Homem pega 11 anos de cadeia por torturar e prender ex-mulher em casa

O auxiliar de mecânico Rodrigo Groggia Martins, de 32 anos, foi condenado a 11 anos e três meses de prisão em regime fechado, segundo informações do Ministerio Público. Martins foi condenado por manter a ex-mulher em cárcere privado por três dias dentro em sua própria casa, em Guarulhos, na Grande São Paulo. Ela também foi torturada e teve o cabelo raspado.
O caso aconteceu em julho. De acordo com a vítima, os dois estavam separados e o homem não aceitava o término do relacionamento. No dia 7 de ejulho, ela saiu da padaria onde trabalha como balconista e encontrou o homem em casa.
“Eu me deparei com ele, ele fechou a porta, trancou, eu vi que tinha uma maquininha de cabelo na tomada”, relatou ao Bom dia São Paulo.
Ao perguntar para que seria a máquina, a mulher levou duas coronhadas, desmaiou e acordou amarrada. “Aí começou a sessão de tortura, me bateu, me deu soco, me deu tapa, chinelada, pegou fios e arrebentou minhas costas”.
O homem foi na padaria onde a mulher trabalha e levou o patrão dela para dentro da casa. “Falaram para ele que eu estava tendo um caso com o meu patrão”. O patrão também foi agredido e torturado, e depois solto pelo criminoso. A vítima disse que não se envolveu com o homem agredido.
Dois dias depois, o agressor obrigou a mulher a ligar para família e dizer que ia viajar. Mas a mãe dela, que tinha a chave da casa, foi até o local e a encontrou. Depois que saiu, foi na delegacia e o denunciou. Os policiais encontraram o homem na casa e o levaram para a delegacia.
A mulher e o ex-marido tiveram dois filhos e ficaram 12 anos juntos. Destes, sete ele estava na prisão. “Eu visitei ele sete anos. Aí ele saiu tem sete meses e acabou fazendo isso”. Ela disse que está com medo, que o marido falou que iria matá-la se fosse preso. “Não sei o que vou fazer ainda, mas vou procurar um lugar para ficar com meus filhos em paz, para poder levar minha vida para frente”.
O agressor gravou e tirou fotos da tortura feita na mulher. As imagens mostram que ele chegou a dar chineladas no rosto dela, bateu com fios e colocou uma arma na boca dela. O homem agredido também aparece sangrando muito.
Segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP), o ex-marido foi preso em flagrante. O caso registrado como lesão corporal, sequestro e cárcere privado, violência doméstica e tortura, no 7° Distrito Policial de Guarulhos.
Denúncias de agressão e violência domésticas podem ser feitas pelo número 180.
G1

O auxiliar de mecânico Rodrigo Groggia Martins, de 32 anos, foi condenado a 11 anos e três meses de prisão em regime fechado, segundo informações do Ministerio Público. Martins foi condenado por manter a ex-mulher em cárcere privado por três dias dentro em sua própria casa, em Guarulhos, na Grande São Paulo. Ela também foi torturada e teve o cabelo raspado.
O caso aconteceu em julho. De acordo com a vítima, os dois estavam separados e o homem não aceitava o término do relacionamento. No dia 7 de ejulho, ela saiu da padaria onde trabalha como balconista e encontrou o homem em casa.
“Eu me deparei com ele, ele fechou a porta, trancou, eu vi que tinha uma maquininha de cabelo na tomada”, relatou ao Bom dia São Paulo.
Ao perguntar para que seria a máquina, a mulher levou duas coronhadas, desmaiou e acordou amarrada. “Aí começou a sessão de tortura, me bateu, me deu soco, me deu tapa, chinelada, pegou fios e arrebentou minhas costas”.
O homem foi na padaria onde a mulher trabalha e levou o patrão dela para dentro da casa. “Falaram para ele que eu estava tendo um caso com o meu patrão”. O patrão também foi agredido e torturado, e depois solto pelo criminoso. A vítima disse que não se envolveu com o homem agredido.
Dois dias depois, o agressor obrigou a mulher a ligar para família e dizer que ia viajar. Mas a mãe dela, que tinha a chave da casa, foi até o local e a encontrou. Depois que saiu, foi na delegacia e o denunciou. Os policiais encontraram o homem na casa e o levaram para a delegacia.
A mulher e o ex-marido tiveram dois filhos e ficaram 12 anos juntos. Destes, sete ele estava na prisão. “Eu visitei ele sete anos. Aí ele saiu tem sete meses e acabou fazendo isso”. Ela disse que está com medo, que o marido falou que iria matá-la se fosse preso. “Não sei o que vou fazer ainda, mas vou procurar um lugar para ficar com meus filhos em paz, para poder levar minha vida para frente”.
O agressor gravou e tirou fotos da tortura feita na mulher. As imagens mostram que ele chegou a dar chineladas no rosto dela, bateu com fios e colocou uma arma na boca dela. O homem agredido também aparece sangrando muito.
Segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP), o ex-marido foi preso em flagrante. O caso registrado como lesão corporal, sequestro e cárcere privado, violência doméstica e tortura, no 7° Distrito Policial de Guarulhos.
Denúncias de agressão e violência domésticas podem ser feitas pelo número 180.
G1