Jovem é morto a tiros dentro de carro em Campina Grande

Um jovem de 23 anos foi morto com oito tiros, no bairro Pedregal, em Campina Grande, no Agreste paraibano, na noite dessa quarta-feira (11). De acordo com as primeiras informações da Polícia Militar, a vítima estava com outras três pessoas dentro de um veículo Pegeout, quando foi baleada. O trio é apontado como suspeito no crime.

Segundo a polícia, a vítima foi baleada enquanto usava o telefone dentro do veículo. Ele não resistiu ao ferimentos e morreu antes de ser levado para um hospital. Ainda conforme a polícia, a população do bairro, que acionou o Centro Integrado de Operações Policiais (Ciop) após ouvir os tiros, não passou detalhes do caso.

A motivação dos suspeitos é investigada pela polícia. Uma equipe da Delegacia de Homicídios da Polícia Civil esteve no local para fazer a perícia. O veículo onde estava o corpo da vítima também foi apreendido para investigação dos policiais. Até o início da manhã desta quinta-feira (12) nenhum suspeito tinha sido localizado pela polícia.

Redação com G1

Um jovem de 23 anos foi morto com oito tiros, no bairro Pedregal, em Campina Grande, no Agreste paraibano, na noite dessa quarta-feira (11). De acordo com as primeiras informações da Polícia Militar, a vítima estava com outras três pessoas dentro de um veículo Pegeout, quando foi baleada. O trio é apontado como suspeito no crime.

Segundo a polícia, a vítima foi baleada enquanto usava o telefone dentro do veículo. Ele não resistiu ao ferimentos e morreu antes de ser levado para um hospital. Ainda conforme a polícia, a população do bairro, que acionou o Centro Integrado de Operações Policiais (Ciop) após ouvir os tiros, não passou detalhes do caso.

A motivação dos suspeitos é investigada pela polícia. Uma equipe da Delegacia de Homicídios da Polícia Civil esteve no local para fazer a perícia. O veículo onde estava o corpo da vítima também foi apreendido para investigação dos policiais. Até o início da manhã desta quinta-feira (12) nenhum suspeito tinha sido localizado pela polícia.

Redação com G1