Danilo, goleiro da Chapecoense, é eleito o “Craque da Galera”

crackO goleiro Danilo, uma das 71 vítimas fatais da tragédia com o voo da Chapecoense, que caiu na Colômbia, foi eleito o “Craque da Galera” do Campeonato Brasileiro, em eleição com voto popular – total de 1,6 milhão. Antes do acidente, ele estava na 12ª posição, mas alcançou a liderança e terminou com 47,93% da preferência. Ele foi representado pela sua mãe, Ilaídes, que recebeu o troféu durante a cerimônia de premiação do Craque do Brasileirão.
Em segundo lugar ficou o meia Diego, do Flamengo, com 13,34% dos votos. Campeão brasileiro, o atacante palmeirense Dudu terminou em terceiro, com 8,59%.
Dona Alaíde se transformou em um dos símbolos da solidariedade que envolveu a Chape depois da tragédia. Mesmo diante da dor de perder seu filho, ela encontrou forças para consolar o repórter Guido Nunes, do SporTV, ao abraçá-lo durante uma participação ao vivo.
– Eu senti uma vontade muito grande de abraçar. Estava todo mundo sofrendo. Era muito triste aquela situação. Depois daquele abraço, eu não achei que fosse acontecer tudo isso que está acontecendo. Agora, as pessoas que estão querendo. É assim que eu estou me mantendo em pé. Quero mandar um abraço para as crianças de Chapecó. Eles tinham o Danilo como um ídolo. Em nome da Chapecoense, quero agradecer a todos pelo carinho e pedir muita oração. O pessoal de Chapecó amava os jogadores. Desejo que os próximos que chegarem sejam guerreiros como eles – disse Ilaídes.
Danilo foi um dos destaques da Chape no Brasileirão e também na Copa Sul-Americana. Sua defesa milagrosa já perto do fim da partida no 0 a 0 contra o San Lorenzo e classificou o time para a decisão da competição, contra o Atlético Nacional, da Colômbia.
O goleiro saiu de Cianorte, no Paraná, para se tornar lenda em Santa Catarina. Um ídolo debaixo das traves que virou herói não só pelas defesas. Conquistou a torcida da Chape também por não ter deixado o clube nas primeiras sondagens de times grandes, como Corinthians e Cruzeiro. Ele tinha 31 anos.
G1

crackO goleiro Danilo, uma das 71 vítimas fatais da tragédia com o voo da Chapecoense, que caiu na Colômbia, foi eleito o “Craque da Galera” do Campeonato Brasileiro, em eleição com voto popular – total de 1,6 milhão. Antes do acidente, ele estava na 12ª posição, mas alcançou a liderança e terminou com 47,93% da preferência. Ele foi representado pela sua mãe, Ilaídes, que recebeu o troféu durante a cerimônia de premiação do Craque do Brasileirão.
Em segundo lugar ficou o meia Diego, do Flamengo, com 13,34% dos votos. Campeão brasileiro, o atacante palmeirense Dudu terminou em terceiro, com 8,59%.
Dona Alaíde se transformou em um dos símbolos da solidariedade que envolveu a Chape depois da tragédia. Mesmo diante da dor de perder seu filho, ela encontrou forças para consolar o repórter Guido Nunes, do SporTV, ao abraçá-lo durante uma participação ao vivo.
– Eu senti uma vontade muito grande de abraçar. Estava todo mundo sofrendo. Era muito triste aquela situação. Depois daquele abraço, eu não achei que fosse acontecer tudo isso que está acontecendo. Agora, as pessoas que estão querendo. É assim que eu estou me mantendo em pé. Quero mandar um abraço para as crianças de Chapecó. Eles tinham o Danilo como um ídolo. Em nome da Chapecoense, quero agradecer a todos pelo carinho e pedir muita oração. O pessoal de Chapecó amava os jogadores. Desejo que os próximos que chegarem sejam guerreiros como eles – disse Ilaídes.
Danilo foi um dos destaques da Chape no Brasileirão e também na Copa Sul-Americana. Sua defesa milagrosa já perto do fim da partida no 0 a 0 contra o San Lorenzo e classificou o time para a decisão da competição, contra o Atlético Nacional, da Colômbia.
O goleiro saiu de Cianorte, no Paraná, para se tornar lenda em Santa Catarina. Um ídolo debaixo das traves que virou herói não só pelas defesas. Conquistou a torcida da Chape também por não ter deixado o clube nas primeiras sondagens de times grandes, como Corinthians e Cruzeiro. Ele tinha 31 anos.
G1