Caminhão invade feira de Natal em Berlim e deixa mortos e feridos

mortos12Um caminhão invadiu uma feira de Natal nesta segunda-feira (19) em Berlim, na Alemanha. Segundo o último balanço da polícia, 12 pessoas morreram e 48 feridos, alguns seriamente, foram levados a hospitais da cidade.
“Triste realidade. Hoje 12 pessoas perderam suas vidas na #Breitscheidplatz. 48 estão, parte seriamente ferida, em hospitais”, afirmou a polícia cerca de cinco horas depois do primeiro balanço, que indicava 9 mortos e cerca de 50 feridos.
Ainda não está claro por que o caminhão saiu da avenida em que estava e entrou na área da feira, que acontece na praça Breitscheid, perto da avenida Kurfürstendamm, na parte Ocidental de Berlim.
A polícia informou que um suspeito de ser o motorista do caminhão foi preso perto do local e que um passageiro do veículo, que era polonês, morreu no local. O caminhão tinha placa polonesa e nele foram encontradas vigas de aço. Suspeita-se que o veículo tenha sido roubado na Polônia em um local de construção, disse a polícia.
O jornal “Welt” e a revista “Spiegel” noticiaram que o motorista do caminhão é um paquistanês. Autoridades alemãs, no entanto, não confirmam a informação.
Após a prisão do suspeito, a polícia informou que não havia mais nenhuma situação de perigo na região da praça, mas cerca de uma hora depois disse que estava checando “um item suspeito” numa rua ao lado da praça.
O ministro alemão do Interior disse que elementos apontam para um ataque, mas que não quer especular. A Casa Branca repudiou o que “parece ser um ataque terrorista” em Berlim.
Caminhoneiro desaparecido
O proprietário da empresa a qual pertence o caminhão que entrou na praça Breitscheid, em Belim, disse à agência de notícias France Presse, que o caminhoneiro que dirigia o veículo está desaparecido. “Não temos contato com ele desde esta tarde. Não sei o que acontece. É meu primo, o conheço desde criança”, declarou Ariel Zurawski.
Lukasz Wasik, gerente da empresa, disse à AFP que perderam o contato com o caminhoneiro de 37 anos às 15h locais. “Não sabemos o que aconteceu, se foi sequestrado, se está morto, não sabemos de nada. Estamos muito preocupado com ele”, disse.
Segundo a empresa, o condutor transportava 25 toneladas de produtos metalúrgicos vindos da Itália que seriam entregues em Berlim. “Que tragédia e nós não temos nada a ver”, acrescentou Wasik.

‘Barulho forte’
Um vídeo postado pelo jornal “Berliner Morgenpost” em sua página no Facebook mostra pessoas no chão, objetos destruídos no local e o caminhão danificado.
O caminhão entrou na feira por volta das 20h locais (17h, no horário de Brasília), quando muitos turistas e moradores faziam compras. A praça fica ao pé da igreja Kaiser Wilheim, parcialmente destruída na Segunda Guerra Mundial e mantida como memorial.
Viaturas da polícia e ambulâncias foram rapidamente para o local, conforme uma grande operação de segurança se desdobrava. O prefeito Michael Müller, que também está no local, disse que ainda não se sabe o motivo da invasão.
A agência de notícias dpa afirma que foi informada pela polícia que o caso está sendo tratado como um ataque. Mas a informação ainda não foi confirmada oficialmente.
A polícia de Berlim pediu que os moradores fiquem em casa, deixem as ruas da região livres e não espalhem rumores nem vídeos, para não atrapalhar as investigações.
“Escutei um barulho forte e então fui em direção à feira de Natal e vi muito caos… muitas pessoas feridas”, disse Jan Hollitzer, vice-editor do jornal “Berliner Morgenpost”, à CNN. “Foi realmente traumático.”
“Estamos em luto e esperamos que os muitos feridos recebam a ajuda necessária”, disse o porta-voz da chanceler Angela Merkel, Steffen Seibert, em sua conta no Twitter.
O episódio desta segunda em Berlim lembra o atropelamento na França em julho, quando Mohamed Lahouaiej Bouhlel, de origem tunisiana, jogou um caminhão contra uma multidão reunida em Nice para observar os fogos em comemoração ao dia da Bastilha, matando 86 pessoas. O ataque foi reivincado pelo grupo Estado Islâmico.
Aparente atentado em Berlim lembra o ataque em Nice com 86 mortos
Caminhão invade feira de Natal em Berlim

