Agricultores quilombolas se preparam para venda direta ao consumidor

Os agricultores familiares da comunidade quilombola Senhor do Bonfim, no município de Areia, que integram um dos seis núcleos do Projeto Ecoprodutivo da Gestão Unificada Emepa/Interpa/Emater, vinculada à Secretaria de Estado de Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca, receberam, no domingo (5), a visita de um grupo de integrantes do Coletivo Gaia Paraíba que manifesta o desejo de comprar cestas com produtos agrícolas da comunidade. Foi uma oportunidade para contatos e conhecimento dos métodos de produção utilizados.
A proposta é criar uma relação de consumo com os agricultores que se tornarão fornecedores da própria produção agrícola diretamente aos consumidores. Uma das integrantes do Coletivo Gaia Paraíba, Fernanda Quadro, informou que a proposta é formar um grupo fixo de pessoas que se propõe a comprar mensalmente produtos agrícolas, principalmente frutas e hortaliças, com entrega semanal. Outra integrante é Viviam Maitê, que juntas encaminharam as discussões e se propõem, voluntariamente, a contribuir com essa ação.
Depois da visita, Fernanda relatou a vitalidade dos gestos dos quilombolas do Bonfim, que hoje são donos das terras do antigo engenho, trabalham comunitariamente com diversificação agropecuária, com enfoque maior para as hortaliças. “Os alimentos orgânicos surgiram de suas habilidades natas, contando com incentivo da Emater e suas capacitações. Hoje, os quilombolas vivem no paraíso depois de tanta luta, e nós os motivamos ainda mais a acreditar que o amor à terra e a natureza é uma conexão tão forte que resiste a tudo”, comentou.
O Coletivo Gaia Paraíba voluntariamente está criando uma rede de fortalecimento da agricultura familiar orgânica, a fim de contribuir com a comercialização por parte dos agricultores e atender o desejo deles, enquanto consumidores, de ter à mesa alimentos saudáveis.
Localizada no Território da Cidadania Borborema, a comunidade quilombola Senhor do Bonfim, conta com 22 famílias. Neste ano, passou a integrar o Projeto Ecoprodutivo que, numa parceria com a Associação de Moradores, da Associação de Apoio aos Assentamentos e Comunidades Afro-descendentes da Paraíba (Aacade-PB), desenvolve ações que melhoram a qualidade de vida de seus integrantes.
Com a intermediação da Emater-GU, o agricultor familiar Luciano Wanderley Soares de Maria participou do Curso Educação Gaia João Pessoa, realizado neste ano e recentemente encerrado, levando à comunidade as experiências aprendidas. “Com a presença do Ecoprodutivo tudo está se modificando em nossa comunidade, alavancando mudanças. Participar do curso do Gaia, a convite da Emater, foi uma coisa boa porque podemos trazer algo novo para a comunidade”, comentou Luciano.
As 22 famílias remanescentes de quilombo Senhor do Bonfim moram numa área com aproximadamente 122 hectares, onde viveram seus antepassados. Na ocasião do encontro, a presidente da Associação de Apoio aos Assentamentos e Comunidades Afro-descendentes da Paraíba (Aacade-PB), Francimar Fernandes, falou sobre a caminhada e conquistas deles. Os integrantes do Gaia se emocionaram com a história de luta e perseverança para conquistar a posse definitiva das terras. “Agora, pouco mais de uma década depois, estamos vivendo uma nova vida e com a chegada do Ecoprodutivo, temos avançado ainda mais e, acreditamos que mais coisas virão”, comentou o presidente da Associação de Moradores, Geraldo Gomes de Maria.

