Suspeito de ataque a carro-forte morre em troca de tiros com a PM

Um homem suspeito de participar do ataque a dois carros-fortes dentro de um hipermercado em São José do Rio Preto (23), no fim da manhã de quinta-feira (22), morreu em uma ação da Polícia Militar no bairro Vila Azul, por volta das 22h30 de ontem. Outro suspeito foi preso.
A ação, em plena luz do dia, causou pânico entre os moradores da cidade. O shopping vizinho ao hipermercado fechou as portas e os consumidores foram impedidos de sair por medida de precaução.
Segundo a PM, seis criminosos fortemente armados atacaram dois carros-fortes dentro do estacionamento do Walmart. Os assaltantes fizeram clientes reféns, que só foram liberados quase três horas depois. Dois ladrões morreram no tiroteio, um foi preso e dois policiais tiveram ferimentos leves.
“Um dos suspeitos preso foi identificado como morador de Rio Preto. E temos informações de que outros dois criminosos fugiram em direção à capital. A grande maioria dos assaltantes seria de São Paulo e veio cometer os crimes aqui na região. As buscas continuam concentradas na cidade e toda a polícia está mobilizada para localizar os criminosos que ainda permanecem na região”, afirma a comandante da Polícia Militar, Helena Santos.
A polícia acredita que o crime de Rio Preto possa ter alguma ligação com o assalto a uma agência bancária na madrugada desta quinta-feira, em Palestina (SP). Na ação, os criminosos invadiram uma festa e usaram os convidados como escudo humano. A polícia abriu uma linha de investigação por conta da semelhança entre as duas ações. A comandante da PM diz ainda que nenhum dos suspeitos presos estava sob o benefício do indulto de Natal.
Após a liberação dos reféns, alguns passaram mal. Todos receberam atendimento médico, mas ninguém ficou ferido.

Pânico generalizado
Por causa da ação criminosa, moradores começaram a receber mensagens em grupos de WhatsApp relatando uma onda de assaltos em vários locais da cidade. Cerca de 70% das lojas do Calçadão fecharam devido ao pânico.
A polícia não confirma nenhum desses assaltos e afirma que a ação no hipermercado foi um caso isolado. “Não existem motivos para pânico, não devendo a comunidade acreditar em difusão de notícia falsa veiculada pelas redes sociais, devendo manter rotina normal nas atividades comerciais e pessoais”, diz a Polícia Civil em nota.
A assessoria de imprensa do hipermercado Walmart enviou uma nota em que confirma a tentativa de assalto ao carro-forte no estacionamento da loja e que colabora com a polícia nas investigações e que vai reforçar a segurança na unidade, além de prestar apoio emocional aos funcionários. A loja será reaberta nesta quinta-feira a partir das 8h.
G1

Um homem suspeito de participar do ataque a dois carros-fortes dentro de um hipermercado em São José do Rio Preto (23), no fim da manhã de quinta-feira (22), morreu em uma ação da Polícia Militar no bairro Vila Azul, por volta das 22h30 de ontem. Outro suspeito foi preso.
A ação, em plena luz do dia, causou pânico entre os moradores da cidade. O shopping vizinho ao hipermercado fechou as portas e os consumidores foram impedidos de sair por medida de precaução.
Segundo a PM, seis criminosos fortemente armados atacaram dois carros-fortes dentro do estacionamento do Walmart. Os assaltantes fizeram clientes reféns, que só foram liberados quase três horas depois. Dois ladrões morreram no tiroteio, um foi preso e dois policiais tiveram ferimentos leves.
“Um dos suspeitos preso foi identificado como morador de Rio Preto. E temos informações de que outros dois criminosos fugiram em direção à capital. A grande maioria dos assaltantes seria de São Paulo e veio cometer os crimes aqui na região. As buscas continuam concentradas na cidade e toda a polícia está mobilizada para localizar os criminosos que ainda permanecem na região”, afirma a comandante da Polícia Militar, Helena Santos.
A polícia acredita que o crime de Rio Preto possa ter alguma ligação com o assalto a uma agência bancária na madrugada desta quinta-feira, em Palestina (SP). Na ação, os criminosos invadiram uma festa e usaram os convidados como escudo humano. A polícia abriu uma linha de investigação por conta da semelhança entre as duas ações. A comandante da PM diz ainda que nenhum dos suspeitos presos estava sob o benefício do indulto de Natal.
Após a liberação dos reféns, alguns passaram mal. Todos receberam atendimento médico, mas ninguém ficou ferido.

Pânico generalizado
Por causa da ação criminosa, moradores começaram a receber mensagens em grupos de WhatsApp relatando uma onda de assaltos em vários locais da cidade. Cerca de 70% das lojas do Calçadão fecharam devido ao pânico.
A polícia não confirma nenhum desses assaltos e afirma que a ação no hipermercado foi um caso isolado. “Não existem motivos para pânico, não devendo a comunidade acreditar em difusão de notícia falsa veiculada pelas redes sociais, devendo manter rotina normal nas atividades comerciais e pessoais”, diz a Polícia Civil em nota.
A assessoria de imprensa do hipermercado Walmart enviou uma nota em que confirma a tentativa de assalto ao carro-forte no estacionamento da loja e que colabora com a polícia nas investigações e que vai reforçar a segurança na unidade, além de prestar apoio emocional aos funcionários. A loja será reaberta nesta quinta-feira a partir das 8h.
G1