G1

mortos12Um caminhão invadiu uma feira de Natal nesta segunda-feira (19) em Berlim, na Alemanha. Segundo o último balanço da polícia, 12 pessoas morreram e 48 feridos, alguns seriamente, foram levados a hospitais da cidade.
“Triste realidade. Hoje 12 pessoas perderam suas vidas na #Breitscheidplatz. 48 estão, parte seriamente ferida, em hospitais”, afirmou a polícia cerca de cinco horas depois do primeiro balanço, que indicava 9 mortos e cerca de 50 feridos.
Ainda não está claro por que o caminhão saiu da avenida em que estava e entrou na área da feira, que acontece na praça Breitscheid, perto da avenida Kurfürstendamm, na parte Ocidental de Berlim.
A polícia informou que um suspeito de ser o motorista do caminhão foi preso perto do local e que um passageiro do veículo, que era polonês, morreu no local. O caminhão tinha placa polonesa e nele foram encontradas vigas de aço. Suspeita-se que o veículo tenha sido roubado na Polônia em um local de construção, disse a polícia.
O jornal “Welt” e a revista “Spiegel” noticiaram que o motorista do caminhão é um paquistanês. Autoridades alemãs, no entanto, não confirmam a informação.
Após a prisão do suspeito, a polícia informou que não havia mais nenhuma situação de perigo na região da praça, mas cerca de uma hora depois disse que estava checando “um item suspeito” numa rua ao lado da praça.
O ministro alemão do Interior disse que elementos apontam para um ataque, mas que não quer especular. A Casa Branca repudiou o que “parece ser um ataque terrorista” em Berlim.
Caminhoneiro desaparecido
O proprietário da empresa a qual pertence o caminhão que entrou na praça Breitscheid, em Belim, disse à agência de notícias France Presse, que o caminhoneiro que dirigia o veículo está desaparecido. “Não temos contato com ele desde esta tarde. Não sei o que acontece. É meu primo, o conheço desde criança”, declarou Ariel Zurawski.
Lukasz Wasik, gerente da empresa, disse à AFP que perderam o contato com o caminhoneiro de 37 anos às 15h locais. “Não sabemos o que aconteceu, se foi sequestrado, se está morto, não sabemos de nada. Estamos muito preocupado com ele”, disse.
Segundo a empresa, o condutor transportava 25 toneladas de produtos metalúrgicos vindos da Itália que seriam entregues em Berlim. “Que tragédia e nós não temos nada a ver”, acrescentou Wasik.

‘Barulho forte’
Um vídeo postado pelo jornal “Berliner Morgenpost” em sua página no Facebook mostra pessoas no chão, objetos destruídos no local e o caminhão danificado.
O caminhão entrou na feira por volta das 20h locais (17h, no horário de Brasília), quando muitos turistas e moradores faziam compras. A praça fica ao pé da igreja Kaiser Wilheim, parcialmente destruída na Segunda Guerra Mundial e mantida como memorial.
Viaturas da polícia e ambulâncias foram rapidamente para o local, conforme uma grande operação de segurança se desdobrava. O prefeito Michael Müller, que também está no local, disse que ainda não se sabe o motivo da invasão.
A agência de notícias dpa afirma que foi informada pela polícia que o caso está sendo tratado como um ataque. Mas a informação ainda não foi confirmada oficialmente.
A polícia de Berlim pediu que os moradores fiquem em casa, deixem as ruas da região livres e não espalhem rumores nem vídeos, para não atrapalhar as investigações.
“Escutei um barulho forte e então fui em direção à feira de Natal e vi muito caos… muitas pessoas feridas”, disse Jan Hollitzer, vice-editor do jornal “Berliner Morgenpost”, à CNN. “Foi realmente traumático.”
“Estamos em luto e esperamos que os muitos feridos recebam a ajuda necessária”, disse o porta-voz da chanceler Angela Merkel, Steffen Seibert, em sua conta no Twitter.
O episódio desta segunda em Berlim lembra o atropelamento na França em julho, quando Mohamed Lahouaiej Bouhlel, de origem tunisiana, jogou um caminhão contra uma multidão reunida em Nice para observar os fogos em comemoração ao dia da Bastilha, matando 86 pessoas. O ataque foi reivincado pelo grupo Estado Islâmico.
Aparente atentado em Berlim lembra o ataque em Nice com 86 mortos
Caminhão invade feira de Natal em Berlim

G1