Cesta de orgânicos – Ao perceber as necessidades de comercialização por parte dos agricultores e deles, consumidores, o Coletivo Gaia Paraíba, voluntariamente, está criando uma rede de fortalecimento da agricultura familiar orgânica. Após o encontro do domingo, ficou acertado que a partir de agora, as cestas terão dois tamanhos: pequena (1 a 3 pessoas) – R$ 30,00 e média (acima de 4 pessoas) – R$ 55,00.
São compostas por: alface (crespa ou americana), espinafre, coentro, salsinha, cebola, cebolinha, couve, cenoura, rúcula, hortelã, pimentão (verde e vermelho), macaxeira, limão (galego e taiti, a depender da época), banana e uma fruta da estação (variável de acordo com as produções da época). A diferença de valor corresponde a quantidade das porções, sendo a média o dobro da pequena.

Ainda é possível fazer pedidos avulsos, conforme lista abaixo:

Alface americana (unidade) R$2,50
Alface crespa(unidade) R$ 2,50
Couve (molho) R$2,00
Coentro (molho) R$2,00
Cebolinha (molho) R$2,00
Cebola (molho) R$2,50
Espinafre (molho) R$2,00
Macaxeira (kg) R$ 3,00
Cenoura (kg) R$3,00
Maxixes molho) R$2,00
Pimentão (3 unidades) R$2,00
Banana (10 unidades) R$3,00
Limão galego (10 unidades) R$2,00
Tangerina (10 unidades) R$4,00
Laranja comum (10 unidades) R$4,00
Maracujá (kg) R$5,00
Feijão verde debulhado – (kg) R$10,00
Os pedidos podem ser feitos com Vivi 99640-9331 Whatsapp e Fernanda (99613-8227) Whatsapp, até segunda-feira às 18:00hs.
Entrega é quarta-feira das 16h às 20h nos seguintes locais:
– Bairro de Manaíra
Rua Major Ciraulo, 447 com Fernanda (83) 99613-8227
– Bairro Castelo Branco
Rua Waldemar Oliveira Leite, 285 com Dani
Pagamento preferencialmente em transferência/ depósito bancário, ou à vista no ato da entrega.
Banco do Brasil
Agência: 0293-3
C/C: 16.578-6
Favorecido: Geraldo Gomes de Maria

Os agricultores familiares da comunidade quilombola Senhor do Bonfim, no município de Areia, que integram um dos seis núcleos do Projeto Ecoprodutivo da Gestão Unificada Emepa/Interpa/Emater, vinculada à Secretaria de Estado de Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca, receberam, no domingo (5), a visita de um grupo de integrantes do Coletivo Gaia Paraíba que manifesta o desejo de comprar cestas com produtos agrícolas da comunidade. Foi uma oportunidade para contatos e conhecimento dos métodos de produção utilizados.
A proposta é criar uma relação de consumo com os agricultores que se tornarão fornecedores da própria produção agrícola diretamente aos consumidores. Uma das integrantes do Coletivo Gaia Paraíba, Fernanda Quadro, informou que a proposta é formar um grupo fixo de pessoas que se propõe a comprar mensalmente produtos agrícolas, principalmente frutas e hortaliças, com entrega semanal. Outra integrante é Viviam Maitê, que juntas encaminharam as discussões e se propõem, voluntariamente, a contribuir com essa ação.
Depois da visita, Fernanda relatou a vitalidade dos gestos dos quilombolas do Bonfim, que hoje são donos das terras do antigo engenho, trabalham comunitariamente com diversificação agropecuária, com enfoque maior para as hortaliças. “Os alimentos orgânicos surgiram de suas habilidades natas, contando com incentivo da Emater e suas capacitações. Hoje, os quilombolas vivem no paraíso depois de tanta luta, e nós os motivamos ainda mais a acreditar que o amor à terra e a natureza é uma conexão tão forte que resiste a tudo”, comentou.
O Coletivo Gaia Paraíba voluntariamente está criando uma rede de fortalecimento da agricultura familiar orgânica, a fim de contribuir com a comercialização por parte dos agricultores e atender o desejo deles, enquanto consumidores, de ter à mesa alimentos saudáveis.
Localizada no Território da Cidadania Borborema, a comunidade quilombola Senhor do Bonfim, conta com 22 famílias. Neste ano, passou a integrar o Projeto Ecoprodutivo que, numa parceria com a Associação de Moradores, da Associação de Apoio aos Assentamentos e Comunidades Afro-descendentes da Paraíba (Aacade-PB), desenvolve ações que melhoram a qualidade de vida de seus integrantes.
Com a intermediação da Emater-GU, o agricultor familiar Luciano Wanderley Soares de Maria participou do Curso Educação Gaia João Pessoa, realizado neste ano e recentemente encerrado, levando à comunidade as experiências aprendidas. “Com a presença do Ecoprodutivo tudo está se modificando em nossa comunidade, alavancando mudanças. Participar do curso do Gaia, a convite da Emater, foi uma coisa boa porque podemos trazer algo novo para a comunidade”, comentou Luciano.
As 22 famílias remanescentes de quilombo Senhor do Bonfim moram numa área com aproximadamente 122 hectares, onde viveram seus antepassados. Na ocasião do encontro, a presidente da Associação de Apoio aos Assentamentos e Comunidades Afro-descendentes da Paraíba (Aacade-PB), Francimar Fernandes, falou sobre a caminhada e conquistas deles. Os integrantes do Gaia se emocionaram com a história de luta e perseverança para conquistar a posse definitiva das terras. “Agora, pouco mais de uma década depois, estamos vivendo uma nova vida e com a chegada do Ecoprodutivo, temos avançado ainda mais e, acreditamos que mais coisas virão”, comentou o presidente da Associação de Moradores, Geraldo Gomes de Maria.

