Projeto de Lira que garante escolas e hospitais em áreas com saneamento básico tramita no Senado

Tramita no Senado Federal o Projeto de Lei (PLS) 87/2016, de autoria do Senador Raimundo Lira (PMDB-PB) segundo o qual escolas e hospitais deverão ser construídos, prioritariamente, em áreas que já tenham serviços de saneamento básico. Pelo projeto, os locais onde existem escolas e hospitais também deverão ser beneficiadas com prioridade pelos planos de implantação e expansão de serviços de saneamento.

A matéria está com o relator, Senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), na Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo. Em recente pronunciamento na tribuna do Senado, Raimundo Lira detalhou o projeto e observou que a falta de saneamento causa grande prejuízo aos estudantes e também dificulta o funcionamento de hospitais.

Segundo Raimundo Lira, estudo de 2008 da Fundação Getúlio Vargas revelou uma diferença de 30% no rendimento escolar entre as crianças que tem e as que não tem acesso a saneamento básico. Essa deficiência, como explicou o Senador, terá reflexos na vida inteira desses brasileiros.

– Os estudantes com pior aproveitamento tendem a ser os menos qualificados e, portanto, terão menos salário na sua vida profissional. No Brasil, 12 mil escolas não tem esgotamento sanitário, segundo o censo escolar de 2009. Além disso, em quase 20 mil escolas a água consumida pelos alunos não e é filtrada e 800 não têm sequer rede de abastecimento de água – afirmou o parlamentar.

Assessoria de Imprensa
Gabinete do Senador Raimundo Lira – PMDB/PB

Tramita no Senado Federal o Projeto de Lei (PLS) 87/2016, de autoria do Senador Raimundo Lira (PMDB-PB) segundo o qual escolas e hospitais deverão ser construídos, prioritariamente, em áreas que já tenham serviços de saneamento básico. Pelo projeto, os locais onde existem escolas e hospitais também deverão ser beneficiadas com prioridade pelos planos de implantação e expansão de serviços de saneamento.

A matéria está com o relator, Senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), na Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo. Em recente pronunciamento na tribuna do Senado, Raimundo Lira detalhou o projeto e observou que a falta de saneamento causa grande prejuízo aos estudantes e também dificulta o funcionamento de hospitais.

Segundo Raimundo Lira, estudo de 2008 da Fundação Getúlio Vargas revelou uma diferença de 30% no rendimento escolar entre as crianças que tem e as que não tem acesso a saneamento básico. Essa deficiência, como explicou o Senador, terá reflexos na vida inteira desses brasileiros.

– Os estudantes com pior aproveitamento tendem a ser os menos qualificados e, portanto, terão menos salário na sua vida profissional. No Brasil, 12 mil escolas não tem esgotamento sanitário, segundo o censo escolar de 2009. Além disso, em quase 20 mil escolas a água consumida pelos alunos não e é filtrada e 800 não têm sequer rede de abastecimento de água – afirmou o parlamentar.

Assessoria de Imprensa
Gabinete do Senador Raimundo Lira – PMDB/PB