Cunhado de jovem morta em Bodocongó acredita que crime não foi tentativa de assalto

Em entrevista à rádio Correio FM, na manhã desta quinta-feira (22), um homem que se identificou como cunhado da vendedora Aline Albuquerque da Silva, de 25 anos, morta ontem à noite no bairro de Bodocongó, nas proximidades do condomínio Dona Lindu I, afirmou que não acredita que o crime tenha a ver com uma tentativa de assalto.

Segundo o familiar, ele teria visto imagens disponibilizadas pelas câmeras de segurança do condomínio que mostraram que o acusado do disparo estava esperando a jovem e o marido dela chegarem a casa por aproximadamente dez minutos. Depois da ação, o suspeito aparece fugindo numa moto que estava sendo pilotada por outra pessoa.

– Eu acredito que não tenha sido assalto, pelas imagens que vi – declarou o homem.

Conforme relato da polícia, Aline e o marido estavam na varanda de sua residência quando um suspeito chegou e anunciou o assalto. Ele teria disparado contra a mulher quando ela, assustada, teria jogado uma sacola no chão. O suspeito efetuou um disparou e fugiu em seguida, sem levar nada.

Em declaração à imprensa após a ação, o marido da vítima declarou que só não foi baleado porque estava com um bebê nos braços. Ele e os outros dois filhos presenciaram a morte de Aline.

Durante entrevista veiculada nesta manhã, outros familiares aparecem consternados com a morte da vendedora. Eles afirmaram que o marido de Aline é o único que pode dar maiores explicações sobre o caso, pois ele estava com ela na hora do crime.
Segundo repórter da emissora, um suspeito já está em poder da polícia. As informações são do portal paraibaonline

Redação

Em entrevista à rádio Correio FM, na manhã desta quinta-feira (22), um homem que se identificou como cunhado da vendedora Aline Albuquerque da Silva, de 25 anos, morta ontem à noite no bairro de Bodocongó, nas proximidades do condomínio Dona Lindu I, afirmou que não acredita que o crime tenha a ver com uma tentativa de assalto.

Segundo o familiar, ele teria visto imagens disponibilizadas pelas câmeras de segurança do condomínio que mostraram que o acusado do disparo estava esperando a jovem e o marido dela chegarem a casa por aproximadamente dez minutos. Depois da ação, o suspeito aparece fugindo numa moto que estava sendo pilotada por outra pessoa.

– Eu acredito que não tenha sido assalto, pelas imagens que vi – declarou o homem.

Conforme relato da polícia, Aline e o marido estavam na varanda de sua residência quando um suspeito chegou e anunciou o assalto. Ele teria disparado contra a mulher quando ela, assustada, teria jogado uma sacola no chão. O suspeito efetuou um disparou e fugiu em seguida, sem levar nada.

Em declaração à imprensa após a ação, o marido da vítima declarou que só não foi baleado porque estava com um bebê nos braços. Ele e os outros dois filhos presenciaram a morte de Aline.

Durante entrevista veiculada nesta manhã, outros familiares aparecem consternados com a morte da vendedora. Eles afirmaram que o marido de Aline é o único que pode dar maiores explicações sobre o caso, pois ele estava com ela na hora do crime.
Segundo repórter da emissora, um suspeito já está em poder da polícia. As informações são do portal paraibaonline

Redação