Cesta de orgânicos – Ao perceber as necessidades de comercialização por parte dos agricultores e deles, consumidores, o Coletivo Gaia Paraíba, voluntariamente, está criando uma rede de fortalecimento da agricultura familiar orgânica. Após o encontro do domingo, ficou acertado que a partir de agora, as cestas terão dois tamanhos: pequena (1 a 3 pessoas) – R$ 30,00 e média (acima de 4 pessoas) – R$ 55,00.
São compostas por: alface (crespa ou americana), espinafre, coentro, salsinha, cebola, cebolinha, couve, cenoura, rúcula, hortelã, pimentão (verde e vermelho), macaxeira, limão (galego e taiti, a depender da época), banana e uma fruta da estação (variável de acordo com as produções da época). A diferença de valor corresponde a quantidade das porções, sendo a média o dobro da pequena.

Ainda é possível fazer pedidos avulsos, conforme lista abaixo:

Alface americana (unidade) R$2,50
Alface crespa(unidade) R$ 2,50
Couve (molho) R$2,00
Coentro (molho) R$2,00
Cebolinha (molho) R$2,00
Cebola (molho) R$2,50
Espinafre (molho) R$2,00
Macaxeira (kg) R$ 3,00
Cenoura (kg) R$3,00
Maxixes molho) R$2,00
Pimentão (3 unidades) R$2,00
Banana (10 unidades) R$3,00
Limão galego (10 unidades) R$2,00
Tangerina (10 unidades) R$4,00
Laranja comum (10 unidades) R$4,00
Maracujá (kg) R$5,00
Feijão verde debulhado – (kg) R$10,00
Os pedidos podem ser feitos com Vivi 99640-9331 Whatsapp e Fernanda (99613-8227) Whatsapp, até segunda-feira às 18:00hs.
Entrega é quarta-feira das 16h às 20h nos seguintes locais:
– Bairro de Manaíra
Rua Major Ciraulo, 447 com Fernanda (83) 99613-8227
– Bairro Castelo Branco
Rua Waldemar Oliveira Leite, 285 com Dani
Pagamento preferencialmente em transferência/ depósito bancário, ou à vista no ato da entrega.
Banco do Brasil
Agência: 0293-3
C/C: 16.578-6
Favorecido: Geraldo Gomes de Maria