada de todas as acusações.
Além disso, terá que pagar uma multa de 100 mil rúpias paquistanesas (860 euros) e deverá deixar o Paquistão após sua libertação.
Gula foi detida no dia 26 de outubro por supostamente obter documentos de identidade paquistaneses para ela e dois supostos filhos, após subornar três funcionários, e podia pegar uma pena de até 14 anos de prisão.
A refugiada, de cerca de 40 anos, mãe de quatro filhos e doente de hepatite C, voltará aoAfeganistão na próxima segunda-feira, onde será recebida pelo presidente do país, Ashraf Ghani, segundo informou Zakhilwal.
Segundo o diplomata, Gula receberá ajuda do governo para começar uma nova vida em seu país natal, onde quase não viveu.
O fotógrafo americano Steve McCurry imortalizou a afegã em 1984, quando tinha 12 anos, em um campo de refugiados em Peshawar, fotografia que seria publicada um ano depois, convertendo-se em uma das imagens mais famosas do século XX.
G1