Sindicatos celebram acordo e piso da categoria comerciária chega a quase R$ 1 mil

pisoApós duas rodadas de negociação na sede da Gerência Regional do Trabalho e Emprego (MTE), os Sindicatos dos Empregados no Comércio de Campina Grande e Região e os da classe patronal celebraram, na tarde desta quinta-feira, 17, o acordo da Convenção Coletiva 2016/2017, da categoria comerciária, quando ficou estabelecido os pisos salariais nos valores de R$ 998,00 para os trabalhadores de Campina Grande e R$ 965,00 para os trabalhadores dos municípios de Queimadas e Esperança, retroativo a 1º de novembro ( data base).
Para as empresas que já pagam vale alimentação acima de R$ 6,00, este valor terá reajuste de 8%. No caso da ajuda de custo nos dias trabalhados considerados feriados, as empresas pagarão aos seus empregados os seguintes valores: R$ 36,00 (empresa com até dez empregados) e R$ R$ 43,00 (empresa com mais de dez funcionários). A ajuda de custa nos dias de domingos será paga aos trabalhadores nos respectivos valores: R$ 22,00 (empresa com até dez empregados) e 31,00 (empresa com mais de dez empregados).
Quem atualmente ganha acima dos pisos será contemplado com um reajuste de 8%. Várias garantias das convenções anteriores foram mantidas, segundo informa o presidente do Sindicato dos Comerciários, José do Nascimento Coelho. Ele disse que a ata assinada pelas partes será protocolada nesta sexta-feira, 18, no Ministério do Trabalho e Emprego
Coelho entende que o acordo não é o esperado, porém satisfatório dentro da conjuntura atual do país, onde categorias com maior poder de barganha conseguiram em seus acordos percentuais inferiores ao do índice da categoria comerciaria, e cita o caso dos bancários, que mantiveram, inclusive, uma prolonga greve.
Participaram da reunião no MTE, pelo Sindicato dos Comerciários, os advogados João Vicente Murinelli e Valdir Cassimiro de Oliveira, além dos diretores da entidade. As discussões foram medidas por Pedro Marques Neto, do Ministério do Trabalho e Emprego.
A campanha salarial foi deflagrada no dia 24 de setembro do corrente ano, em assembleia geral dos trabalhadores..

Texto: Ascom/Sindicato dos Comerciários

pisoApós duas rodadas de negociação na sede da Gerência Regional do Trabalho e Emprego (MTE), os Sindicatos dos Empregados no Comércio de Campina Grande e Região e os da classe patronal celebraram, na tarde desta quinta-feira, 17, o acordo da Convenção Coletiva 2016/2017, da categoria comerciária, quando ficou estabelecido os pisos salariais nos valores de R$ 998,00 para os trabalhadores de Campina Grande e R$ 965,00 para os trabalhadores dos municípios de Queimadas e Esperança, retroativo a 1º de novembro ( data base).
Para as empresas que já pagam vale alimentação acima de R$ 6,00, este valor terá reajuste de 8%. No caso da ajuda de custo nos dias trabalhados considerados feriados, as empresas pagarão aos seus empregados os seguintes valores: R$ 36,00 (empresa com até dez empregados) e R$ R$ 43,00 (empresa com mais de dez funcionários). A ajuda de custa nos dias de domingos será paga aos trabalhadores nos respectivos valores: R$ 22,00 (empresa com até dez empregados) e 31,00 (empresa com mais de dez empregados).
Quem atualmente ganha acima dos pisos será contemplado com um reajuste de 8%. Várias garantias das convenções anteriores foram mantidas, segundo informa o presidente do Sindicato dos Comerciários, José do Nascimento Coelho. Ele disse que a ata assinada pelas partes será protocolada nesta sexta-feira, 18, no Ministério do Trabalho e Emprego
Coelho entende que o acordo não é o esperado, porém satisfatório dentro da conjuntura atual do país, onde categorias com maior poder de barganha conseguiram em seus acordos percentuais inferiores ao do índice da categoria comerciaria, e cita o caso dos bancários, que mantiveram, inclusive, uma prolonga greve.
Participaram da reunião no MTE, pelo Sindicato dos Comerciários, os advogados João Vicente Murinelli e Valdir Cassimiro de Oliveira, além dos diretores da entidade. As discussões foram medidas por Pedro Marques Neto, do Ministério do Trabalho e Emprego.
A campanha salarial foi deflagrada no dia 24 de setembro do corrente ano, em assembleia geral dos trabalhadores..

Texto: Ascom/Sindicato dos Comerciários